Paulo Roberto Costa

Ex-lateral do Grêmio, Vasco e Corinthians
por Rogério Micheletti
 
O pé-quente Paulo Roberto Curtis Costa, o Paulo Roberto, ex-lateral-direito do Grêmio, São Paulo, Santos, Vasco da Gama, Botafogo, Cruzeiro, Corinthians, Fluminense, Cerro Porteño e Canoas (RS), hoje mora em Porto Alegre, no bairro de Petropólis, e tem empresa de consultoria e assessoria esportiva. Admite ser torcedor fanático do Grêmio e vibra ao contar que seus filhos Matheus e Lucas já estão jogando nas categorias de base do tricolor gaúcho.

Nascido no dia 27 de janeiro de 1963, em Viamão (RS), Paulo Roberto foi campeão em quase todos os times que passou. A carreira de jogador teve início no Grêmio. Lá, Paulo Roberto foi campeão brasileiro de 1981 (começou a jogada do gol de Baltazar, no Morumbi, na final contra o São Paulo), da Libertadores da América e de Mundial do Japão, em 83. Formou com Renato Gaúcho um ótimo lado direito no time tricolor.

O bom time gremista, supercampeão de 1983, começou a sofrer um desmanche em 1984. Um dos primeiros a deixar o Olímpico foi justamente Paulo Roberto, negociado com o São Paulo Futebol Clube, onde não se adaptou. Paulo Roberto deixou o time do Morumbi no ano seguinte e seguiu para o Santos Futebol Clube.

Na Vila, o lateral também ficou pouco tempo e acabou acertando com o Vasco da Gama, eem 86. Lá, encontrou um outro gaúcho: o volante Dunga, revelado pelo Internacional e com passagem rápida pelo Corinthians.

No time cruz-maltino, entre os anos de 1986 e 1989, Paulo Roberto viveu um grande momento. Ao lado de Mauricinho, Geovani, Romário, Vivinho, Zé do Carmo, Tita, Dunga, Roberto Dinamite, Acácio, Fernando, entre outros, o lateral-direito reencontrou seu futebol. Pelo Vasco da Gama, ele foi bicampeão carioca (87 e 88).

O lateral seguiu ganhando títulos mesmo fora de São Januário. Em 1990, no Botafogo, foi campeão carioca (atuava no time do meia Paulinho Criciúma, do zagueiro Mauro Galvão, do goleiro Ricardo Cruz e dos meio-campistas Carlos Alberto Santos e Carlos Alberto Dias).

Saiu do Botafogo em 92 e seguiu para o Cruzeiro. Pelo time mineiro, Paulo Roberto manteve a fama de pé-quente. O lateral foi essencial nas campanhas vitoriosas da Supercopa da Libertadores 91/92, Mineiro de 92 e Copa do Brasil de 93.

Indicado pelo técnico Jair Pereira, Paulo Roberto foi contratado pelo Corinthians em 1994. A passagem dele pelo alvinegro foi curta, apenas um semestre. Ele defendeu o time corintiano que ficou com o vice-campeonato brasileiro (perdeu a final para o Palmeiras).
Depois ele teve passagens por Atlético Mineiro (95), Fluminense (96/97), Cerro Porteño, do Paraguai (98) e Canoas (99), onde encerrou a carreira de jogador. Pela Seleção Brasileira, Paulo Roberto atuou sete vezes. Só não teve mais oportunidades porque enfrentou muita concorrência nos anos 80 e 90: Leandro, Josimar, Édson, Jorginho, Luís Carlos Winck, entre outros.

No dia 16 de setembro de 2018, Paulo Roberto foi entrevistado por Milton Neves no Domingo Esportivo da Bandeirantes. Confira a ínegra do bate papo:

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    61
  • 2 Pal
    53
  • 3 San
    48
  • 4 Cor
    44
  • 5 São
    43
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES