Odayr Baptista

Criador da Rádio Camanducaia

Odayr Baptista, famoso locutor de rádio, criador da "Rádio Camanducaia", que fez muito sucesso na Jovem Pan nos anos 70. Odayr morreu no dia 30 de julho de 2019, em São Paulo-SP, aos 83 anos. Ele atuou até o fim da vida como locutor comercial.

Sua voz marcante esteve presente em importantes campanhas publicitárias de cerveja. Odayr era casado pela segunda vez e teve cinco filhos, quatro do primeiro casamento (Júnior, Luiz Antônio, Maria e Cadu) e um do segundo casamento com Beth (Caio). Odayr morava no bairro do Campo Belo, zona sul da capital paulista.

Nascido em Poços de Caldas (MG) no dia 6 de outubro de 1935, Odayr Baptista começou como locutor da Rádio Cultura, na cidade mineira, em 1956. "Quem faz rádio no interior é como se estivesse fazendo ginásio. Aprendemos muita coisa. Fiz narração esportiva, fui locutor noticiarista, fiz programas humorísticos. Mas, com o passar do tempo, achei melhor procurar uma rádio em São Paulo", contava.

Como o Rádio Cultura era à época comandada por Sebastião Leporace, irmão do famoso Vicente Leporace, Odayr ganhou uma carta de recomendação para ingressar na Rádio Record. "Lá na Record, apresentei a carta ao Vicente Leporace e fui apresentado ao Blota Júnior. Era a realização de um sonho estar em São Paulo, mas ainda tinha que passar por um teste", explicou certa vez ao Portal Terceiro Tempo.

Odayr Baptista foi aprovado para a função de locutor noticiarista. "Peguei um pouco da imitação do Repórter Esso e acabei ficando na Record. Só não fui aprovado para a locução comercial porque eu sempre fui mais calmo. Não levava jeito para fazer propaganda na época", dizia Odayr.

O slogan da Rádio Record simbolizava a força da emissora naquele tempo: "Rádio Record, a maior". Odayr ganhou espaço e depois de apresentar programas de notícias também entrou na área humorística. "Trabalhei até com a Nair Bello e com Adoniram Barbosa. Tudo isso com aprovação do Blota Júnior", lembrava o narrador, que no mesmo período chegou a ser convidado para assumir o papel do "Repórter Esso".

Odayr trabalhou na Rádio Record de 1958 até 1960, quando aceitou um convite da Rádio Bandeirantes. "Foi interessante a mudança de uma radio para outra. Mas o tratamento era o mesmo, muito respeitoso. A Bandeirantes tinha o slogan que era: A família Bandeirantes", contava.

Nesta época, a Rádio Bandeirantes fechou um contrato com a Rádio Piratininga para a realização de rádio-teatro. Foi criado então o programa "Arquivo Musical". "Fui o primeiro apresentador do Arquivo Musical. O Clodoaldo José, diretor artístico - pai do narrador esportivo Cléber Machado, foi quem idealizou o programa", dizia o locutor.

Por livre e espontânea vontade, Odayr Baptista foi mudando aos poucos o formato do programa. "Eu passei a fazê-lo mais conversado. O Clodoaldo falava que eu não deveria mudá-lo, porque minha função deveria ser apenas a de locutor (chamar a música, dar a hora, anunciar a programação). Mas mesmo assim, eu não obedeci muito. E com o passar do tempo, o Clodoaldo aceitou. Ele percebeu que muitas cartas chegavam à rádio. Então, deixou que eu fizesse um programa com mais bate-papo", recordava.

Odayr fez sucesso na Rádio Bandeirantes. A frase famosa do locutor: "Bom dia para você que acordou agora" É até hoje lembrada por muita gente. Ele apresentou na RB também o "Jornal da Tarde".

Ator de novela

Na mesma época de Rádio Bandeirantes, Odayr Bapitsta trabalhou na TV Bandeirantes, onde apresentou programas e teve até participação como ator na novela "Ricardinho, sou criança e quero viver". "Não queria entrar, falava que não tinha capacidade para decorar textos, mas o pessoal insistiu. Eu fiz o médico psiquiatra Doutor Miranda", contava Odayr, que passou por uma situação delicada na trama. "Eu tive que fazer uma cena em que tinha que dar um beijo.

"Era casado, tinha filhos e achava que não pegaria bem. Gravei a cena. No dia em que ela seria exibida, era aniversário da minha sogra. Eu queria desligar a TV, mas já não adiantava nada. A Bandeirantes fez muitas chamadas do beijo e meus filhos e minha mulher viram. Fiquei muito bravo com o pessoal da chamada da TV", contava, aos risos, Odayr.

Rádio Camanducaia

Em 1971, o locutor trocou de casa. Deixou a Rádio Bandeirantes e seguiu para a Panamericana, a Jovem Pan. Na época, Estevam Sangirardi já emplacava o famoso "Show de Rádio" e precisava de alguém para interpretar seus personagens. "Já tinha criado a Rádio Camanducaia. Mostrei como era projeto para o Sangirardi e colocamos no ar.

Fiquei até com receio de que a prefeitura da cidade de Camanducaia não gostasse da idéia. Um dia um homem de preto apareceu e disse que estava disposto a me ajudar. Ele me passou alguns nomes famosos da cidade. O prefeito da cidade, que no início era contra a Rádio Camanducaia, depois me mandou uma carta agradecendo o que eu estava fazendo. Era uma espécie de divulgação da cidade", dizia o locutor, que interpretou vários personagens no "Show de Rádio", alguns deles foram o Pai Jaú, a Nega, Arquibalde e Zé das Docas.

Prêmios

Na década de 70, Odayr Baptista ganhou dois prêmios importantes: "Melhor spot da Revista Propaganda" (Rede Zacarias) e "Prêmio Gandula" (graças ao personagem Alberto Júnior, da Rádio Camanducaia). "Era o Oscar da crônica esportiva o Prêmio Gandula. E da Revista Propaganda também foi muito importante", relembrava.

Largo da Matriz

Em 1980, ele deixou a Rádio Jovem Pan e foi para a Globo. Odayr Baptista contava que foi o responsável por indicar a contratação de Osmar Santos, que brilhava na Pan, para a emissora. Odayr criou o programa "Largo da Matriz", que era uma espécie de "Rádio Camanducaia". "Mas, infelizmente, não tinha a mesma força do nome Rádio Camanducaia", contava.

Locução comercial e site

O locutor ficou fora das rádios de 1981 a 1997, ano em que aceitou o projeto para voltar a fazer a Rádio Camanducaia pela Rádio Bandeirantes. "Nunca gostei de humorismo com palavrões. Não aceitava algumas coisas. O pensamento era diferente. Antes da Copa de 98, o programa terminou", lamentava Odayr, que sempre foi bom em fazer charges e em 2005 criou o site da Rádio Camanducaia. "Fiz o desenho do site. A igreja é igual a da cidade de Camanducaia. O resto é diferente. O pessoal que gostava do programa pode matar um pouco da saudade no site", falava.

Locutor até na Suíça

Odayr revelou que sempre teve o sonho de trabalhar em uma rádio do exterior. "Uma vez recebi um convite para fazer um teste para uma rádio de Berna, na Suíça. Fiquei em segundo no concurso. O Mário Lima ganhou, mas não aceitou. "Só não fui porque minha mulher estava grávida", lembrava. No entanto, meses depois, surgiu a oportunidade de Odayr viajar para França e depois para a Suíça. "Conheci a Rádio Nacional da Suíça, onde iria trabalhar. Era fantástica. Mais uma vez recebi o convite para ser locutor lá. Faria um programa em português. Aliás, cheguei a gravar um e recebi por isso. Pelo menos fui locutor no exterior por um dia", orgulhava-se Odayr, que já fez gravações em francês, espanhol, inglês, italiano, alemão e russo.

Por Rogério Micheletti

 

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES