Cesar Marques

Ex-meia do Flamengo e Nacional-SP
por Marcos Júnior

Cesar Marques Bodnariuc, ou simplesmente Marques, foi um habilidoso meia-direita do Flamengo na década de 60, tendo atuado ao lado de César Maluco, Ivan e Jair Pereira, entre outros e hoje mora na Bela Vista, região central de São Paulo, trabalhando em um escritório de contabilidade.

Natural de São Paulo, mais precisamente do Jardim Popular, zona leste da capital, Cezar começou no futebol de várzea, com passagens pelo Maria Zélia e o Cruz de Malta.

Com 14 anos atuou pelo Nacional, o simpático clube da Rua Comendador Souza, onde foi dirigido por Noé Silvério e jogou junto de Valdir (ex-Ponte Preta) e o do goleiro Serra (ex-Bangu), sempre nas categorias de base.

Aos 18 anos ingressou na Aeronáutica, onde seu talento futebolístico logo apareceu nos selecionados formados, sendo convocado para a Seleção Brasileira da Aeronáutica, dirigida pelo treinador Walter Miraglia, que era sargento e também comandava as divisões juvenis do Flamengo-RJ.

Miraglia convidou Cesar Marques para ingressar no Flamengo, ainda como juvenil, em 1964, profissionalizando-se em 1966, ao lado de César Maluco e outros jogadores.

Com o objetivo de ganhar mais experiência, foi emprestado para a Portuguesa Carioca em 1966, retornando à Gávea, onde permaneceu até 1967.

Entre 1967 e 1968 defendeu as cores do Rio Branco do Espírito Santo, também por empréstimo e depois foi negociado com o Fluminense de Feira de Santana-BA, onde permaneceu entre 1968 e 1969, conquistando o vice-campeonato baiano em 1968 e o título estadual em 1969.

"Em troca de Onça (zagueiro), que na época jogava no Fluminense de Feira de Santana, o Flamengo mandou quase um time inteiro", relembrou Cesar Marques em entrevista ao Portal Terceiro Tempo em 21 de junho de 2006.

Após atuar no futebol baiano, passou alguns meses treinando no Palmeiras, ao lado de nomes já consagrados, como Ademir da Guia, Dudu, Minuca, o próprio César Maluco, Eurico, Alfredo Mostarda e o iniciante Emerson Leão.

Jogou fora do Brasil em duas equipes: o Estudiantes de Mérida, da Venezuela e o Unión Magdalena, da Colômbia.
De volta ao Brasil, durante um período em que estava sem clube, fez alguns treinos no Corinthians, com o técnico Yustrich, no Parque São Jorge.

Mas antes de ser efetivado no Timão, durante um jogo pelo time de várzea do São Luiz, do bairro da Aclimação, lesionou seu joelho com bastante gravidade, o que o obrigou a encerrar sua carreira em 1973.

Aliás, Cesar guarda boas recordações do futebol varzeano do São Luiz (foi bicampeão) e nsta equipe atuou ao lado de Rafael Chiarella, Abibe, Suingue, Cássio, Luis Carlos Feijão e Gylmar dos Santos Neves, o Goleiro Maior, que jogou no time em uma única ocasião

 Em 1973 casou-se com Vera Lúcia, sua única companheira, com quem é casado até hoje.

Da bonita união, nasceu a única filha do casal Bodnaviuc, a advogada Maíra de Souza Bodnaviuc, que também mora na capital paulista.

Cesar Marques, durante a entrevista ao Portal Terceiro Tempo, relatou um fato curioso no tocante a seu casamento.
"Fui eu quem apresentou a Tereza ao César Maluco, que era minha amiga e que acabou se casando com ele. Infelizmente a Tereza faleceu em maio de 2011. E ele me apresentou uma amiga, justamente a Vera Lúcia, com quem eu casei", disse Cesar Marques.

Após encerrar sua carreira trabalhou como vendedor de linhas telefônicas até o mercado do setor praticamente desaparecer, em meados dos anos 90, passando em seguida para a área contábil, sua atual ocupação.

Filho do romeno Antonio Bodnaviuc (tapeceiro e depois comerciante de peixes) e da brasileira Norma dos Santos Bodnaviuc, ambos falecidos, tem uma única irmã, Rita, que é professora aposentada e casada com Mário, sobrinho de Fernandes, ex-goleiro do XV de Piracicaba.




ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES