André Ribeiro

Ex-piloto
por Marcos Júnior Micheletti
 
O paulistano André Ribeiro que fo piloto de diversas categorias, com destaque para a Fórmula Indy, morreu em 22 de maio de 2021, aos 55 anos, em decorrência de câncer no intestino. Ele era casado com Melissa Ribeiro, com quem teve três filhas.
 
Pela Indy, André conquistou importantes vitórias, dentre elas a Rio 400 em 1996, primeira vez que a categoria norte-americana foi disputada no Brasil.
 
Paulistano, nascido em 18 de janeiro de 1966, André Ribeiro começou relativamente tarde no kart, aos 19 anos, em 1986, onde permaneceu até 1988, disputando o Brasileiro de Fórmula Ford em 1989, onde conquistou a terceira colocação no campeonato.
 
Iniciou sua carreira internacional na Europa em 1990, correndo pela Fórmula Opel pela equipe Lotus Nederland, e conquistou uma importante vitória na Bélgica, em Spa Francorchamps, uma das pistas mais seletivas do mundo.
 
Em 1991, pela equipe Paul Stewart Racing, de propriedade do filho do bicampeão mundial de Fórmula 1 Jackie Stewart, disputou seis provas do Campeonato Inglês de Fórmula 3 e no ano seguinte participou de todas as provas do calendário, também pelo time de Paul Stewart.
 
Ainda na Fórmula 3, em 1993, agora pela equipe Fortec Motorsport, André fez sua melhor temporada até então, terminando o campeonato na quinta colocação, com quatro pódiuns e duas poles.
 
Ao término de 1993 transferiu-se para os Estados Unidos, onde estreou pela Indy Ligths em 1994 com um excelente aproveitamento, chegando ao vice-campeonato com quatro vitórias (Portland, Mid-Ohio, Vancouver e Laguna Seca), guiando para a equipe Tasman, a mesma que lhe ofereceu um contrato para a Fórmula Indy em 1995.
 
Em seu ano de estreia na categoria máxima do automobilismo norte-americano venceu as 200 Milhas de New England, além de ter conquistado a pole-position.
 
O ano de 1996 foi o mais vitorioso na carreira de André Ribeiro, ainda na equipe Tasman, graças a dois importantes triunfos: as 500 Milhas de Michigan (foi o pole)  e Rio 400 (largou em terceiro lugar), disputada no circuito oval do autódromo de Jacarepaguá.
 
Competiu pela Tasman em 1997 mas em razão de muitos problemas terminou a temporada em 14º lugar, mas o talento do brasileiro o levou a assinar com a Penske para 1998, justamente o último ano de André no automobilismo, quando deixou as pistas e torno-se empresário do ramo de automóveis.
 
Comandava a Group1, com quatro concessionárias Honda, sendo uma na capital paulista (no bairro de Aricanduva) e as demais na grande São Paulo, nas cidades de Guarulhos, Santo André e São Bernardo.
 
ABAIXO, COM NARRAÇÃO DE TÉO JOSÉ, A VITÓRIA DE ANDRÉ RIBEIRO NA RIO 400, EM JACAREPAGUÁ, PRIMEIRA VEZ QUE A INDY TEVE UMA ETAPA DISPUTADA NO BRASIL
 

ABAIXO, ENTREVISTA DE ANDRÉ RIBEIRO A MARCOS JÚNIOR MICHELETTI EM 30 DE ABRIL DE 2011, VÉSPERA DA SÃO PAULO INDY 300, NO ANHEMBI

ABAIXO, EM 1997, ANDRÉ RIBEIRO EM COMERCIAL DO CREDICARD

ABAIXO, O PROGRAMA LIVRE (SBT) EM 18 DE MARÇO DE 1996, COM APRESENTAÇÃO DE SERGINHO GROISMAN, UM DIA APÓS A INDY 400 NO RIO DE JANEIRO, COM AS PRESENÇAS DE ANDRÉ RIBEIRO, RAUL BOESEL, ROBERTO PUPO MORENO E MARCO GRECO

ver mais notícias

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES