Alex Barros

Motociclista e chefe de equipe

por Marcos Júnior Micheletti

O melhor motociclista brasileiro de todos os tempos, Alexandre Abraão Coelho de Barros, o Alex Barros, atualmente é chefe da equipe Alex Barros Racing, que compete na Super Bike Brasil e trabalha na formação de jovens pilotos.

Em 2017 voltou a competir profissionalmente pela SuperBike Brasil, terminando o campeonato como vice-campeão, com 202 pontos, 37 a menos que Eric Granado, que ficou com o título.

Alex Barros iniciou sua carreira internacional em 1986 no Campeonato Mundial de Motovelocidade, passando por três categorias, incluindo a principal delas, a 500 cilindradas em 1990, pela Cagiva, formando o quarteto da equipe  com os experientes Randy Mamola, Eddie Lawson e Ron Haslam. Alex Barros, na ocasião com 19 anos, tornou-se o mais jovem piloto da história da categoria.

Natural de São Paulo, onde nasceu em 18 de outubro de 1970, Alex começou no motociclismo bem cedo, aos oito anos de idade, nas minibikes (50cc) depois passou para as de 250 cc, sendo campeão nas duas.

A primeira de suas sete vitórias no Mundial de Motovelocidade (500 cc) aconteceu em 1993, pela equipe oficial da Suzuki, quando ganhou o GP da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), disputado no circuito espanhol de Jarama.

Até aquela ocasião, apenas um outro brasileiro, o saudoso Adu Celso (falecido em 06 de fevereiro de 2005), havia vencido uma competição válida pelo Mundial.

Alex Barros correu por equipes privadas da Honda entre 1995 e 2002, vencendo cinco GPs: Holanda e Alemanha (2000); Itália (2001); Pacífico e Valência (2002).

Em 2003 foi contratado pela equipe oficial da Yamaha, e no ano seguinte pela equipe oficlal da Honda, substituindo o italiano Valentino Rossi, que foi para sua vaga na Yamaha.

Foi dispensado pela equipe oficial da Honda ao término da temporada de 2004, competindo por uma equipe privada da própria Honda em 2005, onde obteve sua última vitória no Mundial de Motovelocidade, no GP de Portugal, no circuito do Estoril.

Correu pela Superbike em 2006, por uma equipe privada da Honda, vencendo o GP de Portugal, no Autódromo do Estoril.

Retornou ao Mundial de Motovelocidade em 2007 para sua última temporada, pela Pramac D´Antin, um braço da italiana Ducati. Conquistou, então, sua última vitória, no GP de Imola, no traçado Enzo e Dino Ferrari, mesmo em que morreu Ayrton Senna.

Suas melhores classificações em mundiais aconteceram em 1996, 2000, 2001 e 2002, anos em que foi quarto colocado.

Lucas Barros, filho de Alex, competiu na equipe do pai, na categoria Moto 1000 GP brasileira, com uma BMW S1000 RR.

Foto: Marcos Júnior/Portal TT

ABAIXO, ENTREVISTA DE ALEX BARROS A MARCOS JÚNIOR NO BELLA MACCHINA, CANAL DE AUTOMOBILISMO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO. A GRAVAÇÃO ACONTECEU NO DIA 16 DE JUNHO DE 2015:

ABAIXO, VÍDEO COM ALEX BARROS PARTICIPANDO DO COMERCIAL DA CERVEJA ESTRELLA GALICIA 0,0 COM OS PILOTOS MARC MÁRQUEZ E ALEX MÁRQUEZ, EM ABRIL DE 2018

Selecione a letra para o filtro

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa

ÚLTIMOS CRAQUES