Brasileiro ganhou com a equipe inglesa no GP de San Marino de 88. Foto: Divulgação

Brasileiro ganhou com a equipe inglesa no GP de San Marino de 88. Foto: Divulgação

Seis anos antes da tragédia de Imola, quando Ayrton Senna morreu em decorrência da batida de sua Williams na curva Tamburello, o brasileiro teve um momento especial na Fórmula 1 na mesma pista, ao vencer há exatos 31 anos pela primeira vez com a McLaren-Honda em 1º de maio de 1988.

Depois de estrear pela Toleman em 1984 e competir pela Lotus por três temporadas, entre 1985 e 1987 (período em que obteve seis vitórias), Senna agora estava a bordo de um carro que lhe daria condições reais para disputar um título na Fórmula 1.

Após a frustrada jornada em Jacarepaguá, que abriu a temporada, desclassificado da prova após conquistar a pole e ter um problema na largada (ficou parado no grid e trocou de carro, o que foi considerado irregular), Senna foi para o Autódromo Enzo e Dino Ferrari disposto a tirar a diferença para o francês Alain Prost, seu companheiro de equipe, justamente o vencedor do GP do Brasil no extinto traçado carioca.

Senna com a McLaren-Honda (modelo MP4/4) durante o GP de San Marino, em Imola, em 1º de maio de 1988. Divulgação

A CLASSIFICAÇÃO PARA O GP DE SAN MARINO DE 1988

Após amplo domínio nos treinos livres, Senna cravou a pole com a impressionante marca de 1min27s148, impondo a abissal vantagem de 0s771 sobre Prost.

A McLaren-Honda dava sinais claros de que seria o melhor carro da temporada, o que foi comprovado ao seu término, com Senna campeão e Prost vice. Assim, restava aos outros times uma disputa para ser "o melhor dos demais".

Na classificação, depois dos dois carros da McLaren, Nelson Piquet fez o que estava ao seu alcance para obter um honroso terceiro lugar com a Lotus-Honda, equipe para a qual havia se transferido após deixar a Williams.

Piquet ficou mais de três segundos distante de Senna, mas precisou ser hábil para conseguir abrir a segunda fila tendo ao seu lado a Benetton-Ford do italiano Alessandro Nannini, 0s090 atrás do brasileiro.

Na terceira fila, em ritmo próximo a Piquet e Nannini, partiu Gerhard Berger, com a Ferrari. Um pouco mais atrás no cronômetro, em sexto, Riccardo Patrese, com a Williams-Judd.

Alain Prost largou em 2º, mas defasado em 0s771 em relação a Senna. Divulgação

A CORRIDA

Senna, o pole, manteve-se na frente assim que as luzes verdes se acenderam e dominou a corrida. Prost, por sua vez, largou mal e caiu de segundo para sexto.

Piquet saltou para segundo e durante as sete primeiras voltas a prova foi dominada pelo duo brasileiro.

Mas o ritmo forte de Prost o levou ao segundo lugar, superando Piquet já no giro 8.

A preocupação de Piquet passou a ser com seu ex-companheiro de equipe Nigel Mansell, que permanecera na Williams, mas sem a força do motor Honda, e agora impulsionado pelos modestos Judd.

Mansell chegou a ultrapassar Piquet, mas o britânico abandonou quando restavam 18 voltas para o final, justamente com um problema de motor.

Assim, na primeira das 35 vitórias de Senna pela McLaren, em 1º de maio de 1988, subiram ao seu lado no pódio: Alain Prost e Nelson Piquet.

Senna, o pole, manteve-se à frente na largada. Prost caiu de 2º para 6º, mas recuperou-se. Divulgação

Alessandro Nanini (Benetton-Ford) e Nelson Piquet (Lotus-Honda) travaram um itenso duelo, mas o brasileiro, à direita, foi ao pódio, em terceiro. O italiano terminou em quarto. Atrás, a Tyrrell de Julian Bailey e a Benetton de Thierry Boutsen. Divulgação

Além de Senna e Piquet, mais um brasileiro esteve presente naquele GP de San Marino de 1988, o paranaense Mauricio Gugelmin (March-Judd). Ele largou em 20ºe terminou em 15º.

Gugelmin, aliás, estava em seu ano de estreia na F1. Ele terminou a temporada em 13º, obtendo como melhores resultados o quarto lugar no GP da Grã-Bretanha e o quinto no GP da Hungria.

Além de Senna e Piquet, o outro brasileiro no GP de San Marino de 1988 foi Mauricio Gugelmin, com a March-Judd. Ele largou em 20º e terminou em 15º. Divulgação



Bella Macchina no YouTube: Clique no logo

 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR TODAS AS COLUNAS DE MARCOS JÚNIOR MICHELETTI

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    61
  • 2 Pal
    53
  • 3 San
    48
  • 4 Cor
    44
  • 5 São
    43
  • Veja tabela completa