Antes, Thiago Mendes e Dudu já tinham sido alvos dos dois, sem contar negociações do ano passado, como Alan Kardec, Wesley e Fernando Tobio

Antes, Thiago Mendes e Dudu já tinham sido alvos dos dois, sem contar negociações do ano passado, como Alan Kardec, Wesley e Fernando Tobio

Palmeiras e São Paulo protagonizam mais uma briga no mercado da bola. A equipe do Morumbi tem interesse em contratar o atacante Jonathan Cafu, da Ponte Preta, que já tem acerto financeiro com o time de Palestra Itália.

Antes, Thiago Mendes e Dudu já tinham sido alvos dos dois, sem contar negociações do ano passado, como Alan Kardec, Wesley e Fernando Tobio.  A sondagem são-paulina começou com uma ligação de Milton Cruz, auxiliar de Muricy Ramalho, e, em seguida, com uma proposta feita por Gustavo Vieira de Oliveira, gerente de futebol. 

O interesse tricolor é confirmado por Luis Augusto Carvalho, empresário do atleta, que explicou que a preferência segue nas mãos alviverdes até as 12h de quinta-feira (15), quando uma reunião define se o atleta defenderá o Palmeiras ou não.

Além do São Paulo, o empresário afirma que Internacional, Atlético-MG e dois clubes do exterior também têm interesse no futebol de Cafu. O valor da negociação é de R$ 1,25 milhão e pode ser bancado pela Doyen, um grupo de empresários. Antes, para que o jogador chegasse na agremiação de Campinas, esse mesmo grupo pagou R$ 770 mil para XV de Piracicaba.

"Eu tenho várias propostas, mas a questão não é financeira. É apenas da cláusula do contrato. Eu já tenho acerto financeiro com o Palmeiras e com o jogador e preciso saber até amanhã, na reunião que terei ao meio-dia, se o Palmeiras aceita essa cláusula de saída para o jogador da Europa. Não posso abrir mão disso porque é regulamentado pela Doyen, que tem uma parceria conosco. Não posso passar por cima disso", afirmou Luis.

"Não há leilão. Se acertarmos essa cláusula, ele é do Palmeiras. Hoje, o Palmeiras é favorito. Se amanhã ou antes eles me avisarem que não aceitam, aí eu vou conversar com todos os outros clubes. Se fosse questão de leilão, de financeiro, ele ia para a China, porque a proposta de lá é imbatível", completou.

Luis prefere não revelar os números, mas o UOL Esporte apurou detalhes da discussão entre Palmeiras e empresários. O clube preparou uma minuta com duas multas rescisórias. Uma de R$ 20 milhões para o mercado nacional e outra de 20 milhões de euros para o mercado do exterior.

Para os empresários, isso não basta. O grupo quer que haja uma "cláusula de saída" entre 40% e 50% da multa correspondente. Ou seja, caso um clube do exterior oferecesse cerca de 9 milhões de euros, o Palmeiras seria obrigado a liberar o atleta ou a igualar a oferta. O item é comum nos contratos da Doyen para garantir retorno de investimento.

O Palmeiras, por sua vez, acredita que tal cláusula pode fazer os empresários irem ao mercado para oferecer o atleta, forçando a sua saída. Caso opte por não igualar a proposta, o clube paulista teria direito a 30% do valor, uma espécie de direito de vitrine, correspondente aos direitos econômicos que ficariam nas mãos alviverdes. Os outros 70% são divididos entre empresários.

Cafu é uma opção ofensiva que pode jogar nos lados do campo. Além dele, o Palmeiras já contratou Dudu e Kelvin que podem fazer essa função, sem contar a provável chegada de Alan Patrick. No grupo, Oswaldo de Oliveira já conta com Mouche, Vinícius, Cristaldo, Allione e Maikon Leite que também podem exercer essa função.

Foto: UOL

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa