Técnico argentino está pressionado pelos resultados ruins no Brasileiro. Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Técnico argentino está pressionado pelos resultados ruins no Brasileiro. Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Após três empates consecutivos e a dificuldade de se afastar da zona de rebaixamento no Brasileirão, aumentou a pressão sobre o técnico Hernan Crespo no São Paulo. Na última segunda-feira (4), a direção tricolor se reuniu para debater o futuro do comandante argentino, e decidiu pela sequência do treinador.

Dois elementos foram importantes para a sobrevida de Crespo, ao menos até o clássico contra o Santos, na próxima quinta-feira (7), no Morumbi: o respaldo de Muricy Ramalho, e o alto valor da multa rescisória.

Segundo informações do GE, Muricy, que ocupa o cargo de coordenador de futebol no São Paulo, é um grande defensor do trabalho de Crespo e hoje é contra uma ruptura no trabalho do argentino. O ex-treinador é um entusiasta e tem apoiado Crespo no Morumbi e fez questão de explanar sua admiração pelo dia a dia do técnico tricolor.

Além do apoio de um nome de peso como Muricy, pesa a favor da manutenção do argentino a multa rescisória do argentino. Se optar por demitir o treinador em 2021, o Tricolor é obrigado a desembolsar 750 mil dólares (R$ 4 milhões). Em crise financeira, o clube repensa a ruptura de contrato agora.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa