Faltou dizer que ele precisaria superar Messi ou Cristiano. É mole ou quer mais?

Faltou dizer que ele precisaria superar Messi ou Cristiano. É mole ou quer mais?

O mundo inteiro repercutiu esta semana a frase de Sérgio Ramos, do Real Madrid, que reivindicou uma Bola de Ouro para o extraordinário Andrés Iniesta, do Barcelona e da seleção espanhola.
 
“Se o nome dele fosse Andrezinho…”
 
Eu vejo preconceito, inveja e equívoco de Sérgio Ramos nessa frase.
 
Quando argumenta o diminutivo no nome, ele tenta dizer que os brasileiros são supervalorizados pela mídia e pela própria Fifa. Certamente está incluindo Ronaldinho entre esses supostos privilegiados. Ronaldinho que cansou de humilha-lo nos confrontos Barça x Real, como você pode ver neste vídeo (clique AQUI).
 
Além de preconceituoso, Sérgio Ramos é invejoso. E comete um grande equívoco: em que pese o extraordinário talento de Iniesta, repito, é preciso dizer que ele pode ter nascido na época errada. Para ganhar pelo menos uma Bola de Ouro, ele teria de superar Lionel Messi e/ou Cristiano Ronaldo.
 
Fácil, né não?
 
LEIA TAMBÉM NO BLOG DO MARCONDES
 
As manchetes dos jornais desta 5a feira
 
CONTROLE REMOTO >  O que você pode ver hoje na TV
 
Deu ruim pra Marco Polo Del Nero: STF manda a Justiça do Rio investigar o cartola
 
Mídi achilena, indignada, não perdoa La U e diz que o time não tem vergonha
 
 
 
 
 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa