O Palmeiras de 2020 não é mais o time milionário que passou a ser depois da conclusão das reformas de seu estádio. Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

O Palmeiras de 2020 não é mais o time milionário que passou a ser depois da conclusão das reformas de seu estádio. Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

O torcedor do Palmeiras não conseguiu esconder a decepção após a derrota para o Corinthians, na volta do futebol, quarta-feira, na Arena Corinthians.

Uma vitória verde e o time de Tiago Nunes estaria fora da fase decisiva do Campeonato Paulista. Mais: Veria o eterno rival correr risco enorme de cair para Série B do estadual.

Vergonha corintiana que qualquer palmeirense gostaria de festejar.

O Corinthians terminou a fase pré pandemia da Covid-19 na parte de baixo da classificação. E em meio à uma enxurrada de críticas. O alvo maior era, e ainda é, o técnico Tiago Nunes, apontado como incapaz de unir o grupo em torno de seus métodos.

Treinador aclamado pelo excelente trabalho no Ahtletico Paranaense, dava sinais de que estava encontrando muitas dificuldades para se impor em um clube badalado e com uma torcida gigante.

Pois o que se viu diante do Palmeiras foi um Corinthians encarando o rival com muita competência.

Embora Cássio tenha sido o maior respomsável pela vitória corintiana, com grandes defesas, o que é real é que o alvinegro saiu de campo com a vitória.

E convicto de que, mais uma vez, dobrou o adversário.

E é esta a dor maior dos palmeirenses.

Sair de campo amargando um duro revés quando tinha todas as chances do mundo de nocautear o oponente.

Sim, tinha, no passado.

O Palmeiras de 2020 não é mais o time milionário que passou a ser depois da conclusão das reformas de seu estádio, que virou uma moderna arena de uso múltiplo, fonte de lucros, e, principalmente, depois que passou a contar com o suporte financeiro de seu generoso patrocinador, a Crefisa.

Alexandre Mattos, o gerente remunerado, e muito bem remunerado, de futebol, era o símbolo da ostentação e também, por que não, da gastança de anos passados.

Com Alexandre Mattos, agora no Galo mineiro, o Palmeiras ia às compras com a volúmpia de quem tinha muito para gastar.

Foi ao mercado e trouxe, sem pechinchar, promessas de craques como Guerra (R$ 10 milhões), Fabiano (R$ 6,7 milhões), Borja (R$ 33 milhões), Deyverson (R$ 18 milhões), Dudu (R$ 10 milhões), Lucas lima (R$ 17,5 milhões), Luan (R$ 10 milhões), Bruno Henrique (R$ 14 milhões) e Thiago Santos (R$ 1 milhão)..

Eram tempos de vacas gordas.

Tempos esses que elevaram a dívida palmeirense para R$ 538 milhões, de acordo com recente levantamento feito pelo Conselho de Orientação e Fiscalziação do clube, o COF.

O levantamento também mostra que a dívida do clube com a sua patrocinadora chega a R$ 172 milhões.

Embora seja um débito com juros bem abaixo dos praticados no mercado, o certo é que terá de ser pagar.

Um dia vai ter de ser quitada.

Quando, ninguém sabe, mas terá de ser paga.

Os gastos foram tantos que o clube decidiu pisar no freio. Até a contratação do técnico Vanderlei Luxemburgo já seguiu a estratégia do bom e barato.

Luxa assinou contrato até dezembro de 2021 para ganhar R$ 600 mil mensais. Ordenado bem inferior ao que ganha Jorge Sampaoli no Galo, em torno de R$ 1,5 milhão por mês.

E bem distante do que Jorge Jesus ganharia no Flamengo, caso não aceitasse a proposta para voltar ao Benfica.

No Fla, JJ iria embolsar algo em torno de R$ 1,9 milhão mensais.

Luxa ganha menos até do que o português Jesualdo Ferreira, do Santos, que tem ganhos mensais estimados em R$ 1,3 milhão.

Claro que investimento alto não é garantia de ótimos resultados em campo.

Mas o dilema é que o torcedor palmeirense ainda anda iludido de que seu clube tem poder aquisitivo para comprar quem quiser e quando puder.

Era assim.

Hoje não é mais.

E não é só por causa da pandemia.

A política de poucos investimentos foi implantada antes de o coronavírus começar a atormentar o país.

Dudu, o craque do time, foi emprestado ao Al Duhail por R$ 42,2 milhões.

E, se agradar, poderá ir embora em definitivo daqui um ano por mais R$ 36,2 milhões.

Mesmo com o dinheiro do empréstimo da estrela da companhia, o Palmeiras não dá sinais de que vai repor a saída do atacante.

É bom o torcedor palmeirense começar a se acostumar com o Porco em tempos de vacas magras.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Ath
    6
  • 2 Atl
    6
  • 3 Grê
    4
  • 4 Atl
    3
  • 5 Spo
    3
  • Veja tabela completa