Pelo Verdão, o atleta conquistou o Paulista de 1996. Foto: Divulgação

Pelo Verdão, o atleta conquistou o Paulista de 1996. Foto: Divulgação

Um dos ótimos meias do futebol brasileiro, Djalminha, que encerrou sua carreira nos gramados em 2004 pelo América do México, completa 50 anos nesta quarta-feira (9).

Filho do saudoso Djalma Dias (1939 - 1990), brilhante zagueiro do Palmeiras nos anos 60, Djalminha começou a despontar para o futebol pelo Flamengo, seu primeiro clube profissional, para depois passar pelo Guarani e deslanchar definitivamente no cenário nacional pelo Palmeiras, onde atuou entre 1996 e 1997, conquistando o Campeonato Paulista de 1996.

Na sequência teve uma longeva passagem pelo La Coruña (Espanha), clube que defentdeu entre 1997 e 2004, levantando vários troféus pela equipe do noroeste espanhol, na região da Galícia.

Ainda teve uma curta passagem pelo Áustria Viena (por empréstimo) antes de se despedir no futebol mexicano.

Era um nome praticamente certo para a disputa da Copa de 2002, na Coreia e Japão, que foi vencida pelo Brasil, mas acabou sendo cortado por um ato de indisciplina durante um treino no La Coruña.

O auxiliar-técnico, que apitava o coletivo, não marcou um pênalti e o meia brasileiro contestou. Javier Irureta, o treinador, entrou no meio da discussão e Djalminha deu uma cabeçada em seu comandante.

Luiz Felipe Scolari, técnico da seleção brasileira, não gostou da atitude de Djalminha e acabou levando Kaká para a Copa de 2002 em seu lugar.


Da esquerda para a direita: Edu, Marcos Falopa, Djalma Dias e Djalminha. Foto enviada por Marcos Falopa

 

Zé Alcino com a bola é pressionado por Djalminha, do Palmeiras. Foto: Reprodução Google

 

Da esquerda para a direita, Leonardo, Aldair, Djalminha, Zinho, Marcelinho Carioca e Júlio César, saíram na edição de setembro de 2012 da Revista Placar (1370). Imagem: Revista Placar

 

Antes do amistoso contra um combinado da Chechênia. Foto: Arquivo Pessoal

 

De pé, da esquerda para a direita, Júnior, Cafú, Sandro, Cléber, Galeano e o goleiro Velloso. Agachados, da esquerda para a direita, Flávio Conceição, Rivaldo, Luizão, Djalminha e Müller, ao lado dele está o ropeiro Chiquinho, que permanece no Verdão até hoje

 

Na parte mais alta estão, da esquerda para à direita: Dunga, Leonardo, Paulo Nunes e Gonçalves. Na parte mais baixa, da esquerda para à direita: Djalminha, Ronaldo e Mauro Silva. Foto: iG

 

Djalminha com a camisa da Seleção Brasileira de Showbol.

 

Da esquerda para a direita: Marcos (com cabelo!), Sandro, Rincon, Júnior, Cléber e Cafu. Agachados: Djalminha, Luizão, Galeano, Elivélton e Leandro. Foto: Paulo Pinto/Agência Estado

 

Em 1990, enfrentando o Corinthians

 

Em 1997, um desacreditado Brasil venceu a Copa América da Bolívia após bater os donos da casa por 3 a 1 na final. A conquista ficou marcada por dois motivos: foi a primeira vez que a seleção brasileira venceu a competição sul-americana fora de casa e lá surgiu a tão famoso "vocês vão ter que me engolir" do técnico Zagallo, respondendo às críticas da imprensa brasileira. Da esquerda para a direita, na fila de cima: Dunga, Mauro Silva, Carlos Germano, Denílson, o preparador físico José Carlos Prima, Romário, Edmundo, Márcio Santos, Roberto Carlos, Zé Roberto, Taffarel e Paulo Nunes. Segunda fila: integrante da comissão técnica, Cafu, outro integrante da comissão técnica, o médico Lídio Toledo, o "fininho" Ronaldo, o bigodudo Américo Faria, Zagallo, Ricardo Teixeira (então presidente da CBF), três integrantes da comissão técnica, César Sampaio (só com a cabeça aparecendo), integrante da comissão técnica, Célio Silva e outros dois integrantes da comissão técnica. Na fileira de baixo, temos: um integrante da comissão técnica, Leonardo (atrás do troféu mais alto), Djalminha, integrante da comissão técnica, Giovanni, Gonçalves, Aldair e Flávio Conceição.

 

Seleção Brasileira de Showbol, em 2007. Em pé, da esquerda para a direita: o irmão mais velho do Paulo "Morsa" Martins, Ricardo Rocha, Ronaldo, Válber, Alexandre Torres, Júnior Baiano, Márcio Santos, Zetti e Paulo Sérgio. Agachados: Müller, Paulo Nunes, Careca, Dunga, Bebeto, Djalminha, César Sampaio e o empresário Todé. Desses, apenas Alexandre Torres e Bebeto "Nhe-nhe-nhén" não passaram pelo trio de ferro Corinthians, São Paulo e Palmeiras

 

Esse é Djalma Dias, pai de Djalminha, e que fez parte de fortes times do Palmeiras na década de 60.

 

Vitor Hugo no rubro-negro carioca. Em pé: André Cruz, Zé Carlos Paulista, Fernando, Vitor Hugo, Zanata e Aílton. Agachados: Gaúcho, Alcindo, Fabinho, Djalminha e Zinho. A foto é do dia 3 de junho de 1990, em Brasília (DF), pouco antes do rubro-negro vencer o Gama (DF) por 3 a 2, no estádio Valmir Bezerra. Os gols do Flamengo foram de Alcindo, Fernando e Zinho. Formiga e Zé Nilo descontaram para o time do Distrito Federal

 

 

 

 

 

Djalminha no início da carreira no Mengão. Um desentendimento com o então intocável Renato Gaúcho precipitou sua saída da Gávea, em 1993. Foto: arquivo do Flamengo

 

Carlos Alberto Spina (ex-Matsubara) e Djalminha em julho de 2019, no Allianz Parque. Foto: arquivo pessoal de Carlos Alberto Spina

 

Em julho de 2018, Rodrigo Rodrigues posta foto para relembrar sua saída do Resenha ESPN, em 2016. Na foto, estão: o argentino Juan Pablo Sorín, Rodrigo Rodrigues, Raí, o colombiano Jonathan Copete, Djalminha e Fabio Luciano. (Foto: Reprodução - Instagram @rr_tv )

 

Djalminha posa para foto com o filho, em julho de 2018. (Foto: Reprodução - Instagram @djalminhaoficial10)

 

Em julho de 2018, Djalminha posta foto parabenizando a esposa, Gabi Knopf, por seu aniversário. (Foto: Reprodução - Instagram @djalminhaoficial10)

 

No Dia dos Namorados, em 2018, Djalminha posta foto com a esposa Gabi. (Foto: Reprodução – Instagram @djalminhaoficial10)

 

André Plihal, Alex, Leandro Silva (o Leandro Bochecha), Djalminha, Ruy Cabeção e Fábio Luciano no Resenha ESPN, do dia 23 de abril de 2018. (Foto: Reprodução – Instagram @alexfc10)

 

Na primeira foto, Djalminha, Eduardo de Meneses (apresentador da ESPN), Amoroso e Luizão. Na segunda está o comentarista Alê Oliveira. Os dois cliques foram no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. (Foto: Reprodução Instagram)

 

Djalminha e esposa acompanham jogo da NBA entre Miami Heat x Los Angeles Lakers, na America Airlines Arena, em Miami, na Flórida, em março de 2018. (Foto: Reprodução Instagram @djalmadiashowbol)

 

Djalminha e dois grandes fãs, em 2017, na inauguração do busto de Carlos Alberto Silva. Foto: Arquivo pessoal/Roberto Diogo

 

Em novembro de 2013, os garotos-propaganda da Head & Shoulders: Rivellino, Rivaldo, Mauro Beting, Pelé e Djalminha. Foto: arquivo pessoal de Mauro Beting

 

Posse de bola com Djalminha, com Gallo em seu encalço em confronto entre Palmeiras e Santos. Foto: ASSOPHIS

 

Mesmo não tendo conquistado títulos, o trio Luizão, Djalminha e Amoroso é reverenciado pela torcida do Guarani como um dos melhores ataques da história do clube. Os três atuaram juntos no Bugre apenas entre 1994 e 1995. Foto: Reprodução/Facebook

 

Palmeiras, em 1996. Da esquerda para a direita, em pé: Velloso, Júnior, Sandro, Galeano, Cafu e Cléber. Agachados: Luizão, Amaral, Rivaldo, Djalminha e Müller. Foto: Revista oficial do Palmeiras

 

Djalminha, Helô Campanholo e Luizão, nos bastidores da Fox Sports. Foto: Arquivo pessoal

 

Felipe, Larissa, Pedrinho e Djalminha no Jogo Aberto do Rio de Janeiro

 

Jogo Aberto-RJ. Da esquerd para a direita, os primeiros são Djalminha e Larissa Erthal

 

Djalminha e seu pai Djalma Dias, em 1987. Foto: Alexandre Battibugli, retirada da edição de dezembro de 2014 da revista Placar.

 

Djalminha e seu filho Djalma, em 2014. Foto: Rodolpho Machado, retirada da edição de dezembro de 2014 da revista Placar.

 

Djalminha, em 1996. Foto: César Itiberê/Folha Imagem / retirada do portal UOL

 

Band na Copa em 13 de julho de 2014, último dia do Mundial do Brasil. Em pé, Milton Neves, o humorista Róbson Nunes e Larissa Erthal. Sentados: Denilson, Djalminha, Pedrinho, Éverton Guimarães e Éder Aleixo

 

Em 1989 e em 2014

 

Djaminha foi um dos comentaristas da Band na Copa de 2014

 

Em 13 de julho de 2014, dia da final da Copa do Mundo do Brasil, no Band na Copa. Da esquerda para a direita: Milton Neves, Djalminha, Peddrinho, Larissa Erthal e Éder Aleixo

 

Após o `Band na Copa´, em 2 de julho de 2014, reunidos no restaurante Lellis da rua Bela Cintra, Tiago Galassi, Éder Aleixo, Milton Neves, Djalminha, Larissa Erthal e Rafael Neves

 

Milton Neves, Ronaldo Giovanelli, Alfinete, Djalminha, Robson Nunes, Éder Aleixo e Larissa Erthal durante o `Band na Copa´, em 2 de julho de 2014

 

O programa Band na Copa teve mais pontos na audiência, que o Flamengo na tabela do Campeonato Brasileiro em Junho de 2014. Da esquerda para a direita: Milton Neves, Bobô, Djalminha, Simoninha, Ulisses Costa e Éder Aleixo. Foto Arquivo Pessoal Milton Neves

 

O programa Band na Copa teve mais pontos na audiência, que o Flamengo na tabela do Campeonato Brasileiro em Junho de 2014. Da esquerda para a direita: Milton Neves, Bobô, Djalminha, Simoninha, Ulisses Costa e Éder Aleixo. Foto Arquivo Pessoal Milton Neves

 

Foi publicado no Diário Esportivo Lance, em 23 de abril de 2014, o anúncio do Grupo Bandeirantes de Comunicação, com o seu time de narradores, comentaristas e apresentadores para a Copa do Mundo. Acima, Denílson, Paloma Tocci, Renata Fan, Milton Neves, Teo José, Djalminha, Edmundo e Neto.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa