Carlos Miguel Aidar assume o tricolor com a missão de recolocar o clube do Morumbi no caminho das vitórias

Carlos Miguel Aidar assume o tricolor com a missão de recolocar o clube do Morumbi no caminho das vitórias

No início da década de 90, após um momento turbulento, a chegada de Telê Santana junto com craques em campo como Zetti, Cafu, Toninho Cerezo, Raí, Muller e Palhinha entre outros, fizeram Milton Neves criar a seguinte frase: Torcer para o São Paulo é uma grande moleza.

Naquela época, a máquina tricolor não se cansava de chegar às finais e a sala de troféus do Morumbi foi ficando pequena para tantas taças.

José Eduardo Mesquita Pimenta era o presidente e os diretores de futebol foram Fernando Casal Del Rey e Khalef João Franscisco que renegociaram contratos de patrocínio do clube e fizeram grandes investimentos para formar um time campeão.

Após a saída de Pimenta em 1994, o tricolor precisou se reencontrar e com reformas no Morumbi, os títulos pararam de chegar e só foram voltar mais de 10 anos depois.

Em 2005, já comandado pelo saudoso Marcelo Portugal Gouvêa, o tricolor voltou a mandar no futebol brasileiro e mundial. Voltou a conquistar o continente, o mundo e já comandado por Juvenal Juvêncio, que assumiu o clube em 2006, conquistou um inédito tricampeonato brasileiro consecutivo.

Com um estádio moderno, provável sede da Copa do Mundo, centros de treinamento de fazer inveja a qualquer grande clube do futebol mundial e os títulos no campo, a frase voltou a ficar atual. Torcer para o São Paulo, era de novo, uma grande moleza.

Mas quando Juvenal Juvêncio resolveu se perpetuar no poder e em uma manobra política conseguiu o terceiro mandato, tudo foi por água abaixo pelos lados do Morumbi.

O estádio chamado de Casa Sacrossanta pelo cartola tricolor deixou de ser sede da Copa do Mundo, o time não conseguiu mais títulos importantes e a torcida perdeu a paciência, já que sempre esteve acostumada a comemorar títulos.

Ontem Carlos Miguel Aidar foi eleito para voltar a ser o presidente do São Paulo. O desafio é muito grande!

Primeiro terá que convencer conselheiros oposicionistas a aprovarem a cobertura do estádio do Morumbi, que ontem foi boicotada, em manobra da oposição que abrindo mão da candidatura, não levou a quantidade de conselheiros necessários para votar a aprovação da obra.

Outro desafio será transformar um time com Rogério Ceni, Paulo Henrique Ganso, Alexandre Pato e Luis Fabiano - time que dois anos atrás seria considerado uma seleção - em um time vencedor. Pesquisa recente do site alemão Transfermarket considerou o elenco tricolor como o mais valioso do Campeonato Brasileiro, avaliado em cerca de R$ 199 milhões. Valioso nos cofres, mas não dentro de campo.

Para fechar, Aidar terá que transformar Cotia, na tão sonhada fábrica de craques. O Centro de Formação de Atletas Tricolor é referência, mas os jogadores que saem de lá ainda não conseguiram se transformar em grandes ídolos da torcida são paulina.

Se conseguir fazer o São Paulo voltar a ser um clube de vanguarda, Carlos Miguel Aidar vai fazer o torcedor tricolor reviver a frase e gritar bem alto: TORCER PARA O SÃO PAULO É UMA GRANDE MOLEZA!

No Twitter: @vinirama

Foto: UOL

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    61
  • 2 Pal
    53
  • 3 San
    48
  • 4 Cor
    44
  • 5 São
    43
  • Veja tabela completa