Piloto participava de teste privado com a Alfa Romeo em Hockenheim. Foto: Divulgação

Piloto participava de teste privado com a Alfa Romeo em Hockenheim. Foto: Divulgação

Há exatos 40 anos, em um teste particular por sua equipe, a Alfa Romeo, morria aos 35 anos o piloto francês Patrick Depailler, detentor de duas vitórias na Fórmula 1, uma pela Tyrrell em 1978 (em Mônaco) e a outra pela Ligier em 1979 (em Jarama, na Espanha).

Na Tyrrell, Depailler foi um dos pilotos que conduziu e ajudou no desenvolvimento do icônico modelo P34, o único carro de seis rodas a participar oficialmente de GPs de F1, em parte da temporada de 1976 e em toda a temporada de 1977, conquistando como melhores resultados dois terceiros lugares, em Mônaco (1976) e no Japão, em Fuji (1977).

Depailler, já havia sofrido um acidente muito sério em 1979, quando caiu  com sua asa delta em sua cidade natal, Clermond-Ferrand, e fraturou as duas pernas, o que o deixou de fora das demais corridas daquele ano pela Ligier, após sete GPs. Ele formava dupla com o também francês Jacques Laffite, e acabou sendo substituído por outro francês, Didier Pironi (1952 - 1987).

Em 1º de agosto de 1980, então piloto da Alfa Romeo, Depailler testava o carro no circuito alemão de Hockenheim, em uma sessão privada. O carro sofria com falta de confiabilidade, sobretudo no motor de 12 cilindros. Ele havia disputado oito GPs naquela temporada sem concluir nenhum deles.

O ACIDENTE

Por conta de uma quebra, provavelmente na suspensão, Depailler perdeu o controle de sua Alfa Romeo 179, bateu frontalmente contra um muro de proteção e capotou sobre um guard-rail, na curva Ostkurwe.
 
Inconsciente, ele foi transportado de helicóptero para o Hospital Universitário de Heidelberg, morrendo alguns minutos depois, com graves ferimentos na cabeça e as duas pernas decepadas.
 
Era casado com Michelle Depailler, com quem teve um filho: Loic Depailler.
 
 

Patrick e sua esposa Michelle Depailler. Foto: Divulgação


Em 1977, Patrick Depailler conversa com Ken Tyrrell, seu chefe de equipe. Foto: Divulgação


Em 1977, companheiros de equipe na Tyrrell, o francês Patrick Depailler conversa com o sueco Ronnie Peterson. Foto: Divulgação


Os franceses Patrick Depailler e Didier Pironi em 1978, quando eram companheiros na Tyrrell. Foto: Divulgação


Em 1974, controlando com destreza sua Tyrrell 007 no desafiador circuito belga de Nivelles. Foto: Divulgação


No GP de Mônaco de 1980, com a Alfa Romeo 179. Depailler foi bem na tomada de tempos e largou na sétima colocação, mas abandonou na volta 50, traído por um problema de motor. Foto: Divulgação


Em 1978, com seu único filho, Loic Depailler. Foto: Divulgação


Depailler em 1977, um dos seis anos em que defendeu a equipe inglesa Tyrrell. Foto: Divulgação


Patrick Depailler e a linda Ligier JS11 no GP do Brasil de 1979, em Interlagos. A vitória foi de seu companheiro de equipe, o também francês Jacques Laffite, fazendo a dobradinha da escuderia azul capitaneada por Guy Ligier. Foto: Divulgação


Aquilo que restou da Alfa Romeo de Patrick Depailler após seu acidente fatal, em 1º de agosto de 1980 no circuito de Hockenheim, na Alemanha. Foto: Divulgação


O francês Patrick Depailler era dentista e apaixonado por música. Sobre o cockpit de sua Tyrrell, em 1978, o francês toca violino sob olhares de fãs e fotógrafos. Com este carro, da Tyrrell, Depailler venceu o GP de Mônaco daquele ano. Foto: Divulgação


Em 1979, com o carro 25 da Ligier durante o GP da Espanha, em Jarama. Depailler venceu e seu companheiro Jacques Laffite, logo atrás, abandonou, com problema de motor. Foto: Divulgação


Uma verdadeira legião francesa estava presente no grid da F1 em 1979. Atrás, Jacques Laffite (Ligier), Jean-Pierre Jarier (Tyrrell) e René Arnoux (Renault). À frente: Jean-Pierre Jabouille (Renault), Patrick Tambay (McLaren), Patrick Depailler (Ligier) e Didier Pironi (Tyrrell). Foto: Divulgação


Asa delta, outra grande paixão de Patrick Depailler. Aqui, em 1979 (inclusive com a camisa da Ligier, sua equipe à época) preparando-se para voar, na França. Foto: Divulgação


Após fraturar as duas pernas em um acidente de asa delta, Depailler retornou pela Alfa Romeo na F1 em 1980. Foto: Divulgação


Loic Depailler, filho de Patrick Depailler, ao lado de Guy Ligier, ex-chefe de seu pai na equipe Ligier. Foto: Divulgação


Em 1977, com a Tyrrell de seis rodas. Foto: Divulgação


A Alfa Romeo 179 de 12 cilindros sob o comando de Patrick Depailler. Após o acidente de asa delta sofrido na temporada anterior, o francês não teve vida fácil também nas pistas, tentando melhorar o carro italiano. Foto: Divulgação


Em 13 de julho de 1980, com a Alfa 179 no circuito inglês de Brands Hatch. Esta foi a última prova disputada por Patrick Depailler. Ele faleceu menos de um mês depois, em 09 de agosto, durante um teste particular da equipe em Hockenheim, na Alemanha. Foto: Divulgação


Em 1977, no GP da Holanda, em Zandvoort, com a Tyrrell P34. Foto: Divulgação


Duas câmeras, acopladas em uma estrutura enorme na Tyrrell de Patrick Depailler em 1978, nas ruas de Mônaco. Foto: Divulgação


Detalhe da posição de pilotagem de Depailler, que conversa com um engenheiro, na Tyrrel de seis rodas, em 1977, em treno para o GP da Alemanha de 1977, em Hockenheim. Foto: Divulgação


Em 1976, com a Tyrrell P34. Foto: Divulgação


Ajustando a luva, Depailler em 1976, pela Tyrrell. Foto: Divulgação


Em 1975, com um March 752 da Fórmula 2, no circuito francês de Magny-Cours. Foto: Divulgação


Com a lendária Tyrrel P34 de seis rodas, no GP da Espanha de 1976, em Jarama. Foto: Divulgação


Chuva intensa no GP da Alemanha de 1974, em Nurburgring. Depailler, com a Tyrrel 007 largou em quinto lugar mas não terminou, após bater na quinta volta. Foto: Divulgação


 


No cockpit de sua Alfa Romeo em 1980. Foto: Divulgação


Em 1977, com a Tyrrell P34, único carro de F1 que competiu oficialmente com 6 rodas. Foto: Divulgação


Uma das fotos mais lindas da história da Fórmula 1, com um céu azul deslumbrante. Em 1976, em um mesmo plano, durante o GP do Canadá, em Mosport, Ronnie Peterson puxa o pelotão com a March, seguido por James Hunt (McLaren), Patrick Depailler (Tyrrell) e Mario Andretti (Lotus). Foto: Foto: Allan De La Plante


A Caloi promoveu sua bicicleta mais cobiçada na época, a Caloi 10 com uma propaganda envolvendo sete pilotos que participaram do GP Brasil daquele ano. Da esquerda para a direita: Jody Scheckter (Wolf), Patrick Depailler (Tyrrell), James Hunt (McLaren), Niki Lauda (Ferrari), Ingo Hoffmann (Copersucar-Fittipaldi), Emerson Fittipaldi (Copersucar-Fittipaldi) e Larry Perkins (BRM). Foto: Facebook/Copersucar-Fittipaldi

 
 
 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Ath
    6
  • 2 Atl
    6
  • 3 Grê
    4
  • 4 Atl
    3
  • 5 Spo
    3
  • Veja tabela completa