Invicto aos 36 anos e com cartel de 48 vitórias em 48 lutas como profissional, "The Money" irá igualar recorde da lenda Rocky Marciano caso vença sua última luta

Invicto aos 36 anos e com cartel de 48 vitórias em 48 lutas como profissional, "The Money" irá igualar recorde da lenda Rocky Marciano caso vença sua última luta

Doze vezes campeão mundial em cinco categorias diferentes, Floyd Mayweather Jr. anunciou que irá pendurar as luvas após a luta contra o desafiante Andre Berto, neste sábado (12), no MGM Hotel, em Las Vegas.

Invicto aos 36 anos e com cartel de 48 vitórias em 48 lutas como profissional, "The Money" irá igualar recorde da lenda Rocky Marciano caso vença sua última luta.

Com o fim da carreira do maior pugilista da atualidade à vista, a reportagem falou com dois especialistas em boxe para relembrar os maiores momentos de Mayweather na nobre arte.

Na opinião de Wilson Baldini, blogueiro do UOL Esporte, é necessário voltar para 2007, quando Mayweather teve uma de suas atuações mais marcantes, finalizada com nocaute acachapante.

"Foi contra o britânico Ricky Hatton. Foi impressionante acompanhar a luta dentro do ginásio do MGM, pois das 16 mil vozes que não paravam de berrar, cerca de 12 mil eram inglesas. A torcida lembrou as de times de futebol. Mayweather foi hostilizado dentro de casa. Mas em nenhum momento se perdeu. Pelo contrário. Seu poder de concentração e de adaptação ao adversário foram testados e aprovados. Mayweather deu uma lição de boxe no esforçado, mas limitado Hatton, que caiu de forma inapelável no décimo round, ao receber um contragolpe espetacular. Naquela noite, "Money" pôde usufruir de toda a sua marra", relembrou Baldini.

Já segundo Eduardo Ohata, especialista em boxe, a carreira de Mayweather foi marcada por grandes momentos em épocas diferentes.

"O primeiro lutador a levar mais perigo a Mayweather foi o brigador mexicano José Luís Castillo, em abril de 2002. Muitos acharam polêmica a vitória do americano, que aceitou um tira-teima oito meses depois, quando bateu novamente o mexicano", destacou Ohata.

Mas o primeiro grande desafio do americano estava porvir. 

"Mayweather ganhou em 2006 a chance de enfrentar a principal atração do boxe, Oscar de la Hoya, naquela que pode ser considerada sua primeira superluta em termos de promoção. Não por acaso, o slogan da promoção era simplesmente "O Mundo Aguarda". O então "Pretty Boy" Floyd não piscou, venceu e, como bônus, levou para casa um cinturão em uma quinta categoria de peso, a dos médios-ligeiros", continuou o especialista.

À época, o americano ainda carregava à frente do nome o apelido de "Pretty Boy", que ganhou ainda no início da carreira por conta de suas cicatrizes. Só depois, já como esportista mais bem pago do mundo e Sr. Ostentação, ele trocou por "The Money".

Definitivamente, Mayweather era o homem a ser batido no boxe. E, em 2007, após vencer Ricky Hatton, anunciou sua primeira aposentadoria. Mas 21 meses depois, em 2009, ele retornaria aos ringues intitulando-se o maior boxer de todos os tempos.

Após mais uma sequência de vitórias inquestionáveis, o marrento pugilista americano voltou a ter dificuldade diante do argentino Marcos "El Chino" Maidana. Mayweather venceu, mas a decisão dos juízes gerou polêmica e os dois fizeram revanche quatro meses depois. Mais uma vitória para o americano.

Ninguém parecia capaz de vencer Mayweather, mas ainda havia a "luta do século".

"Por fim, Mayweather derrotou neste ano o filipino Manny "Pacman" Pacquiao, em duelo que gerou cinco anos de expectativa e que foi promovido como a "luta do século". Com seu conhecido estilo técnico, mas eficiente, o americano frustrou o público que queria assistir uma briga, mas superou aquele que muitos acreditavam ser o último lutador desta geração a reunir condições para vencê-lo", finalizou Ohata.

Entre os grandes momentos da carreira de Floy Mayweather Jr. ainda está o fato de que ele é medalhista olímpico. Foi em 1996, Atlanta, onde o americano ficou com a medalha de bronze em casa em sua última luta como amador. A derrota na semifinal dos Jogos para o búlgaro Serafim Todorov foi bastante polêmica, gerando recurso dos EUA, mas o resultado foi mantido.

Apesar disso, aquela medalha de bronze não costuma ser lembrada na biografia de Mayweather. Até porque poucos dias depois, a 11 de outubro de 1996, ele subia no ringue pela primeira vez como profissional para, quase 19 anos e exatas 48 lutas depois, permanecer imbatível.

Naquele que deve ser o último capítulo da brilhante trajetória de Mayweather no boxe, será o compatriota Andre Berto capaz de detê-lo? Enquanto o desafiante combate com a motivação de ser o primeiro e último algoz do maior pugilista de sua geração, o homem a ser batido luta pelo recorde de Rocky Marciano e por sua cadeira definitiva na história do esporte.

Foto: UOL

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    64
  • 2 Pal
    54
  • 3 San
    51
  • 4 São
    46
  • 5 Cor
    44
  • Veja tabela completa