Mexicano desbancou a Ferrari e Verstappen. Foto: Oracle Red Bull Racing

Mexicano desbancou a Ferrari e Verstappen. Foto: Oracle Red Bull Racing

O mexicano Sergio Pérez conquistou sua primeira pole na Fórmula 1,  para o GP da Arábia Saudita, segunda etapa do Mundial, marcada para começar às 14h deste domingo (27) no circuito urbano de Jedá. Serão 50 voltas pelos 6.174 metros do traçado saudita.

Na classificação realizada neste sábado (26), Pérez surpreendeu para desbancar a favorita Ferrari na sessão marcada por um forte acidente com o alemão Mick Schumacher, da Haas,   garantiu-se com a posição de honra do grid com a marca de 1min28s200. Esta também foi a primeira pole de um piloto mexicano na F1. Seus mais famosos compatriotas que estiveram no grid da categoria, os irmãos Pedro e Ricardo Rodriguez não conseguiram este feito. Pedro, entretanto, teve uma trajetória melhor, com duas vitóiras na F1.      

A sessão ficou interrompida por uma hora para a remoção do carro de Mick e a saída do helicóptero médico que o encaminhou a um hospital próximo, após exames preliminares que não constataram nada grave, apesar do forte impacto contra o muro.

Em sua derradeira tentativa, Pérez precisava fazer um giro perfeito pelos 6.174 metros do traçado saudita e foi isso o que ele conseguiu para superar os então dois primeiros colocados, Leclerc e Sainz, que largarão em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Pérez não apenas deixou a Ferrari para trás mas seu companheiro de equipe, Max Verstappen, que definitavmente não está acostumado a ver uma outra Red Bull à sua frente. O holandês partirá em quarto lugar.

Esteban Ocon (Alpine) foi bem no classificatório e parte em quinto, enquanto George Russell (Mercedes) fecha a terceira fila, em sexto.

Falando em Mercedes, Lewis Hamilton sequer passou do Q1. O heptacampeão estacou na primeira parte da classificação e largará em 16º. Pelo rádio, ainda dentro do carro, pediu desculpas ao seu engenheiro, e vai partir dez posições atrás do companheiro de equipe.

O TREINO

No Q1, 15 pilotos, como de praxe, tinham vaga garantida no Q2. Dos 20 na pista, um deles disse adeus à sequência da atividades, o canadense Nicholas Latifi, da Williams, que rodou sozinho e bateu na proteção, provocando bandeira vermelhaquando restavam 11 minutos e 22 segundos para o término do Q1. Neste instante, Magnussen era o mais rápido, mas certamente seria superado pelas duas Ferrari quando a sessão foi interrompida. Leclerc e Sainz vinham em voltas rápidas, mas não conseguiram concluir.

Dos favoritos, Verstappen foi o primeiro a concluir um giro ápido mas logo em seguida Leclerc tomou o primeiro lugar e Sainz veio na sequência e passou para o primeiro posto, restando sete minutos. Russell também completou uma boa volta e estava em quarto lugar.

E a maior decepção ficou por conta de Hamilton, que não avançou ao Q2 e vai largar em 16º, enquanto Russell, seu companheiro de equipe finalizou na quarta colocação. Com problemas em sua AlphaTauri, Tsunoda sequer foi à pista.

Não passaram ao Q2: Hamilton, Albon, Hulkenberg, Latifi e Tsunoda.

No Q2, logo de início foi Leclerc que mostrou força para se colocar em primeiro, restando nove minutos para o final, seguido por Pérez, Verstappen e Sainz, ou seja, duelo franco entre Ferrari e Red Bull.

Alonso aparecia bem em quinto lugar, enquanto Ocon, atrapalhado em sua primeira tentativa, precisava encaixar um bom giro para garantir-se entre os dez primeiros e avançar ao Q1.

Faltando menos de cinco minutos, batida forte de Mick Schumacher e sessão interrompida com bandeira vermelha.

Ambulâncias na pista e helicóptero acionado compunham um cenário de expectativa quando um comunicado oficial da Haas dava conta que Mick estava consciente e fora de seu carro para ser encaminhado ao centro médico.

Depois de mais um tempo, novo comunicado da Hass, informando que Mick seguia consciente e havia conversado por telefone com sua mãe (Corina), mas que seria levado a um hospital para exames complementares.

Antes, imagens foram divulgadas pela FIA, com Mick Schumacher sorridente, sentado em uma maca, pronto para ser levado ao hospital. Aparentemente, portanto, tudo bem com o piloto alemão de 23 anos.

Finalmente, após uma hora de paralisação, treino reiniciado e Sainz ficou com o melhor tempo, seguido por Leclerc.

Os eliminados: Norris, Ricciardo, Zhou, Schumacher e Stroll.

No Q3, Leclerc e Sainz pareciam travar um duelo particular pela pole mas foram surpreendidos pelo giro perfeito de Sergio Pérez, com 1min28s200, garantindo-se pela primeira vez no lugar de honra de um grid da categoria.

MUDANÇAS NO TRAÇADO

Muito estreito em vários trechos, o longo traçado de 6.174 metros foi submetido a algumas alterações, uma vez que na prova disputada no ano passado, primeira no local, houve várias reclamações e a necessidade de interrupção com bandeira vermelha por conta de situações perigosas. Para ser mais preciso, foram quatro curvas que tiveram suas áreas remodeladas: 2, 3, 14 e 21.

NO ANO PASSADO

O GP da Arábia Saudita de 2021, penúltima etapa daquele Mundial, realizada pela primeira vez no traçado de Jidá em 5 de dezembro, Lewis Hamilton partiu da pole com a marca de 1min27s511. Ele mesmo venceu, seguido por Verstappen e Bott

 


  

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A HOME DE AUTOMOBILISMO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O CANAL DO BELLA MACCCHINA NO YOU TUBE

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa