Seleção brasileira: para voltar aos caminhos das vitórias. Foto: Divulgação CBB

Seleção brasileira: para voltar aos caminhos das vitórias. Foto: Divulgação CBB

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A HISTÓRIA DE MAGIC PAULA NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

CLIQUE AQUI E CONHEÇA A HISTÓRIA DE HORTÊNCIA NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

Desacreditado após campanhas vexatórias na últimas edições da Copa América e do Sul-Americano, o basquete feminino brasileiro ressurgiu no Pan de Lima/Peru.


A seleção venceu o torneio pela primeira vez depois de 28 anos, com 79 a 73 diante dos Estados Unidos, logo em sua primeira competição sob o comando de José Neto, que fez sua estreia dirigindo as mulheres no torneio de Lima.

Em toda a história dos Jogos Pan-Americanos, esta foi apenas a quarta medalha de ouro do Brasil no torneio. As duas primeiras foram com a geração de Norminha e Maria Helena, em 1967 e 1971, e a terceira com Paula, Hortência e Janeth em Havana, em 1991.

Paula e Hortência nunca mais!

Paula e Hortência seguramente vão ficar para a eternidade do basquete feminino do Brasil, elas foram protagonistas dos melhores momentos da modalidade pela seleção e seus clubes.

Hortência, a "Rainha" das quadras, foi dona da camisa 4 da seleção por quase 20 anos e formou ao lado de "Magic" Paula uma dupla genial, que foi capaz de lotar ginásios em todo o país.

A maior glória

Em 1994, no Mundial da Austrália, o Brasil treinado por Miguel Ângelo da Luz, tinha em seu time além delas, jogadoras com Janeth, Alessandra e Helen Luz, e conquistou o primeiro (e até hoje o único) título mundial da modalidade, destaque para as inesquecíveis vitórias sobre os Estados Unidos por 110 a 107 na semifinal e sobre a China por 96 a 87 na decisão.

A partir de agora, são novos tempos, e o coletivo sendo colocado em prática cada vez mais!

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    61
  • 2 Pal
    53
  • 3 San
    48
  • 4 Cor
    44
  • 5 São
    43
  • Veja tabela completa