Como é habitual, prova teve reviravolta na parte final. Foto: Toyota Gazoo Racing

Como é habitual, prova teve reviravolta na parte final. Foto: Toyota Gazoo Racing

E o espanhol Fernando Alonso, ao lado do japonês Kazuki Nakajima e do suíço Sébastien Buemi mais uma vez subiu ao topo do pódio das 24 Horas de Le Mans, pelo segundo ano consecutivo, repetindo o feito de 2018, quando o mesmo trio venceu a bordo do Toyota TS 050 Hybrid a mais importante prova do endurance mundial, encerrada neste domingo (16). 

Tudo se encaminhava para que o outro carro da Toyota, o #7 do trio Mike Conway/Kamui Kobayashi e José María López conseguisse o triunfo, mas Le Mans costuma provocar reviravoltas em sua fase derradeira e isso mais uma vez aconteceu.

A vantagem do carro #7 caiu drasticamente quando restavam duas horas para o término da prova, primeiro por um furo de pneu, que obrigou uma parada não planejada e, depois, em razão de uma pane na caixa de marchas, com o câmbio travado em terceira.

Assim, Kazuki Nakajima, que conduzia o carro #8, cruzou a linha de chegada com quase 17 segundos de vantagem sobre o #7 que tinha a bordo o argentino José María López.

Com a vitória na tabela geral e também pela LMP1, Alonso sagrou-se campeão mundial de endurance, voltando a ganhar um título sob chancela FIA após 13 anos. O último foi o de 2006 pela F1, segundo pela categoria, após o troféu conquistado em 2005, ambos pela Renault.

No pódio, ainda pela LMP1, o trio do carro #11 da SMP Racing, formado pelo belga Stoffel Vandoorne e os russos Vitaly Petrov e Mikhail Aleshin. Eles receberam a bandeira quadriculada seis voltas defasados em relação aos vencedores.

 Nakajima, Buemi e Alonso comemoram a vitória nas 24 Horas de Le Mans neste domingo. Foto: Toyota Gazoo Racing

BRASILEIROS

Ainda pela LMP1, Bruno Senna (ao lado de Neel Jani e André Lotterer) levou o carro #1 da equipe suíça Rebellion ao quarto lugar, mesmo após um começo de corrida atribulado, fechando as 24 Horas a nove voltas dos vitoriosos, mas com bastante folga para o carro #3, quinto colocado, também da Rebellion, de Nathanaël Berthon, Thomas Laurent e Gustavo Menezes.

O carro multicolorido de Bruno Senna. Ao lado de Neel Jani e André Lotterer, o brasileiro terminou na quarta colocação geral e na LMP1. Foto: Rebellion Racing

VITÓRIAS BRASILEIRAS EM TRÊS CATEGORIAS. ANDRÉ NEGRÃO CAMPEÃO NA LMP2

Das quatro categorias, apenas na LMP1 não havia brasileiro no pódio. Nas outras três, todas tiveram um brasileiro como vencedor.

O paulista André Negrão, pela LMP2, vencedor da prova no ano passado, voltou a ganhar, com o Alpine A470 Matmut-Gibson da Signatech, formando o trio com Pierre Thriet e Nicolas Lapierre. A vitória fez com que Negrão conquistasse o título da LMP2.

O brasileiro André Negrão venceu pela LMP2, conquistando o título desta categoria com o Alpine A470 Signatech Matmut-Gibson. Foto: Signatech Alpine Matmut

O atual bicampeão da Stock Car, Daniel Serra, voltou a vencer as 24 Horas de Le Mans. Vencedor da prova em 2017, então com Aston Martin, o paulista de 35 anos subiu ao topo do pódio ao lado do britânico James Calado e do italiano Alessandro Pier Guidi, pela LMGTE-PRO, desta vez com a Ferrari 488 GTE EVO da equipe AF Corse, que representa oficialmente a Ferrari no endurance.

Segunda vitória de Daniel Serra nas 24 Horas de Le Mans, pela LMGTE-PRO. Triunfo, desta vez, foi com Ferrari. Foto: AF Corse

Quem também comemorou muito, logo em sua estreia em Le Mans, foi Felipe Fraga, pela LMGTE-AM. Aos 23 anos, o mais jovem campeão da Stock Car também tornou-se o mais jovem dos brasileiros a vencer as 24 Horas de Le Mans, ao lado dos experientes Ben Keating e Jeroen Bleekemolen no Ford GT #85 do time Keating Motorsports.

Felipe Fraga, no centro, comemora a vitória pela classe LMGTE-AM. Reprodução: Keating Motorsports

Outro estreante, Rodrigo Baptista, terminou em terceiro lugar pela mesma LMGTE-AM com a Ferrari 488 da JMW Motorsport. O brasileiro guiou em parceria de Jeff Segal e Wei Lu.

O brasileiro Rodrigo Baptista conduziu a Ferrari 488 GTE na parte final das 24 Horas de Le Mans e terminou em terceiro lugar. Foto: JMW Motorsport

O paranaense Augusto Farfus, foi o 11º pela classe LMGTE-PRO. Vinculado à BMW há vários anos, incluindo os campeonatos que disputou na DTM, Farfus guiou o M8 GTE do time alemão BMW Team MTEK com o português Antonio Félix da Costa e o finlandês Jesse Krohn.

Por fim, Pipo Derani ficou em 12º na LMGTE-PRO, com a Ferrari 488 GTE EVO, em parceria com o briânico Oliver Jarvis e o francês Jules Gounon.

 

CLASSIFICAÇÃO FINAL - LMP1 (CINCO PRIMEIROS COLOCADOS)

 

 

 

CLASSIFICAÇÃO FINAL - LMP2 (CINCO PRIMEIROS COLOCADOS)

 

 

CLASSIFICAÇÃO FINAL - LMGTE-PRO (CINCO PRIMEIROS COLOCADOS)

CLASSIFICAÇÃO FINAL - LMGTE-AM (CINCO PRIMEIROS COLOCADOS)

 

 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A HOME DE AUTOMOBILISMO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O CANAL DO BELLA MACCCHINA NO YOU TUBE

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR TODAS AS COLUNAS DE MARCOS JÚNIOR MICHELETTI

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    42
  • 2 Pal
    39
  • 3 San
    37
  • 4 Int
    33
  • 5 Cor
    32
  • Veja tabela completa