O rugby é um dos esportes que mais tem crescido no país, graças ao trabalho feito pela Confederação Brasileira de Rugby, que foi dois anos seguidos eleita a entidade esportiva com as melhores práticas de governança.

A modalidade é disputada de duas formas, a tradicional, com quinze jogadores para cada lado, e a Sevens, com sete atletas, que virou olímpica e já participou do programa dos Jogos do Rio 2014.

E os resultados  vem aparecendo, como a primeira vitória sobre a Argentina, dentro de Buenos Aires, por 36 a 33, na conquista inédita do Sul-Americano masculino. Alem disso o feminino ganhou a competição pela décima vez consecutiva.

No sábado, dia 10 de novembro, aconteceu um amistoso histórico contra o All Blacks Maori, da Nova Zelândia, uma das maiores equipes de rugby da história, e apesar da derrota de 35 a 3, a partida teve um recorde de público em jogos da modalidade, com 35.541 torcedores assistindo o jogo, no Estádio do Morumbi.

O planejamento da Confederação é tentar a classificação para a Copa do Mundo Masculina de Rugby , em 2023 e melhorar a colocação da equipe feminina na olimpíada de 2020, em Tóquio.

Nós conversamos com Agustin Danza, CEO da Confederação Brasileira de Rugby, que falou do trabalho da entidade, do crescimento do esporte e dos planos para o futuro. Confira!

Fotos: Fotojump

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa