Pelo acordo vigente, o ex-presidente tem direito a recuperar o valor investido, com correção monetária

Pelo acordo vigente, o ex-presidente tem direito a recuperar o valor investido, com correção monetária

Leandro Miranda
Do UOL, em São Paulo

O Palmeiras zerou, sete anos antes do prazo inicial estipulado pelo Conselho Deliberativo, a dívida de mais de R$ 140 milhões com o ex-presidente Paulo Nobre, que havia tirado recursos do próprio bolso durante seu mandato para injetar fundos no clube. O antigo mandatário, porém, ainda pode receber de volta mais dinheiro em um último caso: com a venda de um jogador que ele ajudou a contratar.

Pelo acordo vigente, o ex-presidente tem direito a recuperar o valor investido, com correção monetária, em caso de venda. O lucro fica com o Palmeiras. Atualmente, os atletas que se enquadram nesse perfil estão emprestados a outros clubes. São os casos dos atacantes Róger Guedes (Atlético-MG) e Mouche (Banfield), do meia Allione (Bahia) e do zagueiro Tobio (Rosario Central).

Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 San
    32
  • 2 Fla
    30
  • 3 Pal
    30
  • 4 Atl
    27
  • 5 São
    27
  • Veja tabela completa