A Catuense de 1985, dirigida por Aymoré e com Bobô no comando. Foto:

A Catuense de 1985, dirigida por Aymoré e com Bobô no comando. Foto:

O Central vai enfrentar o Jacuipense pelas eliminatórias da Série D de 2019. Em 1985 a equipe de Caruaru enfrentou outra novidade que era sensação no futebol baiano: a Catuense. Naqueles confrontos do passado aconteceu a última classificação em mata-mata de uma lenda do futebol mundial: Aymoré Moreira.

O treinador que comandou a seleção brasileira no bicampeonato mundial em 1962 passou por várias equipes baianas entre 1978 e 1986. Logo no seu primeiro ano em Salvador disputou um Ba-Vi pelo Vitória contra seu irmão Zezé que treinava o Bahia.

Não conseguiu títulos no futebol da Boa Terra, mas montou times inesquecíveis, como o Vitória de 1979 e o Bahia de 1981, e ainda revelou muitos talentos. No Galicia lançou o centroavante Washington (ídolo no Fluminense) o ponta-direita Róbson (ídolo no Cruzeiro) e ao chegar na mítica Catuense com 72 anos em 1984 deu oportunidades para vários jogadores que foram fundamentais na conquista do Brasileiro de 1988 pelo Bahia, destaque maior para o craque Bobô.

Aquela Taça de Prata de 1985 (denominação da época para a segunda divisão) era totalmente eliminatória nas suas primeiras fases. O Central eliminou o CRB após dois empates e vitória por pênaltis, já a Catuense eliminou o Confiança com duas vitórias.

Na primeira partida da segunda fase houve empate em Caruaru (1x1). Veja a ficha dos jogos abaixo. Pirulito não deu espaço para Freitas e Timbó anulou Bobô.

Time do Central de 1985 nos mata-matas. Foto: Arquivo Pessoal

No jogo da volta aconteceu um novo empate. O time baiano venceu nos pênaltis por quatro a três. Nesse jogo Aymoré colocou o jovem Vandick (ídolo no Paysandu) como titular.

A Catuense seguiu na competição, mas foi eliminada na fase seguinte pelo Goytacaz. Aquela foi a última decisão de Aymoré Moreira.

A Catuense de Aymoré Moreira. Destaque para Bobô, o penúltimo agachado. Foto: Arquivo Pessoal

O treinador ainda disputou uma segunda divisão paulista pelo Taubaté e quando estava disputando o campeonato baiano de 1986 pelo Fluminense de Feira foi submetido a uma cirurgia para a implantação de quatro pontes de safena e duas mamárias.

Aymoré Moreira abandonou o futebol e passou a escrever artigos para jornais de Salvador. Também trabalhou como comentarista esportivo de rádio. Recebeu o título de cidadão soteropolitano.

Aymoré Moreira morreu de falência múltipla dos órgãos motivada por parada respiratória e parada cardíaca, no dia 26 de julho de 1998.

Central e Catuense voltaram a se enfrentar nas oitavas de finais da segunda divisão de 1989. No dia 26 de novembro houve vitória da Catuense por um a zero na Bahia. Três dias depois o Central venceu por dois a um em Pernambuco. A Catu ficou com a vaga pelo gol fora de casa, eliminou o Ceará nas quartas e caiu para o São José nas semifinais (jogo polêmico), perdendo a chance de chegar à Primeira divisão.

Em 1990 estiveram no mesmo grupo da segunda divisão. Houve empate na esrreia da competição sem gols na Bahia e vitória da Catuense por dois a um em Pernambuco. A Catu foi até o quadrangular final mas perdeu a vaga em seu grupo para o Athlético Paranense, clube que também tomou a última chance do Central chegar a primeira divisão em 1995... Mas aí já são outras histórias.

VEJA A PÁGINA DE AYMORÉ MOREIRA NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

Fichas dos Jogos

Central 1 x 1 Catuense (24/02/1985)

Estádio: Luis José de Lacerda (PE)

Árbitro: Juarez Inácio Silva (AL)

Renda: Cr$ 12.967.000,00

Público: 3.634

Gols: Mardoni, aos 9min e Rocha, aos 12min do segundo tempo

Cartões amarelos: Léo e Lauren

CENTRAL: Carlinhos, Melo, Paulo César, Timbó e Chiquinho; Zé Alberto (Evandro Sousa), Buíque e Mardoni; Adauto, Freitas (Ricardo) e Cil. Técnico: Erandir Montenegro

CATUENSE: Leite, Léo, Lauren, Mirandinha e Tião; Pirulito, Claus e Roquinho; Bobô, Rocha (Menudo) e Paulinho. Técnico: Aymoré Moreira

Catuense 0 (4) x (3) 0 Central (03/03/1985)

Estádio: Antonio Carneiro (alagoinhas/BA)

Árbitro: Luis Carlos Antunes (SP)

Renda: Cr$ 3.935.000,00

CATUENSE: Leite, Léo, Lauren, Mirandinha e Tião; Pirulito (Claus), Paulinho e Roquinho (Júnior); Bobô, Vandick e Rocha. Técnico Aymoré Moreira

CENTRAL: Carlinhos, Melo, Paulo César, Timbó e Chiquinho; Zé Alberto, Buíque (Evandro) e Ricardo (Joel); Adauto, Mardoni e Cil. Técnico: Erandir Montenegro

 Bobô e Aymoré, na década de 80, em treino da Catuense. Foto: Arquivo Pessoal

 

*Leandro Paulo Bernardo é Cirurgião Dentista e especialista em futebol nordestino. Pernambucano de Garanhuns, mas criado em Quipapá. Tem o coração dividido entre a Portuguesa e o Santa Cruz 

   

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    42
  • 2 Pal
    39
  • 3 San
    37
  • 4 Int
    33
  • 5 Cor
    32
  • Veja tabela completa