Meia marcou época pelo Colorado e também no Palmeiras e futebol italiano. Foto: Divulgação

Meia marcou época pelo Colorado e também no Palmeiras e futebol italiano. Foto: Divulgação

Chinesinho, o Sydney Colônia Cunha (1935 - 2011), um dos grandes meias da história do Sport Club Internacional, está sendo homenageado pelo clube gaúcho como "Personagem do Mês" no museu que o clube mantém no Beira-rio.

Natural de Rio Grande (RS), onde nasceu em 28 de junho de 1935, Chinesinho chegou ao Inter aos 20 anos de idade, em 1955, procedente do extinto Renner, permanecendo no clube gaúcho com sucesso até 1958, transferindo-se em seguida para o Palmeiras, onde emplacou uma bela sequência de títulos até 1962, quando foi negociado com o Modena, da Itália, passando depois por Catania e Juventus de Turim. Pela Juventus foi campeão da Copa da Itália e do Campeonato Italiano.

Ainda jogou pelo Cosmos de Nova York e encerrou sua carreira no Brasil, pelo Nacional (SP), em 1974.

Sofrendo de Mal de Parkinson, Chinesinho morreu em 16 de abril de 2011, aos 75 anos.

Durante o período em que defendeu o Inter e o Palmeiras, Chinesinho serviu a seleção brasileira, atuando em 20 jogos e marcando três gols.

ÓTIMAS PARCERIAS

Chinesinho formou linhas de ataque espetaculares por Internacional e Palmeiras. Pelo clube gaúcho, atuando ao lado de craques como Bodinho e Larry e, no Palmeiras, formando parceria com Julinho Botelho e Romeiro, entre outros.

CLIQUE AQUI E VEJA A PÁGINA DE CHINESINHO NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Jadir, Valdemar Carabina, Gylmar, Zequinha e Ari Clemente. Agachados: Mário Américo (Massagista), Joel, Dida, Henrique Frade, Chinesinho e Babá


Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Valdir, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: Gildo, Julinho, Geraldo José, Chinesinho e Romeiro. Foto enviada por José Eustáquio Rodrigues Alves, de Patos de Minas


Da esquerda para a direita: Julinho, Romeiro, Américo Murolo, Chinesinho e Géo. Foto: museudosesportes.blogspot.com.br


Peixinho e Chinesinho, na capa da revista. Foto retirada do blog Tardes de Pacaembu


O Botafogo recebeu o Palmeiras em Ribeirão Preto no dia 14 de junho de 1959 e foi derrotado por 2 a 0. O goleiro Machado afasta a bola, pressionado por Chinesinho. Nardo está encoberto no lance. O camisa 2 botafoguense é Egídio, e quase na linha do gol, outro jogador do Bota, Moreno. Foto enviada por Lourival Silvestre


Chenesinho e De Sordi. Foto enviada por Luiz Carlos Ferreira


Da esquerda para a direita, em pé: Jorge dos Santos, Valdir Joaquim de Moraes, Waldemar Carabina, Clóvis, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: Julinho Botelho, Ari, Abílio, Chinesinho e Ênio Andrade. Foto enviada por Roberto Saponari


Em pé, da esquerda para a direita: Oreco, La Paz, Florindo, Lindoberto, Odorico, e Mossoró. Agachados, da esquerda para a direita: Luizinho, Bodinho, Larry, Jerônimo e Chinesinho. Foto enviada por Mário Lopomo


Em pé, da esquerda para a direita: Valdir Joaquim de Moraes, Valdemar Carabina, Édson, Jorge dos Santos, Ivan e Geraldo Scotto. Agachados: Géo, Ênio Andrade, Romeiro, Américo Murolo (autor do único gol da partida) e Chinesinho. Foto enviada pelo internauta Roberto Saponari


Veja no card oficial dados da final contra o Fortaleza, quando Jorge estava entre os titulares


Em 1959. Chinesinho, Valdemar Carabina, Valdir e Ênio Andrade. Foto: arquivo pessoal de Valdir Joaquim de Moraes


Veja que, no dia 03 de abril de 1962, foi publicada uma nota mencionando o nome de Aymoré - então técnico da Seleção Brasileira, teria tido três dentes extraídos pelo Dr. Mário Trigo, na preparação da equipe para o bi mundial. Notícia reproduzida no jornal O Globo em 03/04/2012


Da esquerda para a direita, em pé: Aníbal, Valdemar Carabina, Zequinha, Jorge, Formiga e Geraldo Scotto. Agachados: Julinho Botelho, Paulinho, Nardo, Ênio Andrade e Chinesinho. Foto enviada por Roberto Saponari


Da esquerda para a direita, em pé: Djalma Santos, Gylmar, Bellini, Décio Esteves, Formiga, Coronel e Mário Américo. Agachados: Garrincha, Didi, Paulinho Valentim, Pelé e Chinesinho. Foto enviada por José Alves


Em pé, da esquerda para a direita, Djalma Santos, Valdir, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Jorge. Agachados, da esquerda para a direita, Julinho, Humberto Tozzi, Romeiro, Chinesinho e Cruz. Foto: Reprodução


Acima, mais uma bela imagem do ex-jogador com a camisa do Palmeiras. Foto: Revista do Esporte


Em pé, da esquerda para a direita: Zito, Olavo, Formiga, Getúlio, Zé Carlos e Gylmar. Agachados, da esquerda para a direita: Julinho Botelho, Pelé, Servilho, Chinesinho e Pepe. Foto enviada por Mário Lopomo


Em pé, da esquerda para a direita: Oreco, La Paz, Florindo, Lindoberto, Odorico, e Mossoró. Agachados, da esquerda para a direita: Luizinho, Bodinho, Larry, Jerônimo e Chinesinho. Foto enviada por Mário Lopomo


Em pé, da esquerda para a direita: De Sordi, Dino Sani, Roberto, Victor e Mauro Ramos de Oliveira. Agachados, da esquerda para a direita: Dorval, Jair, Índio, Pelé e Chinesinho. Foto enviada por Mário Lopomo


Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Valdir Joaquim de Moraes, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha, Jorge e Oswaldo Brandão. Agachados:: Julinho Botelho, Humberto, Romeiro, Chinesinho e Cruz. Foto enviada por Mário Lopomo


Chinesinho em mais uma imagem com a camisa do Palmeiras. Foto: Revista do Esporte


Um excelente time do Palmeiras no final dos anos 50. Em pé, da esquerda para a direita: Jorge, Valdir Joaquim de Moraes, Valdemar Carabina, Formiga, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: Julinho Botelho, Nardo, Parada, Ênio Andrade e Chinesinho. Foto: arquivo de Valdir Joaquim de Moraes


Em pé, da esquerda para a direita: Ivan, Valdir Joaquim de Moraes, Valdemar Carabina, Edson, Flávio e Geraldo Scotto. Agachados: o roupeiro Romeu (filho do também roupeiro Tamanqueiro), Paulinho, Romeiro, Américo Murolo, Chinesinho e Géo. Foto: arquivo de Valdir Joaquim de Moraes


Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Valdir Joaquim de Moraes, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados. Julinho Botelho, Nardo, Américo Murolo, Chinesinho e Romeiro. Foto: arquivo de Valdir Joaquim de Moraes


Em 18 de março de 1956 a Seleção Brasileira representada por jogadores do Internacional, Grêmio e Renner enfrentou a Seleção Argentina pelo Pan-Americano. O jogo foi realizado no Estádio Universitário, na Cidade do México. Empate em 2 a 2, gols de Chinesinho e Ênio Andrade. José Yudica e Enrique Sivori marcaram para os argentinos. Na foto da seleção canarinho, em pé, da esquerda para a direita: Valdir Joaquim de Moraes, Oreco, Florindo, Odorico, Ênio Rodrigues e Duarte. Agachados: Luizinho, Bodinho, Larry, Ênio Andrade e Chinesinho. Foto: arquivo de Valdir Joaquim de Moraes


Chinesinho, Valdir Joaquim de Moraes e Ênio Andrade em 1959. Foto: arquivo pessoal de Valdir Joaquim de Moraes


Em 05 de outubro de 1959, Valdir Joaquim de Moraes coloca água na cuia de Chinesinho. Em pé está Geo, e de costas, à direita, Djalma Santos. Eles estão no restaurante de um hotel (repare no bar, ao fundo). E no vidro, à esquerda, o retrato de um homem de terno e gravata, provavelmente uma propaganda política. Foto: arquivo de Valdir Joaquim de Moraes


Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Valdir Joaquim de Moraes, Valdemar Carabina, Flávio, Mané e Geraldo Scotto. Agachados: Geraldo José, Américo Murolo, Vavá, Chinesinho e Cruz. Foto: arquivo de Valdir Joaquim de Moraes


Tarde de frio no Palestra Itália. Chinesinho, Djalma Santos, Valdir Joaquim de Moraes e Julinho Botelho assistem jogo de aspirantes do Palmeiras


Em pé: De Sordi, Dino Sani, Riberto, Gylmar, Vitor e Mauro. Agachados: Mário Américo (massagista), Dorval, Jair, Índio, Pelé e Chinezinho.


Em pé: Oreco, La Paz, Florindo, Lindoberto, Odorico e Mossoró. Agachados: Luizinho, Bodinho, Larry, Jerônimo e Chinesinho


Vejam que belo time do Palmeiras. Em pé, da esquerda para a direita: Aníbal, Valdemar Carabina, Jorge, Waldemar Fiúme, Formiga e Geraldo Scotto. Agachados: Julinho, Paulinho, Nardo, Ênio Andrade e Chinesinho. A foto é do dia 27 de julho de 1958, em jogo contra o Ypiranga, no Estádio Municipal de Santo André, válido pelo primeiro turno do Campeonato Paulista. A vitória foi do Palmeiras por 2 a 0, com gols de Nardo e Ênio Andrade


Em 1999, na festa para os ex-jogadores do Palmeiras, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Chinesinho e Zé Carlos


Em 1999, na festa para os veteranos do Palmeiras. Da esquerda para a direita: Robertinho, Hélio Burini, Chinesinho e Nardo


Na foto toda a delegação brasileira que disputou o Campeonato Panamericano de 1956. Em pé: Aneron, Vanzelotti, Valdir, Aírton, Ortunho, Duarte, Florindo, Sérgio, Ênio Rodrigues, Odorico, Sarará, Figueiró, Oreco, Paulinho, Gama Malcher, Miguel Lardiez e Derly Monteiro. Agachados: Biscardi, Moura, Chinesinho, Hercílio, Milton, Luizinho, Bodinho, Larry, Juarez, Ênio Andrade, Raul Klein e Chicão. Fotos crédito: 1956, uma epopéia gaúcha- Livro de Eduardo Valls


Seleção Paulista, 1960. Da esquerda para a direita: Rosan (encoberto), Gylmar, Ditão, Servilio, Lima, o técnico Aimoré Moreira, Bazani, Buzzone, Egídio, Pelé, Chinesino, Juths, Pepe, Dorval, Mário, Coutinho e Zito.


Um belo time do Palmeiras. Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, Valdir Joaquim de Morais, Edson, Valdemar Carabina, Flávio e Geraldo Scotto. Agachados:o roupeiro Romeu, Julinho, Parada, Romeiro, Ênio Andrade e Chinesinho


Seleção brasileira com Djalma Santos, Zito, Bellini, Nilton Santos, Vitor e Gilmar em pé e Mário Américo, Garrincha, Chinesinho, Pelé, Quarentinha e Pepe


No final dos anos 50, Vasco e Santos eram a base da seleção brasileira com o "reforço" do Botafogo. Em pé: Djalma Santos, Castilho, Bellini, Formiga, Orlando e Coronel. Agachados: Garrincha, Didi, Almir, Pelé, Chinesinho e Mário Américo.


Era o grande ataque palmeirense de 1958


Na Itália, em julho de 1974, o último encontro do saudoso Nelson Tadini Duque, marcante dirigente do Palmeiras, e o craque Chinesinho. E quem seria a simpática senhora da foto?


Em pé na foto: Valdir Joaquim de Moraes, Oreco, Florindo, Odorico, Ênio Rodrigues e Duarte; Agachados: Luizinho, Bodinho, Larry, Ênio Andrade, Chinesinho e o massagista Biscardi.


Chinesinho, Djalma Santos e Dorval, em 1959, na seleção brasileira.


Esta foto maravilhosa é a única em que Ademir da Guia, o Divino, aparece em pé em uma formação de time de futebol. Antigamente, goleiro, zagueiros e volantes posavam sempre em pé, enquanto os atacantes e meias sempre sorriam para as câmeras agachados. Portanto, a foto acima é emblemática e prova o tanto que Chinesinho, então dono da camisa 10 do Verdão, era bom de bola. Como Ademir, em 1962, havia acabado de chegar do Bangu e já arrebentava nos treinos, foi escalado como volante na ocasião em que esta foto foi tirada, no Pacaembu. Então, olhe bem, curta e saboreie o gênio loiro em uma posição "tão estranha". Em pé vemos Valdemar Carabina, Valdir, Ademir da Guia, o mestre maior, Aldemar, Tiburcio e Jurandir; agachados estão Gildo, Américo Murolo, Vavá, Chinesinho e Geraldo José. O mascote que está segurando a bola de capotão é Mauro Beting, ainda com cabelos naturais. Hoje ele é jornalista esportivo e tem 33 empregos. Já Ademir tornou-se vereador.


Da esquerda para a direita, Valdir, Aldemar, Julinho, Waldemar, Américo, Djalma Santos, Geraldo,Romeiro, Géo, Chinesinho e Zequinha. Foto crédito: "Romeiro, o sputinik brasileiro", livro de Antônio Carlos Meninéa


Agora, a foto daquele time de 59 em preto e branco. Em pé: Djalma Santos, Valdir, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: Julinho Botelho, Nardo, Américo Murolo, Chinesinho e Romeiro


Foto do dia 10 de janeiro de 1960, quando o Palmeiras decidiu o Supercampeonato paulista de 1959 com o Santos, de Pelé, do goleiro Laércio e companhia. O Rei fez para o Santos. Mas Julinho Botelho e Romeiro, de falta, marcaram os gols da virada palmeirense e do título da competição. O Palmeiras era dirigido por Oswaldo Brandão. Acima, os 11 titulares alviverdes (mais o roupeiro Romeu) daquele dia. Em pé: Djalma Santos, Valdir Joaquim de Moraes, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: roupeiro Romeu, Julinho Botelho, Nardo, Américo Murolo, Chinesinho e Romeiro. Era um timaço!


Larry, Chinesinho e Bodinho: companheiros de ataque no Inter e amigos fora de campo


Na foto, até a saudosa Concha Acústica do Pacaembu é maravilhosa. Em pé: Zito, Olavo, Formiga, Getúlio, Zé Carlos Silvério e Gylmar. Agachados: Julinho, Pelé, Servílio, Chinesinho e Pepe. Era o campeonato brasileiro de seleções de 1959. Esse time ganhou de Pernambuco por 3 a 1 em jogo dirigido por Argemiro Félix de Sena, que expulsou Zito. A Seleção Pernambucana, treinada pelo lendário Gentil Cardoso, jogou e perdeu com: Waldemar, Geroldo, Edson, Clóvis e Givaldo; Zé Maria e Geraldo Caçapa; Traçaia, Zé de Melo, Paulo e Oswaldo.


A foto é do dia 29 de junho de 1960, no Maracanã, quando o Brasil goleou o Chile por 4 a 0. Em pé: Djalma Santos, Bellini, Gylmar, Nilton Santos, Orlando e Écio. Agachados: Mário Américo, Garrincha, Chinesinho, Vavá, Dida, Zagallo e Pai Santana.


Em pé: Djalma Santos, Valdir, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: um massagista, Gildo, Américo Murolo, Vavá, Chinesinho e Goiano.


O ex-craque também foi homenageado pelo Internacional de Porto Alegre, em pleno Beira-Rio.


Veja Chinesinho em maio de 2006, quando os heróis gaúchos do Campeonato Pan-Americano de 1956 receberam justa homenagem do mundo esportivo e político do Rio Grande do Sul. Mas, a CBF, nenhuma atenção deu ao evento.


A foto histórica mostra uma excursão da Seleção Paulista de futebol, que viajou pela Europa em 1960. São jogadores e jornalistas que, em sua maioria, você nunca tinha visto tão novinhos. Primeira fila, em cima: Servilio, Jutz, Egídio, Olavo, Rosan, Gylmar, Pelé e o locutor esportivo Geraldo José de Almeida. Na segunda fila, no meio: um jogador não identificado, Flávio Iazetti (jornalista calvo), Oreco, João Mendonça Falcão (ex-presidente da Federação Paulista de Futebol), Zito, Buzzone, o técnico Lula, Aimoré Moreira (de óculos escuros) e um cartola não identificado. Na terceira fila, em baixo, estão: Chinesinho, o jornalista Álvaro Paes Leme, o tesoureiro, Lima, Pepe (que topete, hein?), Tite, o filho do massagista Mário Américo, Coutinho, Ditão e Dorval. Os três são Dudu, Leônidas da Silva e o motorista do ônibus.


Em pé: Djalma Santos, Valdir, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: Gildo, Américo Murolo, Vavá, Chinesinho e Goiano.


Da esquerda para a direita estão: Djalma Santos, Zequinha, Aldemar, seu irmão Ismar, um jogador não identificado, Valdir Joaquim de Moraes e Chinesinho.


Da esquerda para a direita: Dorval, Chinesinho, Buzzone, Pelé e Pepe.


Em pé: De Sordi, Dino Sani, Riberto, Gylmar, Vitor e Mauro Ramos de Oliveira. Agachados: Dorval, Jair Rosa Pinto, Índio, Pelé e Chinesinho.


O Brasil já era campeão do mundo e vejam o amadorismo (ou pobreza?) das camisas. Observem que são três tipos diferentes de camisa para treino. Ou seria jogo mesmo? Em pé: Djalma Santos, Bellini, Dino Sani, Geraldo Scotto, Vitor e Gylmar. Agachados: Julinho Botelho, Almir, Chinesinho, Delem e Roberto.


Chinesinho em foto de maio de 2001 com seu troféu Melhores do Esporte


Essa foto foi tirada minutos antes de um clássico entre Palmeiras e Portuguesa, disputado no dia 21 de setembro de 1958, no Pacaembu. O jogo foi válido pelo primeiro turno do Paulistão daquele ano. O Verdão, comandado por Oswaldo Brandão, perdeu por 2 a 1. Em pé, da esquerda para a direita: o goleiro Aníbal, Valdemar Carabina, Zequinha, Ivan, Jorge e Geraldo Scotto. Agachados: roupeiro Romeu, Ary Valério, Paulinho, Ênio Andrade e Chinesinho.


Antes de chegar ao Palmeiras, Chinesinho envergou a camisa do Inter de Porto Alegre (RS). Atuou pelo Colorado de 1955 a 57.


Aqui está uma das formações da Seleção Brasileira de 1959, na cidade de Atibaia-SP. Em pé: Djalma Santos, Bellini, Dino Sani, Geraldo Scotto, Vítor, Gilmar e Vicente Feola. Agachados: Mário Américo, Julinho Botelho, Almir, Chinesinho, Delém e Roberto. O mascote da foto, esse garotinho agachado, é o advogado Antonio Carlos Sandoval Catta-Pretta.


Chinesinho foi jogador do Inter-RS entre 1955 e 1958. Foto: História do S.C. Internacional


Da esquerda para a direita.: Luizinho, Bodinho, Larry, Ênio Andrade e Chinezinho. Foto: site oficial do Internacional atacantes da seleção gaucha que representou o Brasil no Pan-Americano de 1956, no México

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa