Leclerc teve um começo promissor pelo time italiano, mas foi superado por Verstappen. Foto: Divulgação

Leclerc teve um começo promissor pelo time italiano, mas foi superado por Verstappen. Foto: Divulgação

Afinal, será que a Ferrari foi "fogo de palha" no início da temporada deste ano na Fórmula 1 ou ainda poderá retomar a liderança da Red Bull?

Com 15 etapas restantes, sendo a próxima programada para o dia 12 de junho, quando acontece o GP do Azerbaijão, em Baku, conversamos com seis jornalistas especializados para que eles avaliassem a situação do campeonato com base na pergunta.

Ouvimos as opiniões de Alessandra Alves (comentarista da BandNews-FM), Castilho de Andrade (Diretor de Imprensa do Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula 1), Claudio Carsughi (site e blog do Carsughi), Nathalia de Vivo (editora do site F1 Mania), Priscila Cestari (jornalista e produtora) e Rodrigo Mattar (comentarista da TV Cultura e escritor, autor dos livros "Saudosas Pequenas" e "Quase Heróis").

Os seis jornalistas (em ordem alfabética) que opinaram acerca da pergunta proposta: Alessandra Alves, Castilho de Andrade, Claudio Carsughi, Nathalia de Vivo, Priscila Cestari e Rodrigo Mattar

CONTEXTUALIZANDO...

Depois de começar melhor o Mundial de Fórmula 1, a Ferrari viu a rival Red Bull progressivamente recuperar terreno, para hoje, após sete etapas, liderar tanto entre os pilotos (com Max Verstappen), como na taça de construtores.

Com a Mercedes aparentemente fora de combate, em razão de seu problemático W13, carro que, no comparativo ao das equipes líderes foi aquele que menos qualidades apresentou com o novo regulamento técnico, Ferrari e Red Bull despontaram como francas favoritas neste ano, primeiro com Leclerc e depois com Verstappen.

Os três primeiros GPs evidenciaram uma Ferrari consistente e confiável - ratificando a alvissareira pré-temporada -  contra uma Red Bull claudicante, com duas quebras de Verstappen, fazendo com que o monegasco Leclerc animasse a torcida ferrarista com boa margem sobre o holandês campeão de 2021.

Porém, agora, após o GP de Mônaco, sétima etapa do campeonato, Max Verstappen se sedimentou na liderança com 125 pontos, nove à frente de Leclerc. E, para incômodo do time de Maranello, o mexicano Sergio Pérez, vencedor da etapa nas ruas do Principado, se aproximou de Leclerc, com 110.

Entre os construtores, a Red Bull tem uma sólida frente, com 235 pontos contra 199 da Ferrari. A fase positiva de Pérez, contrastando com jornadas infelizes de Sainz, justifica esse placar entre os times que hoje protagonizam o Mundial.

Se Leclerc vem se destacando nas poles, com cinco, enquanto Pérez e Verstappen contabilizam uma cada, em corridas a situação é favorável ao holandês, que soma quatro triunfos contra dois do monegasco e um do mexicano.

Vale ressaltar que a Ferrari está em um jejum de títulos de pilotos desde 2007 (ano em que o finlandês Kimi Räikkönen foi campeão) e de construtores desde 2008, quando a dupla do time italiano era formada por Räikkönen e Felipe Massa.

ABAIXO, AS OPINIÕES DOS JORNALISTAS, EM ORDEM ALFABÉTICA

ALESSANDRA ALVES - COMENTARISTA DA BANDNEWS-FM (@alvesalessandra)

A Ferrari não me parece definitivamente superada pela Red Bull neste campeonato. A equipe italiana dominou a pré-temporada e as primeiras corridas do atual Mundial, enquanto a Red Bull enfrentava problemas de confiabilidade. Superada a questão das falhas, o time austríaco conquistou quatro vitórias consecutivas, mas a Ferrari segue como um carro extremamente rápido nas classificações. O ponto-chave, na minha opinião, está na evolução dos dois carros. Enquanto a Red Bull está mais próxima do teto de gastos, tendo inclusive levado atualizações para pistas como Mônaco, a Ferrari ainda tem mais recursos para gastar ao longo da temporada, e parece ter optado por evoluir o carro em pistas nas quais atualizações aerodinâmicas realmente façam maior diferença, como Canadá e Inglaterra. 

CASTILHO DE ANDRADE - DIRETOR DE IMPRENSA DO GRANDE PRÊMIO DE SÃO PAULO DE FÓRMULA 1 (@deandradecastilho)

A Ferrari pegou a Red Bull no contrapé no começo da temporada, dando a impressão - inclusive para Max Verstappen - que a disputa estava nas mãos da Casa de Maranello. Raciocínio precipitado. Que a Ferrari trouxe um carro bem superior aos dos últimos anos é um fato. A questão, entretanto, é que, além de um carro confiável e eficiente, um título da F1 implica também em uma equipe ajustada, engenheiros que não vacilam no trabalho de box e a ordem de comando não pode falhar. A Ferrari venceu o Mundial de Construtores, pela última vez, em 2007 e 2008 e a Red Bull continua rápida e precisa nas decisões. O desafio da Ferrari é compensar essa falta de cancha e de malícia nos momentos mais cruciais das corridas. 

CLAUDIO CARSUGHI - SITE E BLOG DO CARSUGHI (@claudiocarsughi)

A disputa do Mundial de Pilotos, bem como a da Copa de Construtores, está sob o aspecto comercial ainda mais importante pois é em função de seu desfecho que se divide o "bolo" financeiro do certame, só será definida, em minha opinião, nas corridas finais do campeonato. Existe um equilíbrio técnico entre os dois carros que, embora de concepções bem diferentes, tem desempenhos semelhantes. Assim este atual equilíbrio só poderia ser rompido caso um dos dois carros apresentasse sensíveis e positivos desenvolvimentos ao longo do Mundial, coisa neste momento impossível de prever. O conceito técnico da Ferrari baseia-se em bom grip em curvas, permitindo ao piloto acelerar antes do que pode fazê-lo o piloto da Red Bull que, porém, goza de uma diferente aerodinâmica e portanto de uma maior velocidade em reta. Estes conceitos poderão ser incrementados ao longo do Mundial, mas não totalmente modificados, pois isso envolveria a construção de um novo carro. Em função disso, acredito na manutenção do atual equilíbrio, tornando impossível, a não ser aos mais apaixonados torcedores, emitir um prognóstico que não seja oriundo da paixão. 

NATHALIA DE VIVO - EDITORA DO SITE F1 MANIA (@itsmenathi) 

A Ferrari começou a temporada muito superior. Não só a equipe e o carro, mas também Charles Leclerc, que tem mostrado estar no ápice de seu desempenho na Fórmula 1. Acontece que a equipe de Maranello tem pecado muito com erros de estratégias, problemas no carro e também problemas com os pilotos – Carlos Sainz e o monegasco já erraram esse ano. Enquanto isso, encaram uma Red Bull arrojada nas estratégias e um Max Verstappen guiando fino e que não erra. Portanto, acho, sim, que a Ferrari tem total chance de conseguir reassumir a primeira colocação da classificação, mas precisa voltar a forma das primeiras etapas, pois agora está com a moral abalada e a adversária austríaca está com dois pilotos muito fortes e parece estar melhor dos problemas de confiabilidade das primeiras provas.  

PRISCILA CESTARI - JORNALISTA - PRODUTORA (@priscilacestari)

Acredito que a Ferrari tinha duas pistas muito favoráveis para se manter na liderança, Barcelona e Mônaco. Mas com o abandono de Leclerc na Espanha, as confusões na estratégia dos pits, além de ter ficado na segunda e quarta posições na última etapa, a equipe pode ter começado a comprometer o campeonato. Estamos indo para a oitava etapa e, enquanto isso, a Red Bull aproveita para abrir 36 pontos de vantagem para a Ferrari. 

RODRIGO MATTAR - COMENTARISTA DA TV CULTURA E ESCRITOR, AUTOR DOS LIVROS "SAUDOSAS PEQUENAS" E "QUASE HERÓIS" (@rodrigomattar42)

Quando o campeonato começou esse ano, dava a entender que a Ferrari tinha sobra em relação às adversárias, e os testes de pré-temporada indicavam isso. Mas, a partir do momento em que o campeonato começa, a Red Bull já mostrou toda a sua força. Ela tem o piloto campeão mundial e, pelos resultados demonstrados até agora, em que também o Sergio Pérez venceu, como aconteceu em Mônaco, a Red Bull está mais bem distribuída em termos não só de performance, como de carro e talvez até em dupla de pilotos, porque o Pérez `entrega´ melhor que o Carlos Sainz, e os resultados do campeonato estão demonstrando, em que pese o Carlos Sainz ser rápido em treinos e o Charles Leclerc também. Mas eu acho, que além de tudo, o que está faltando à Ferrari, mais do que performance, são estratégias e consistência. Sobretudo a Red Bull encontrou essa consistência depois das falhas técnicas no começo do ano e, repito, tem o piloto campeão mundial e um segundo piloto muito bom. O que faz a diferença em uma temporada que parece polarizada entre duas escuderias, os rubro-taurinos estão levando vantagem nesse momento. Então, dizer que a Ferrari é fogo de palha, não, não creio que tenha sido, apenas a Red Bull está demonstrando o quão ela teoricamente é superior em relação ao construtor italiano. E é uma pena que a temporada esteja sendo restrita a apenas dois construtores e não a três ou mais, como a gente esperava que seria com uma mudança de regulamento tão radical como essa que vimos para 2022. 

CALENDÁRIO COMPLETO DO MUNDIAL DE FÓRMULA 1 EM 2022

ETAPAS REALIZADAS

1ª - 20/03/2022 – GP do Bahrein – Sakhir – Pole de Charles Leclerc (1min30s558) - Vitória de Charles Leclerc 
2ª - 27/03/2022 – GP da Arábia Saudita – Jedá – Pole de Sergio Pérez (1min28s200) - Vitória de Max Verstappen
3ª - 10/04/2022 – GP da Austrália – Melbourne – Pole de Charles Leclerc (1min17s868) - Vitória de Charles Leclerc
4ª - 24/04/2022 – GP da Emília-Romanha – Ímola – Pole de Max Verstappen (vencedor da Sprint) - Vitória de Max Verstappen
5ª - 08/05/2022 – GP de Miami – Miami (EUA) – Pole de Charles Leclerc (1min28s796) - Vitória de Max Verstappen
6ª - 22/05/2022 – GP da Espanha – Barcelona – Pole de Charles Leclerc (1min18s750) - Vitória de Max Verstappen
7ª - 29/05/2022 – GP de Mônaco – Monte Carlo – Pole de Charles Leclerc (1min11s376) - Vitória de Sergio Pérez

ETAPAS RESTANTES

8ª - 12/06/2022 – GP do Azerbaijão – Baku – 
9ª - 19/06/2022 – GP do Canadá – Montreal – 
10ª -03/07/2022 – GP da Inglaterra – Silverstone – 
11ª -10/07/2022 – GP da Áustria – Red Bull Ring / Spielberg – 
12ª -24/07/2022 – GP da França – Paul Ricard – 
13ª -31/07/2022 – GP da Hungria – Hungaroring / Budapeste – 
14ª -28/08/2022 – GP da Bélgica – Spa-Francorchamps – 
15ª -04/09/2022 – GP da Holanda – Zandvoort – 
16ª -11/09/2022 – GP da Itália – Monza – 
17ª -02/10/2022 – GP de Singapura – Marina Bay – 
18ª -09/10/2022 – GP do Japão – Suzuka – Horários
19ª -23/10/2022 – GP dos EUA – COTA / Austin – 
20ª -30/10/2022 – GP do México – Cidade do México – 
21ª -13/11/2022 – GP de São Paulo – Interlagos / Brasil – 
22ª -20/11/2022 – GP de Abu Dhabi – Yas Marina –  

  

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A HOME DE AUTOMOBILISMO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O CANAL DO BELLA MACCCHINA NO YOU TUBE

 

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa