Britânico supera Fangio e fica a um título de Schumacher. Foto: Mercedes-AMG F1

Britânico supera Fangio e fica a um título de Schumacher. Foto: Mercedes-AMG F1

O britânico Lewis Hamilton, de 34 anos, conquistou neste domingo (3), em Austin, no GP dos Estados Unidos, seu hexacampeonato na Fórmula 1, a bordo do carro #44 da Mercedes, categoria pela qual estreou em 2007, então pela McLaren.

Com o triunfo, Lewis supera o argentino Juan Manuel Fangio (cinco vezes campeão) e fica a um título do alemão Michael Schumacher.

Hamilton terminou a prova texana na segunda colocação, após largar em quinto e se empenhar bastante no início para logo subir ao terceiro lugar. A vitória acabou sendo de Valtteri Bottas, seu companheiro de equipe na Mercedes, mas o resultado só adiaria a conquista do título caso Hamilton terminasse da nona posição para trás. Foi a sétima vitória de Bottas na Fórmula 1.

Hamilton chegou a 381 pontos e Bottas a 314. A Mercedes, que já havia garantido o título entre os construtores, está com 695 pontos. A Ferrari, segunda colocada, soma 479.

No pódio, ao lado dos dois pilotos da Mercedes, Max Verstappen, que levou a Red Bull ao terceiro lugar em um dia de jornada apagada da Ferrari, quarta colocada com Charles Leclerc (a pouco mais de 52 segundos de Bottas) e sem Sebastian Vettel recebendo a bandeira quadriculada, após quebra da suspensão traseira direita no começo da prova. 

PRÓXIMA ETAPA

Em duas semanas, no dia 17 de novembro, acontece a penúltima etapa do campeonato, o GP do Brasil, em Interlagos. No ano passado a pole foi de Hamilton, com 1min07s281. O mesmo Hamilton venceu a prova, seguido por Verstappen e Raikkonen.

CLASSIFICAÇÃO FINAL DO GP DOS ESTADOS UNIDOS - AUSTIN (TEXAS)

TRAJETÓRIA DE LEWIS HAMILTON NA F1

Apadrinhado por Ron Dennis na McLaren desde os 12 anos de idade, Lewis Hamilton assinou contrato com a equipe inglesa no final de 2006, logo após o time de Woking ter dispensado seus dois pilotos: o finlandês Kimi Raikkonen e colombiano Juan Pablo Montoya.
 
Formou uma dupla explosiva com Fernando Alonso na temporada de 2007, travando uma batalha intensa com o espanhol.
 
Seu começo de temporada foi eletrizante, subindo ao pódio logo em sua estreia (terceiro lugar) no GP da Austrália, em Melbourne, e depois emplacando uma série de nove pódios consecutivos, incluindo três vitórias, a primeira de sua carreira na F1 em Montreal, no Canadá. Em 2007 ainda venceu mais três provas: Estados Unidos, Hungria e Japão, fechando a temporada com o mesmo número de vitórias de Alonso (quatro) e mesmo número de pontos, mas ainda assim à frente do companheiro de equipe, pelo critério de desempate.
 
A rivalidade interna entre seus dois pilotos custou o título de pilotos para a McLaren, que viu o finlandês Kimi Raikkonen, em seu primeiro ano na Ferrari, levantar o campeonato daquele ano.
 
Claramente empolgada com o desempenho do inglês, a McLaren não dificultou a rescisão de contrato de Alonso, que retornou à Renault. O finlandês Heikki Kovalainen formou a dupla com Hamilton na McLaren em 2008.

A explosiva dupla da McLaren em 2007, com Hamilton e Alonso. Foto: Divulgação/McLaren

 
Hamilton começou o ano de 2008 em alta, vencendo o GP da Austrália e travando desta vez uma disputa intensa com o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari. Na última prova da temporada, em Interlagos, Massa precisava vencer para ficar com o título e Hamilton não poderia obter algo melhor que um sexto lugar, mas na subida dos boxes, estando em sexto, o inglês superou Timo Glock, da Toyota e terminou em quinto, um ponto à frente do brasileiro, tornando-se campeão mundial de 2008.

A McLaren de Lewis Hamilton, à frente, logo após superar o alemão Timo Glock, da Toyota, no GP do Brasil de 2008, em Interlagos, na última volta, quando conquistou seu primeiro título mundial. Ele terminou em quinto lugar e fechou o campeonato com um ponto de vantagem sobre Felipe Massa, então na Ferrari, o vencedor da prova. Foto: Reprodução

Depois, ainda na McLaren, entre 2009 e 2011, ficou sempre entre os cinco primeiros no Mundial de Pilotos (quinto em 2009, quarto em 2010 e quinto em 2011).
 
Algumas instabilidades fora das pistas, como o rompimento nas relações profissionais com seu pai Anthony Hamilton e desentendimentos com sua namorada, acabaram refletindo em seus resultados nas pistas.
 
Em 2012, mesmo lutando pelo título, começaram os boatos de um possível acordo com a Mercedes. Após o treino de classificação para o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, polemizou ao publicar em seu Twitter a telemetria de seu carro e o de Button, este com uma asa traseira nova, não utilizada por ele.
 
Em 28 de setembro de 2012 a Mercedes anunciou Lewis Hamilton como companheiro de equipe de Nico Rosberg para a temporada de 2013, na vaga do heptacampeão Michael Schumacher. Para a vaga de Hamilton, a McLaren oficializou a contratação do mexicano Sergio Pérez, da Sauber.
 
Conquistou o título mundial de pilotos em 2014, após vencer o GP de Abu Dhabi, superando o companheiro de equipe Nico Rosberg, que teve problemas mecânicos em sua Mercedes e foi o 14º na prova.
 
Em 25 de outubro de 2015, após 16 etapas, conquistou seu terceiro título mundial, ao vencer o GP dos Estados Unidos, em Austin.
 
Em 2016, travando uma luta interna na Mercedes com Nico Rosbeg, acabou derrotado pelo alemão, que ficou com o título e logo em seguida anunciou sua aposentadoria. Hamilton iniciou a temporada de 2017 tendo como companheiro de equipe o finlandês Valtteri Bottas, que deixou a Williams.
 
Em 2017, tendo como forte adversário o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, Hamilton conseguiu seu quarto título na F1, em 29 de outubro, no GP do México, disputado no circuito Hermanos Rodriguez, ocasião em que terminou em nono.
 
Em 2018, após um melhor começo de temporada de Sebastian Vettel (Ferrari), Hamilton passou a dominar o campeoanto, não apenas por seus próprios méritos mas também pela melhora técnica do carro da Mercedes e os erros de Vettel e da própria Ferrari.
 
Garantiu seu pentacampeonato na F1 em 28 de outubro de 2018, no GP do México, quando terminou a prova na quarta colocação. 
Em 3 de novembro de 2019 conquistou seu hexacampeonato na F1, no GP dos Estados Unidos, em Austin, prova que terminou em segundo lugar, com a Mercedes. A vitória foi de Valtteri Bottas, seu companheiro de equipe.
 
 
 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa