Na primeira etapa do campeonato, o time ficou de fora das semifinais pelo excesso de empate

Na primeira etapa do campeonato, o time ficou de fora das semifinais pelo excesso de empate

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

Evair, ídolo palmeirense, está revoltado com o futebol do Piauí. Demitido após sua primeira derrota no Campeonato Estadual, o ex-atacante deixou o River com o sentimento de frustração e de impotência por não poder fazer nada para concretizar seus planos.

Pior do que isso, o ex-atleta afirma que chegou a ouvir ameaça de ser preso. Em entrevista ao UOL Esporte, ele explicou os detalhes da confusão que marcaram a sua demissão após a derrota do River por 2 a 1 diante do Parnahyba, pela primeira rodada do 2º turno. Na primeira etapa do campeonato, o time ficou de fora das semifinais pelo excesso de empate. Em sete jogos, foram cinco igualdades e apenas dois triunfos.

Apesar de todas as decepções e de chegar a se ver em uma situação de várzea, o artilheiro afirmou que seguirá firme no seu plano de continuar trabalhando como treinador de futebol.

Confira a entrevista de Evair ao UOL Esporte:

UOL Esporte: Pudemos acompanhar pela imprensa do Piauí que você foi demitido depois de fazer gesto obsceno para a torcida e de armar uma confusão em campo. Qual a sua versão para o caso?
Evair: O gesto foi obsceno sim, não foi para a torcida. Eu fiz para o quarto árbitro. Todo meu xingamento foi direcionado à arbitragem. Nada contra a torcida. Aliás, foi um erro meu, eu não poderia ter feito esses gestos. A pessoa que menos tinha culpa era o árbitro. Eu me arrependo. Na verdade, você deve ter mais ou menos visto e imaginado que eu falei. Eu falei que ele deveria ser mais homem para poder apitar.

UOL Esporte: Mas você saiu brigado com o presidente ou com a diretoria?
Evair: Isso não teve nada, ele (presidente) foi sensacional comigo. Eles não me deram o apoio que eu precisava logo após o jogo. Não tinha nenhum diretor do River na hora do incidente. Porque cuspiram em mim antes da partida e cuspiram depois. Foi aí que deu a confusão. Eu fui falar para o delegado da partida, que, aliás, já foi treinador do River... Você vê a minha situação. Ele foi treinador do River tempos atrás, cuspiram na gente e eles não fizeram nada. Nisso o policial tomou as dores e ele quis me prender.

UOL Esporte: Mas qual a alegação dele para te prender?
Evair: Ele falou que era para eu ficar no vestiário, se não eu ia ser preso. Eu poderia assistir à partida (da arquibancada). Mas o abuso da autoridade foi tanto que eu tive que ficar dentro do vestiário, sem poder sair. E depois vi o cara dando entrevista dizendo que eu causei tudo aquilo. A pessoa está lá para evitar a violência e quem estava mais querendo violência era ele. Agora, ele saiu como vítima. Infelizmente tive que passar por essa na vida e não pude responder. Gostaria de ter dado a entrevista lá. Gostaria de ter ido na delegacia dar queixa, mas não tinha ninguém da diretoria para ir comigo. Esses caras têm de prender ladrão. Aí acabaram me demitindo. A arbitragem lá é muito ruim e o que causou tudo isso foi a arbitragem. A Federação do Piauí não faz nada para evitar isso.

UOL Esporte: O que aconteceu exatamente com a arbitragem?
Evair: A arbitragem é muito ruim. No jogo anterior, eu já tinha sido expulso. Porque ele deu pênalti e voltou atrás e ninguém falou nada. A imprensa lá tem medo de falar as coisas, falar a verdade contra a federação. Chega uma hora que você reage. Imagina tomar cusparada na cara? Depois do jogo eu resolvi reagir. Queria ter 30 segundos com quem estava cuspindo em mim. Mas acho que seria pior, eu seria preso.

UOL Esporte: Os relatos que você passa parecem algo de futebol de várzea...
Evair: O delegado que foi treinador do River não fazia nada. A gente falava com ele e nada acontecia. Eu agradeço a Deus de não ter sido preso. Me colocaram no vestiário com ameaça de ser preso. Se eu saísse, eu ia ser preso. Ele falava que eu estava agitando a massa. Depois do jogo, eu vi o policial batendo a mão com os jogadores, sabe, batendo a mão no alto, comemorando? Hoje a gente dá risada, mas na hora...

UOL Esporte: Você já rodou muito pelo Brasil como jogador. Esse é o pior lugar que você já viu para jogar futebol?
Evair: Não sei se é o pior. Mas agora eu sei o motivo de eles estarem onde estão. Se eles estão nesta maneira, não é por acaso. Na final do primeiro turno, teve um jogador que saiu e só faltou tomar pedrada. E a Federação do Piauí não fez nada. Mas a CBF fez. Na Copa do Brasil o campo está interditado. Nunca vi um campo tão ruim. Por isso que o Piauí está nesta situação no futebol brasileiro. O único time que tem condição de representar o Piaui é o River. Meu objetivo era trazer o River para a série C ou B do Brasileiro. Eu queria ter ficado dois anos lá.

UOL Esporte: Você se arrepende de ter ido para o Piauí?
Evair: Não me arrependo. Eu conheci pessoas maravilhosas. O presidente do River é uma excelente pessoa. Tem projetos muito bons para o River. O que atrapalha é a Federação. É tudo contra o River. Ou eu tomo cusparada e enfio o rabo debaixo das pernas e vou embora ou reajo. Infelizmente eu tive que tomar essa atitude.

UOL Esporte: E o que você quer para o futuro?
Evair: Quero ser treinador. É um projeto de vida. Se for possível, se tiver oportunidade, a gente vai, sim, trabalhar com isso.

Foto: UOL

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa