Com o triunfo, a equipe do técnico Jorge Jesus foi a 20 pontos

Com o triunfo, a equipe do técnico Jorge Jesus foi a 20 pontos

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

O torcedor rubro-negro lotou o Maracanã e viu a estreia do lateral-direito Rafinha, mas quem brilhou na manhã de hoje (14) foi Arrascaeta. O meia uruguaio comandou o time rubro-negro na goleada por 6 a 1 sobre o Goiás ao marcar três gols e ainda dar três assistências. A partida contou também com a `Lei do ex´, e em dose dupla. Bruno Henrique, que já atuou no Esmeraldino, fez o terceiro do Flamengo, enquanto Kayke, que já defendeu a equipe da Gávea, marcou para o Goiás.

Com o triunfo, a equipe do técnico Jorge Jesus foi a 20 pontos, três a menos que o vice-líder Santos e seis atrás do líder Palmeiras. Enquanto isso, o Goiás permanece com 15. Na próxima rodada, o Flamengo encara o Corinthians, na Arena Corinthians, enquanto o Esmeraldino visita o Avaí.

O MELHOR - ARRASCAETA

Arrascaeta teve uma manhã iluminada e foi o nome da partida. O meia uruguaio balançou a rede três vezes e ainda deu três assistências - duas para Gabigol e uma para Bruno Henrique. O jogador foi umas das armas da equipe de Jorge Jesus para "quebrar" a linha defensiva que o adversário estava impondo.

O meia conseguiu trocar passes e criar oportunidades em triangulações que envolveram, principalmente, Trauco e Bruno Henrique, fazendo a diferença nas jogadas ofensivas.

O PIOR - Yago

O time todo do Goiás teve dificuldades em conseguir realizar as jogadas e o sistema defensivo se mostrou envolvido pela troca de passes do Flamengo. O zagueiro Yago não esteve no melhor dia e cometeu alguns equívocos na movimentação.

RAFINHA ESTREIA

O lateral-direito Rafinha, que estava no Bayern de Munique, da Alemanha, fez a primeira partida com a camisa do Flamengo. O jogador foi titular e logo no começo do jogo fez uma jogada que levantou a torcida, ao dar dois `balõezinhos´ e uma sequência de toques de cabeça.

No decorrer da partida, o jogador foi bastante celebrado pelos rubro-negros presentes e foi bastante aplaudido ao ser substituído por Rodinei, no segundo tempo.

FLAMENGO COMANDA AÇÕES

Com Arão de primeiro volante e uma formação ofensiva, o Flamengo comandou o ritmo do jogo. As triangulações pelas alas funcionaram e diversas oportunidades foram criadas desta forma. A equipe apostou no volume de jogo, nas trocas de passes `na vertical´ e na marcação pressão para conseguir conquistar os três pontos. O time de Jorge Jesus se encontrou e foi soberano na partida, quase não levando sustos.

Por outro lado, ainda faltam ajustes defensivos. A linha de marcação alta causou certos problemas contra um adversário que decidiu atuar mais fechado, explorando a velocidade. Além de uma bola na trave de Michael, houve também o lance em que Diego Alves teve de sair do gol para salvar.

GOIÁS APOSTA NA VELOCIDADE

A estratégia do Goiás foi explorar a velocidade pelas pontas. O time colocou em prática uma marcação `mais povoada´ na intermediária e acionou o trio de ataque, aproveitando a marcação alta do Flamengo. Uma arma para isso também foram as reposições do goleiro Tadeu, que conseguiu achar os atacantes e transformar a saída de bola em chances de gol (em uma delas, Michael acertou a trave).

Na volta do segundo tempo, porém, após a vantagem construída pelo time rubro-negro no fim da etapa final, a equipe ficou mais acuada e pouco conseguiu avançar ao campo de ataque.

JOGO

Em casa, o Flamengo começou a partida a todo vapor, empurrando o adversário para o campo de defesa. Assim, não demorou a balançar a rede. Logo aos cinco minutos, após recuperação de bola e saída rápida, Arrascaeta recebeu na área e bateu no canto de Tadeu. Apesar do domínio rubro-negro, o Goiás não demorou a chegar ao empate. Em uma falha de Rodrigo Caio ao tentar recuar para o goleiro Diego Alves, o atacante Kayke aproveitou e balançou a rede.

Enquanto a equipe rubro-negra conseguia ter uma maior posse de bola e atuava no campo de ataque, o Goiás buscava a ligação direta para "sair nas costas" da marcação do Flamengo. E, desta forma, em certo momento, conseguiu dar trabalho, mas desperdiçou as chances que teve. Do outro lado, porém, nada de jogar fora as oportunidades. No fim do primeiro tempo, em uma blitz, os comandados de Jorge Jesus conseguiram fazer três gols em seis minutos.

A missão do Goiás, que já era difícil na volta do intervalo, ficou ainda pior quando Gabigol fez o quinto, aos 10 minutos. A partir daí, o que se viu foi o time visitante tentando se achar em campo e evitar que o Fla fosse ao ataque, enquanto o time da casa se mostrava tranquilo e achando espaços.

Jorge Jesus tirou Arão, que vinha atuando como primeiro volante, e colocou Cuéllar, que tem mais a característica de marcação. Já Claudinei Oliveira, colocou em campo Marlone e Léo Sena, na tentativa de ter "um novo gás", mas não teve jeito. O Flamengo ainda conseguiu balançar a rede mais uma vez, a sexta na partida, com Gabigol, em novo passe de Arrascaeta.

REFORÇOS NA ÁREA

Recém-contratados pelo Flamengo, o zagueiro espanhol Pablo Marí e o meia Gerson, cria do Fluminense, estiveram no Maracanã e acompanharam a partida de um dos camarotes do estádio.

MUDANÇAS NA EQUIPE

O Flamengo começou a partida com diversas mudanças no time titular. Além de Rafinha, houve alteração também na lateral esquerda, posição em que entrou o peruano Trauco, e no meio de campo, com Arão como primeiro volante e os retornos de Diego e Everton Ribeiro.

`PERIGO NO AR´

Em mais de uma oportunidade, o jogo foi paralisado rapidamente por conta de pipas que caíram no gramado. Pouco depois de Arrascaeta abrir o placar no Maracanã, foi a primeira. Ainda na etapa inicial, aconteceu novamente.

Foto: Twitter

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa