Athletico Paranaense, Flamengo, Bahia, Palmeiras, Internacional e Grêmio também estão classificados

Athletico Paranaense, Flamengo, Bahia, Palmeiras, Internacional e Grêmio também estão classificados

Enrico Bruno
Do UOL, em Belo Horizonte

O Cruzeiro passou pelo Fluminense e está nas quartas de final da Copa do Brasil. Depois do empate por 1 a 1 na partida da ida, as equipes voltaram a empatar por 2 a 2 no Mineirão, levando a decisão para as penalidades, vencidas pela equipe mineira por 3 a 1. No tempo normal, Ganso abriu o placar para os cariocas, mas Thiago Neves comandou a virada mineira no segundo tempo. No último lance do jogo, o garoto João Pedro marcou um golaço de bicicleta e deixou tudo igual. Nas penalidades, Pedro Rocha, Sassá e Thiago Neves marcaram, enquanto só Caio Henrique marcou para o Tricolor.

Athletico Paranaense (que venceu o Fortaleza no mesmo horário), Flamengo, Bahia, Palmeiras, Internacional e Grêmio também estão classificados. Amanhã, Santos e Atlético-MG definem a última vaga. O sorteio para as quartas de final será realizado na próxima segunda-feira.

Quem foi bem: Thiago Neves acorda no jogo e Fábio salva nos pênaltis

Thiago Neves fez um primeiro tempo apagado, com muitas dificuldades de achar seus companheiros. Precisando aparecer na etapa final, chamou a responsabilidade e conduziu o time para a virada, marcando os dois gols e fechando a conta nos pênaltis. Mérito também para o goleiro Fábio, que defendeu a cobrança de João Pedro na disputa de pênaltis.
Quem foi mal: Caio Henrique faz pênalti que gerou a virada

Caio Henrique fez um primeiro tempo dentro do esperado, ajudando a criar chances e, nos minutos finais, atuou improvisado como zagueiro. Porém, o gol de Thiago Neves, que decretou a eliminação do Fluminense, saiu de uma penalidade cometida por ele. Lance acabou sendo crucial para o adeus do time tricolor e ficou marcado
Cronologia do jogo

Depois de oito minutos entre a primeira e a segunda cobrança, Ganso abriu o placar para o Flu aos 15 do primeiro tempo. No segundo tempo, Thiago Neves deixou tudo igual, mas Sassá desperdiçou a chance de virar o jogo ao ver seu pênalti defendido por Agenor. No segundo pênalti a seu favor, Thiago Neves foi para a batida e selou a vitória. Mas no último minuto de jogo, João Pedro inventou uma meia bicicleta e marcou um golaço, levando a decisão para os pênaltis.
VAR ajuda em lance de pênalti e na repetição da mesma cobrança

Situação curiosa envolvendo o VAR no Mineirão. Aos sete minutos de jogo, Brenner foi derrubado por Dedé dentro da área. O árbitro Rafael Traci foi chamado para verificar o lance e assinalou a penalidade dois minutos mais tarde. Ganso cobrou, Fábio defendeu, mas Luciano marcou no rebote. Antes de recomeçar o jogo, Rafael Traci foi avisado sobre a invasão de jogadores dos dois times, e voltou a cobrança. Ganso balançou as redes na nova cobrança, convertida aos 15 minutos.
Fred segue em branco contra o Flu, aumenta jejum e sai mais cedo

A vida de Fred não está nada fácil. Este foi o quinto jogo do atacante contra o Fluminense (jogou três pelo Atlético-MG e dois pelo Cruzeiro) e ele segue sem marcar contra o ex-clube. Sua situação piorou após ficar caído no gramado e precisar deixar a decisão. Sem poder ajudar mais, aumentou para nove jogos seu jejum de gols.
Cruzeiro tem dificuldades para criar

Não foi só a ótima marcação dos visitantes. O Cruzeiro esbarrou demais na falta de inspiração dos seus jogadores para ameaçar pouco a meta do Flu. A Raposa teve um bom momento quando marcou alto, mas mostrou baixo poder criativo. Impaciente, a torcida pedia pressa para executar as jogadas, mas o que faltou mesmo foi intensidade e organização para o time em marcha lenta.
Fluminense começa executando bem suas duas propostas

O time carioca conseguiu colocar em prática as orientações de Fernando Diniz. A intensidade do início do jogo pediu uma postura mais ofensiva do Flu, ditando o ritmo e agredindo os anfitriões. Foi com essa proposta que a equipe chegou bem no lance do pênalti e abriu o placar com Ganso. Depois do gol, teve competência para marcar bem, anular as principais jogadas do Cruzeiro e terminar o primeiro tempo em vantagem. O cenário só mudou nos 45 minutos finais, quando a equipe sucumbiu à pressão celeste e sofreu dois gols.
VAR `decide´ de novo, Cruzeiro vira, mas João Pedro salva o Flu

Ao voltar dos vestiários, o Cruzeiro foi pro abafa. Se ainda faltava organização, sobrou vontade. De tanto martelar, a Raposa deixou tudo igual com Thiago Neves, e só não virou o jogo porque Agenor pegou o pênalti cobrado por Sassá. O time da casa não abdicou de atacar e teve outra penalidade com a ajuda do VAR. Dessa vez, Thiago Neves bateu e converteu. A comemoração da torcida durou até o último lance do jogo, quando o garoto João Pedro, tímido até então, recebeu um cruzamento, ajeitou bem o corpo e emendou uma meia bicicleta para vencer Fábio e deixar tudo igual.
Raposa leva a melhor e classifica nos pênaltis

As três primeiras cobranças não entraram. Lucas Silva chutou para fora, Ganso e Lucas Romero finalizaram no travessão. Caio Henrique abriu o placar para o Flu e Pedro Rocha deixou tudo igual antes de Fábio defender a cobrança de João Pedro. Sassá converteu e colocou o Cruzeiro na frente, já que Gilberto finalizou na trave. Na última cobrança, Thiago Neves não falhou e classificou a Raposa.

Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 San
    32
  • 2 Fla
    30
  • 3 Pal
    30
  • 4 Atl
    27
  • 5 São
    27
  • Veja tabela completa