Flamengo e Vasco fizeram o melhor jogo do Brasileirão até então. Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Flamengo e Vasco fizeram o melhor jogo do Brasileirão até então. Foto: Rafael Ribeiro/Vasco

Na noite de ontem (13/11), o Maracanã foi palco de uma partida que, romanticamente, reacendeu a chama nos corações dos torcedores que por anos têm sido maltratados pelo futebol medíocre – em sua grande maioria – que testemunhamos no Brasil temporada após temporada. O Flamengo de Jorge Jesus, que tem quebrado o paradigma da mesmice, recebeu o Vasco da Gama de Luxemburgo, que tem conseguido manter o Cruz-Maltino longe da “zona da confusão”. No papel, favoritismo total ao líder do Brasileirão. Na prática, um Clássico dos Milhões digno da tradição dos dois rivais centenários. 4 a 4 no placar e um belíssimo embate do início ao fim.

O jogo isolado do meio de semana foi válido pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, tendo sido antecipado devido ao fato de o Rubro-Negro disputar a grande final da Libertadores no dia 23/11, contra o River Plate, em Lima. Na teoria, esperava-se mais uma vitória do líder do campeonato e virtual campeão brasileiro. Na prática, observou-se a máxima de que “clássico é clássico e vice-versa”. Ainda bem, para os amantes do esporte bretão, que foram presenteados com um duelo de tirar o fôlego, com direito a gols antes do primeiro minuto de jogo e nos acréscimos da etapa final.

A ideia do Vasco da Gama de Luxa era clara: compactação com duas linhas de quatro para dificultar o toque de bola flamenguista e transição ofensiva rápida para encaixar os contragolpes e chegar ao gol. O Fla de Jesus não mudaria sua postura: jogaria com a posse de bola o tempo todo, encurralando o adversário no seu campo de defesa em busca de abrir espaços através do rápido toque de bola e da movimentação de seus homens de frente. Tudo parecia se encaminhar para mais uma goleada do Urubu para cima do Bacalhau quando Éverton Ribeiro abriu o placar com menos de um minuto de jogo.

Após ótima arrancada do garoto Reinier pela ponta esquerda, levando a bola até a linha de fundo e cruzando para trás, Gabigol tentou dominar, mas não conseguiu, e a pelota sobrou oferecida para o capitão rubro-negro, que não perdoou. Fla 1 a 0. Com a inauguração precoce do marcador, os comandados do Mister diminuíram a intensidade e a estratégia do Gigante da Colina começou a surtir efeito. Aos 34 minutos da etapa inicial, o Vasco puxou bom contra-ataque pela esquerda com Rossi, que cruzou para a grande área e achou a cabeça de Raul. O camisa 31 do Time de São Januário escorou perfeitamente para a entrada da pequena área, encontrando Marrony, que finalizou para o fundo das redes de Diego Alves. 1 a 1.

O gol de empate deu um gás para a equipe de Luxa e quatro minutos após estabelecer a igualdade, o Vasco virou a partida. Pikachu protagonizou um lance digno de Garrincha, dando um drible e tirando dois marcadores do Mengão da jogada ao mesmo tempo, dentro da grande área. O camisa 22 do Cruz-Maltino só foi parado após sofrer pênalti de Rodrigo Caio. Ele mesmo assumiu a responsabilidade e foi para a marca da cal, convertendo a penalidade com categoria, deslocando Diego Alves, que caiu para a sua esquerda e viu a bola estufar as redes pelo lado direito. Era a virada do Vascão: 1 a 2.

A liderança vascaína no placar não demorou muito tempo. No finalzinho do primeiro tempo, após falta na entrada da grande área, o Flamengo pôs em prática uma jogada ensaiada: ao invés do disparo direto ao gol, Gabigol abriu para Rafinha na direita, o lateral flamenguista cruzou rasteiro para entrada da pequena área e Danilo Barcelos, numa infelicidade, acabou desviando contra a própria meta. Gol contra e placar igual mais uma vez. Flamengo 2, Vasco também 2. E foi assim que as equipes foram ao intervalo.

Com 7 minutos jogados na segunda etapa, o Cruz-Maltino voltou a assumir a liderança do placar. Pikachu e Rossi trocaram passes pela ponta direita, numa bela trama. O camisa 7 do Vascão cruzou rasteiro com precisão, achando Marcos Júnior livre para conferir e empurrar a redonda mais uma vez para o fundo do gol do Flamengo. Desatenção gigantesca da defensiva rubro-negra, que ficou estática na jogada. No placar, Fla 2, Vasco 3.

E já estava na hora do “Mister Clássico” aparecer. Bruno Henrique havia sido muito bem marcado na primeira etapa, contudo, o artilheiro dos clássicos não passaria em branco no grande embate frente ao arquirrival. Aos 20 minutos, quando o Vascão colocava as mangas de fora e tentava o ataque para aumentar sua vantagem, a ousadia foi punida: contra-ataque rápido do Fla puxado pelo meio, bola aberta na esquerda para Arrascaeta, passe preciso para Bruno Henrique que, já dentro da grande área, dominou e fuzilou. Flamengo 3, Vasco 3. Um clássico de encher os olhos! E tinha mais por vir...

Aos 35 minutos, o Mengão reassumiu a liderança do placar. Vitinho, que havia vindo do banco de reservas, fez linda jogada pela ponta direita, driblando dois marcadores vascaínos e cruzando para a área de canhota. Gabigol resvalou de cabeça e a bola sobrou na medida para Bruno Henrique, nas costas da marcação, encher o pé esquerdo e estufar as redes do Vasco em um sem-pulo sensacional. Flamengo 4, Vasco 3.

Como bem se sabe, o futebol, muitas vezes, não é uma ciência exata e, portanto, resultados injustos acontecem com frequência. É exatamente por este motivo que é um esporte tão apaixonante. Desta vez, os deuses do esporte bretão fizeram a justiça acontecer e premiaram a coragem, a ousadia e a inteligente estratégia de jogo do Vasco da Gama, que fez frente ao seu arquirrival durante todo o confronto, mesmo tendo um time tecnicamente bastante inferior e um elenco bem mais enxuto, distante das várias opções com as quais Jorge Jesus conta.

Na força e na garra, o Cruz-Maltino foi buscar o empate nos acréscimos da segunda etapa, levando sua torcida ao delírio. Certamente, a gigante massa vascaína espalhada por todo o Brasil sentiu mais uma vez orgulho de seu time, desses jogadores que honraram a tradição do Vasco frente ao maior rival. Parabéns também a Luxemburgo, que vem fazendo um bom trabalho no comando do Gigante da Colina e, através de sua estratégia, fez com que sua equipe batesse de frente com um adversário muito superior.

Ribamar anotou o tento de empate do Vasco. Bola lançada para a grande área, Henrique subiu e desviou de cabeça, deixando na medida para o camisa 9 da Colina testar firme para o fundo do gol do Flamengo e selar o empate no placar, coroando uma bela atuação vascaína e um Clássico dos Milhões como há muito não se via. Nós, amantes do futebol, agradecemos pelo espetáculo! Parabéns ao Flamengo, que mesmo não estando em uma boa noite taticamente, meteu 4 gols, pois conta com individualidades que se destacam. Parabéns ao Vasco, que muito bem armado impôs grande dificuldade ao Fla e teve coragem de jogar bola diante de um rival superior. Parabéns a Jorge Jesus. Parabéns a Luxemburgo. O futebol brasileiro e os torcedores merecem mais exibições como essa, e não os jogos modorrentos com os quais nos acostumamos nos últimos anos.

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa