Foto: Seção "Que Fim Levou?"

Foto: Seção "Que Fim Levou?"

Um dos maiores laterais direitos da história do futebol mundial, Carlos Alberto Torres comemoraria neste domingo (17) 78 anos de idade. O Capitão do Tri, infelizmente, faleceu em 2016, aos 72 anos, vítima de um infarto.  

Foi um dos maiores laterais direitos da história do futebol brasileiro, caracterizado pela personalidade, elegância e técnica em campo. Revelado pelo Fluminense, foi campeão carioca em 1964, com 20 anos.

Considerado o maior jogador que já usou a braçadeira de capitão da Seleção Brasileira, todas suas qualidades puderam ser confirmadas na única Copa que disputou, a do México, em 1970.

No duríssimo jogo contra a Inglaterra, Carlos Alberto abandonou a posição só para dar uma entrada forte no ponta inglês Francis Lee, que tinha chutado o rosto de Félix. Depois do lance, Lee sumiu do jogo.

Episódios como esse fizeram com que fosse chamado de o grande capitão. Carlos Alberto também foi o autor do último gol da campanha brasileira após maravilhoso passe de Pelé, fechando os 4 a 1 contra a Itália na final, para logo depois ter a honra de levantar a Taça Jules Rimet conquistada em definitivo.

Voltou ao Fluminense para ser novamente campeão carioca em 1976. Foi também campeão paulista (1965/67/68/69 e 73) pelo Santos e Norte-Americano pelo Cosmos. Atuou também pelo Botafogo, em 1971, e pelo Flamengo, em 1977.

Encerrou a carreira como jogador em 1982 nos EUA, jogando pelo time do Cosmos.

Como técnico, liderou o Fluminense na conquista do Campeonato Carioca de 1984 e ganhou o Brasileiro de 83 pelo Flamengo. Entre novembro e dezembro de 2014 ocupou o cargo de Ministro do Esporte do Botafogo, deixando a função alegando motivos particulares.

Seu filho, Alexandre Torres, também foi jogador profissional, com passagens por Fluminense ,Vasco e Nagoya Grampus (Japão).

Carlos Alberto Torres, seu último ano como jogador do Flu. Foto: Reprodução Agência Gazeta Press

 

Carlos Alberto Torres autografa uma foto sua na Copa de 70. Foto: Reprodução de Vicente Seda/Globoesporte.com

 

Da esquerda para a direita, em pé: Roberto, Rondinelli, Carlos Alberto Torres, Júnior, Vanderlei Luxemburgo e Merica. Agachados: Tita, Adílio, Kalu, Dendê e Luís Paulo. Foto: Reprodução "Ag. O Globo"

 

Carlos Alberto Torres, ainda no Santos, e Dorval, já no Palmeiras. Foto retirada do blog Tardes de Pacaembu

 

Treino da Seleção Brasileira no Morumbi, em 1965, antes do amistoso contra a Hungria, partida que o time canarinho venceu por 5 a 3, no Pacaembu. Curiosamente, Coutinho veste um agasalho (antigamente chamado de abrigo) do Palmeiras, por cima de outra camisa. À época, os jogadores mais gordinhos recebiam essa orientação, na tentativa de redução de peso. Coutinho participou da partida contra a Hungria, entrou no lugar de Prado. À esquerda, desfocado, Carlos Alberto Torres. Foto: José Frascino, enviada por Cacá Bizzocchi

 

Equipe do SBT na cobertura da Copa do Brasil de 1995. Luiz Alfredo, Carlos Alberto Torres e Osmar de Oliveira. Foto: Blog do SBT

 

Osmar de Oliveira e Carlos Alberto Torres

 

Telê Santana, Luis Alfredo, Osmar de Oliveira, Orlando Duarte e Carlos Alberto Torres, comentando os resultados da Copa de 1994

 

Osmar de Oliveira (em pé), Salim e Carlos Alberto Torres

 

Assis escalou assim sua Seleção de todos os tempos. Goleiro: Diego Cavalieri; zagueiros: Ricardo Gomes e Oscar; laterais: Branco e Carlos Alberto Torres; volante: Clodoaldo; meias: Didi e Zico; atacantes: Garrincha, Pelé e Ronaldo. Imagem: Placar

 

O capitão do tri no início da carreira e em 2006

 

Roberto Perfumo escalou assim sua Seleção de todos os tempos. Goleiro: Fillol; zagueiros: Albrecht e Procópio; laterais: Marzolini e Carlos Alberto Torres; volante: Zito; meias: Maradona; Dirceu Lopes e Didi; atacantes: Pelé e Kempes. Imagem: Placar

 

Mineirão lotado para um Cruzeiro x Santos em 27 de setembro de 1970, pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa. O jogo terminou empatado em 1 a 1 (Nenê abriu o placar para o Santos e Tostão empatou). Na imagem, Tostão próximo à bola e Carlos Alberto avançando para tentar o desarme. À esquerda, Manuel Maria observa. Ao fundo, o cruzeirense Vanderlei. Foto: Célio Apolinário/Abril, enviada por Emílio A. Duva

 

Da esquerda para a direita, em pé: Carlos Alberto, Lima, Geraldino, Orlando, Gylmar e Mauro. Agachados: Toninho, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Abel. Ao fundo do time santista, vemos o jogador corintiano Flávio Minuano sendo entrevistado por Geraldo Blota. Foto: Revista "Era Pelé"

 

Da esquerda para a direita, Mário Américo massageia Jairzinho (de costas), Pelé abraça o capitão Carlos Alberto Torres, que também foi seu "coadjuvante" no Santos. Um momento de emoção indescritível, quando o Brasil se sagrava tricampeão do mundo no México. Foto: Revista "Era Pelé"

 

Gylmar é o goleiro do time dos sonhos do veterano Mengálvio, na edição de maio de 2013 da Revista Placar. Foto: Reprodução

 

Milton no Clube Pinheiros, em São Paulo. À esquerda está Carlos Alberto Torres

 

Equipe santista em excursão por Santa Catarina, em 1967. Em pé, da esquerda para a direita (atrás do homem de paletó) está Carlos Alberto Torres, seguido por Zito, Ramos Delgado, Joel Camargo, Gylmar, Élcio (goleiro reserva) e Rildo. Agachados: Wilson Tergal, Clodoaldo, Douglas, Coutinho e Edu. Contundidos, Pelé e Laércio, não estiveram presentes na excursão santista. Foto enviada por Emílio A. Duva

 

Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Djalma Dias, Cláudio, Clodoaldo e Rildo. Agachados, da esquerda para a direita, Toninho, Negreiros, Edu, Pelé e Abel. Foto: Reprodução/Revista do Santos

 

Da esquerda para a direita, Pelé, Clodoaldo, Carlos Alberto Torres e Edu. Foto: Revista do Santos

 

Santos, Super Campeão Paulista de 1967. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel, Clodoaldo, Cláudio e Rildo. Agachados: Wilson Tergal, Buglê, Toninho Guerreiro, Pelé e Edu. Foto enviada por Vanessa Ferreira, filha de Wilson

 

Cláudio Adão escalou assim sua Seleção de todos os tempos. Goleiro: Cejas; laterais: Carlos Alberto Torres e Júnior; zagueiros: Ramos Delgado e Figueroa; meias: Clodoaldo, Carpegiani, Adílio, Zico e Pelé; atacante: Paulo César Caju; técnico: Didi. Imagem: Revista Placar

 

Jogadores posam para a foto antes do jogo contra a Inglaterra. A partida foi realizada no dia 7 de junho de 1970. O Brasil venceu por 1 a 0, gol de Jairzinho. No alto, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres; Brito; Piazza; Félix; Clodoaldo; Everaldo; Admildo Chirol. Em baixo, da esquerda para a direita: Jairzinho; Rivelino; Tostão; Pelé; Paulo Cézar Caju. Foto: UOL

 

Ao lado de Pelé aparecem Beckenbauer, Carlos Alberto Torres e Muhammad Ali. Foto: In My Ear

 

Capa da revista Placar em 1970 tem como "personagem principal" Toninho Guerreiro

 

Coluna "Causos do Miltão", que conta a divertida história do inusitado choro do Rei Pelé, em seu belíssimo apartamento no coração de Manhattan, Estados Unidos, quando atuava pelo New York Cosmos. Imagem: Revista Placar

 

Carlos Alberto Torres, Félix e Rildo, três peças fundamentais do esquema defensivo brasileiro. Foto: UOL

 

Clodoaldo, Carlos Alberto Torres e o saudoso Félix, posam com a Copa do Mundo. Foto: UOL

 

Uma relíquia: a despedida de Pelé no Cosmos-EUA. Da esquerda para a direita, Carlos Alberto Torres, Coluna, Muhammad Ali, Athiê Jorge Curi, Mauro Ramos de Oliveira e o inglês Bobby Moore. Pelé, claro, o camisa 10 do time de Nova Iorque. E reparem no homem com o saco de bolas, de óculos. É a cara do Woody Allen. Será? Foto enviada por Carlos Argenti Pereira

 

Na fila do meio, em pé, da esquerda para a direita, o terceiro é Oscar. Na fila de baixo, sentados, da esquerda para a direita, o segundo é Neeskeens, o terceiro Carlos Alberto Torres, o quinto Giorgio Chinaglia e o sétimo Beckenbauer.

 

Camisas compridas para os jogadores santistas em jogo noturno. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Cláudio, Ramos Delgado, Clodoaldo, Joel e Rildo. Agachados: Toninho Guerreiro, Lima, Douglas, Pelé e Edu. Foto enviada por Ligia Mauriz

 

Na imagem, ao lado esquerdo da mesa, está Gylmar dos Santos Neves, enquanto do lado direito aparecem Carlos Alberto Torres, Milton Neves e Mauro Ramos de Oliveira, de costas

 

Da esquerda para a direita, em pé: Carlos Alberto Torres, Sadi, Cláudio, Joel, Denílson e Jurandir. Agachados: Paulo Borges, Gérson, Jairzinho, Tostão e Edu. Foto enviada por Renato Meneses Fernandes

 

Evento do Banco CCF (depois HSBC) em 1998. Da esquerda para a direita, os dois primeiros são Carlos Alberto Torres e Bellini. O quarto é Gylmar e o quinto é Ronaldão, com funcionários da instituição financeira

 

Evento do Banco CCF (depois HSBC), em 1998. Da esquerda para a direita: o primeiro é Carlos Alberto Torres, o terceiro é Ronaldão e o sexto é Milton Neves seguido por Gylmar, Bellini, Nelsinho Baptista e Careca

 

Carlos Alberto Torres, Gylmar e Bellini em 1998, em evento do Banco CCF, depois HSBC

 

Querido por todos, Carlos Alberto Torres autografa bola, em evento do antigo Banco CCF (depois HSBC), em 1998

 

Milton Neves e Carlos Alberto Torres em 1998, durante evento do Banco CCF, depois HSBC

 

Linda foto do Santos Futebol Clube em 1965, em uma formação pouco comum das 11 camisas brancas mais famosas do mundo. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Lima, Orlando, Gylmar, Oberdan e Zé Carlos Silvério. Agachados: Dorval, Mengálvio, Del Vecchio, Toninho Guerreiro e Abel

 

Bobby Moore, capitão da Seleção Inglesa, na disputa de cara ou coroa com Carlos Alberto Torres, capitão da Seleção Brasileira, em partida válida pela Copa do Mundo de 1970, no México. Foto: Reprodução/In My Ear

 

Posando para a fotografa, Carlos Alberto Torres, com black power, e Bobby Moore. Foto: Reprodução/In My Ear

 

Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Roberto Dias, Joel Camargo, Rildo, Brito e Gylmar. Agachados, da esquerda para a direita: Julinho Botelho, Gérson, Pelé, Vavá e Rinaldo. Enviou: Roberto Saponari

 

O Santos jogou na Guatemala, em 1965. Da esquerda para a direita: Zito, Gylmar, Mauro Ramos de Oliveira, Oberdan, Mengálvio, Toninho Guerreiro, Carlos Alberto Torres, Pepe, Geraldino, Paulo Sant´Anna e Dorval. Foto: arquivo pessoal de Paulo Sant´Anna

 

Foto do time da Portuguesa que jogou na Inauguração do Estádio Dr. Oswaldo Teixeira Duarte em 09 de janeiro de 1972, quando o Benfica venceu por 3 a 1. O gol da Lusa foi marcado pelo zagueiro Marinho Peres em cobrança de pênalti. Em pé estão: o goleiro paraguaio Aguillera, Calegari, Lorico, Fogueira, Carlos Alberto Torres, Deodoro e Marinho Peres. Agachados: Ratinho, Dirceu, Cabinho, Basílio e Piau. O capitão Carlos Alberto Torres, não atuou no jogo. Foto enviada por Antonio Quintal

 

Da esquerda para a direita, fã, o capitão do Tri Carlos Alberto Torres e a filha de Pelé, Flávia Kurtz. Foto: Túlio Nassif/Portal TT

 

 

 

Em pé, da esquerda para a direita: Cláudio Coutinho, Carlos Alberto Parreira, Carlos Alberto Torres, Piazza, Brito, Clodoaldo, Everaldo e Zagallo. Agachados da esquerda para a direita: o segundo é Mário Américo, seguido por Jairzinho, Rivellino, Tostão, Pelé, Paulo César Caju e Nocaute Jack. Foto: Divulgação

 

A foto não é das mais nítidas, mas é importante publicá-la pela quantidade de figuras históricas que aparecem nela. Em pé, da esquerda para a direita: Coutinho, Pepe, Haroldo, Carlos Alberto Torres, Mengálvio, Lima, Toninho Guerreiro, Pelé, Dr. Daló, Batista, Lula, Beraldo, Nestor, Mauro, Laércio, Teixeira e Modesto. Agachados: Santana, Dé, Geraldino, Rossi, Peixinho, Cláudio, Abel e Macedo. Foto: Arquivo pessoal de Beraldo Linhares

 

Em pé, da esquerda para a direita: Cláudio, Léo Oliveira, Carlos Alberto Torres, Marinho Peres, Hermes e jogador não identificado (alguém nos ajuda?). Agachados: o massagista Beraldo, Jair da Costa, Brecha, Alcindo, Pelé e Edu. Foto: Arquivo pessoal de Beraldo Linhares

 

Com a Taça Jules Rimet, um ano antes de ser roubada e derretida, três capitães campeões mundiais pela Seleção Brasileira com o jornalista João Rehder, em festa da ACEESP no ano de 1982. Da esquerda para a direita: Bellini, Carlos Alberto Torres, João Rehder e Mauro Ramos de Oliveira. Foto: arquivo pessoal de João Rehder

 

Carlos Alberto, jovem lateral tricolor surge como verdadeira garantia aos olhos do público. Foto da revista "A Gazeta Esportiva Ilustrada" enviada por Walter Roberto Peres

 

Neto comemora 3 anos de Rádio Transamérica no Lellis e Carlos Alberto Torres esteve presente

 

Neto comemora 3 anos de Rádio Transamérica no Lellis com o genial Roberto Carmona e Carlos Alberto Torres

 

Em tempos de Seleçao... - Em pé: Paulo Henrique, Carlos Alberto, Valdir Joaquim de Moraes, Zito, Djalma Santos, Orlando, Djalma Dias, Gylmar, Denílson, Bellini, Dudu, Leônidas e Santana Agachados: Rildo, Mário Américo, Jairzinho, Paulo Borges, Gerson, Parada,Pelé, Ivair, Servílio, Flávio e Paraná. Fonte: Blog do Michel Laurence /iG

 

Em pé: Carlos Alberto, Valdir Joaquim de Moraes, Brito, Fontana, Dudu, Rildo e Mário Américo. Agachados: Paulo Borges, Silva, Lima, Parada e Paraná Fonte: Blog do Michel Laurence / iG

 

Carlos Alberto Torres ao lado de sua primeira esposa (mãe do ex-zagueiro Alexandre Torres), recebe o prêmio como melhor lateral-direito do Paulistão das mãos de Ferruccio Sandoli (ex-diretor do Palmeiras). O Santos foi campeão. Foto: Sarkis

 

Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Gylmar, Mauro Ramos de Oliveira, Alex, Léo e Zito. Agachados: Clodoaldo, Pelé, Robinho, Coutinho e Pepe. Técnico: Lula. Foto: Revista Placar

 

Durante a entrega da XXIII Bola de Prata da Revista Placar, em 1992, ao lado de Milton Neves

 

Antes de mais uma partida na Rua Javari. Em pé, da esquerda para a direita: Cláudio, Carlos Alberto Torres, Clodoaldo, Joel Camargo, Rildo e Orlando Peçanha. Agachados: Edu, Lima, Toninho Guerreiro, Pelé e Abel. A foto é do Clube do Ouvinte da Rádio Tupi-SP, e foi enviada ao jornalista Milton Neves por Marco Antonio, ex-repórter da saudosa Rádio Tupi, que você confere na seção "Que Fim Levou" cliclando aqui

 

Gravação do programa Todas as Copas do Mundo, em um dos estúdios da TV Cultura de São Paulo, um pouco antes do início da Copa da Alemanha, em 1974. Em pé, da esquerda para a direita: José Carlos Fantini Carboni, Carlos Eduardo Leite (o Dudu), Carlos alberto Torres, José Carlos Cicarelli e Luiz Noriega. Sentados: Orlando Duarte e o Rei Pelé. Foto: arquivo pessoal de José Carlos Cicarelli

 

Primeira foto de Carlos Alberto Torres com a camisa do Santos em 1965. Foto enviada por Walter Roberto Peres

 

Recorte de jornal da reportagem relativa ao jogo entre Comercial e Santos disputada no estádio Palma Travassos em Ribeirão Preto em 10 de Outubro de 1965, jogo que Milton Neves diz ter sido a primeira vez que assistiu o Santos jogar ao vivo, tendo ido ao estádio de kombi. A reportagem diz que naquele dia o calor era insuportável (38 graus à sombra). Diz também que o Santos foi prejudicado pelo fato do zagueiro Mauro Ramos de Oliveira haver se machucado e ficado em campo apenas para fazer número, pois ainda não eram permitidas substituições. Foto enviada por Walter Roberto Peres

 

Recorte de jornal da reportagem relativa ao jogo entre Comercial e Santos disputada no estádio Palma Travassos em Ribeirão Preto em 10 de Outubro de 1965, jogo que Milton Neves diz ter sido a primeira vez que assistiu o Santos jogar ao vivo, tendo ido ao estádio de kombi. A reportagem diz que naquele dia o calor era insuportável (38 graus à sombra). Diz também que o Santos foi prejudicado pelo fato do zagueiro Mauro Ramos de Oliveira haver se machucado e ficado em campo apenas para fazer número, pois ainda não eram permitidas substituições. Foto enviada por Walter Roberto Peres

 

Em pé: Carlos Alberto, Cláudio, Joel Camargo, Orlando, Clodoaldo e Geraldino. Agachados: Wilson, Lima, Toninho Guerreiro, Pelé e Abel. Foto enviada por Walter Roberto Peres

 

A equipe do Santos participou da inauguração do Sino da Glória, na Chácara Vila Olga, de propriedade do sócio fundador do Santos e autor do primeiro gol da história do time da Vila Belmiro, Sr. Arnaldo Silveira. Da esquerda para a direita: Gylmar, Toninho Guerreiro (encoberto), Mauro, o técnico Antoninho, Araken Patuska (jogador compeão em 1935, de camisa escura), Pelé, Laércio, Geraldino, Edú, Dorval, o técnico Lula, Arnaldo Silveira, Zito e Carlos Alberto. Foto enviada por Walter Roberto Peres

 

Abaixo, na foto, o presidente Emílio Garrastazu Médici, recebeu os campeões do mundo de 1970. "Em 1970, os nossos craques politicamente eram verdadeiros pernas de pau ", máxima de Milton Neves Na imagem da esquerda para a direita, o segundo em pé, é o goleiro Emerson Leão, Zagallo, Zé Maria, Fontana, Pelé com um olhar precavido, sendo apontado pelo ditador Emílio Garrastazu Médici, ao lado do então presidente da República, Brigadeiro Jerônimo Bastos, chefe da delegação Brasileira na Copa de 1970, a sua frente Clodoaldo, Gérson, Carlos Alberto Torres, Edu e Rivelino

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Félix, Djalma Dias, Clodoaldo, Joel Camargo e Rildo. Agachados: Jairzinho, Gérson, Toninho Guerreiro, Pelé e Edu.

 

Ao lado de Jairo Barbosa do Amaral, deixando seu autógrafo no Muro da Fama, construído no Estádio José Jorge (que pertence ao Cordeiro Futebol Clube-RJ). Ao fundo, está Carlos Alberto Torres. Foto enviada por Jairo Barbosa do Amaral

 

Carlos Alberto Torres com a camisa da Portuguesa de Desportos na reinauguração do Estádio Oswaldo Teixeira Duarte, em 1972. Foto enviada por Walter Roberto Peres

 

Carlos Alberto, novinho, com a linda camisa do Santos e depois, com a Copa Fifa, elegante e reconhecido mundialmente. Grande "Capita"!

 

No Morumbi ainda incompleto, Semiramis entre os geniais Carlos Alberto Torres e Gylmar dos Santos Neves. Que imagem fantástica! Foto: arquivo pessoal de Semiramis Teixeira

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Marçal, Clodoaldo, Cláudio e Rildo. Agachados: Douglas, Negreiros, Toninho, Pelé e Abel.

 

Na foto da esquerda para a direita, os campeões do mundo, Rivellino, Clodoaldo, Carlos Alberto Torres, Felix e Edu, todos estavam presentes a um evento da Taça da Copa do Mundo de 2010, realizado na cidade de São Paulo. Foto: iG

 

O jogo (Santos 3 x 2 Racing) foi válido pela Recopa Sul-Americana de 1968, mas foi realizado em novembro de 1968. O resultado deu o título ao Santos. Os gols do alvinegro praiano, que era dirigido por Antoninho Fernandes foram marcados por Toninho (dois) e Negreiros. Silva fez os dois gols dos argentinos. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel Camargo, Cláudio, Clodoaldo e Rildo. Agachados: Manuel Maria, Negreiros, Toninho Guerreiro, Douglas e Edu

 

No Museu do Futebol, no Pacaembu-SP, opinando sobre o sorteio para a Copa da África de 2010. Alexandre Praetzel é o repórter que está com o microfone da Rádio Bandeirantes. Crédito da foto: Marcos Júnior

 

No Museu do Futebol, no Pacaembu, Carlos Alberto Torres, Paulo Sérgio e Mauro Silva acompanharam o sorteio dos grupos para a primeira fase da Copa de 2010 e o lançamento da bola oficial para o torneio. Crédito da foto: Marcos Júnior

 

Mauro Silva, Carlos Alberto Torres e Paulo Sérgio no dia 04 de dezembro de 2009, como convidados da Adidas para o lançamento da "Jabulani", bola oficial da Copa de 2010, na África do Sul. Crédito da foto: Marcos Júnior

 

Henrique Alves na apresentação de Carlos Alberto Torres, técnico do Corinthians em 1985. À direita do treinador, na foto, com um boné azul, está o repórter Oswaldo Luiz, atualmente na SporTV

 

Nesta partida, de 1972, Carlos Alberto tenta segurar o ponta-esquerda Nei, que disparava num contra-ataque alviverde. Quem acompanha a jogada é o santista Roberto Carlos, que fez uma partida maravilhosa contra o Juventus em uma quarta-feira à noite na Vila Belmiro. Infelizmente, Roberto Carlos não repetiu essa atuação marcante em outras ocasiões. Foto de Lemyr Martins, enviada por Walter Roberto Peres e publicada na Revista Placar

 

Esta pista de atletismo é do Brasil Futebol Clube, no bairro Macuco, em Santos, utilizada pelo Peixe para treinamentos. Nesta imagem, de 1972, temos, da equerda para a direita: Altivo (ex-Olaria), Carlos Alberto Torres, Marinho Peres, Orlando e atrás está Afonsinho. Foto de Manoel Motta, enviada por Walter Roberto Peres e publicada na Revista Placar

 

A Seleção Brasileira fez um amistoso em Lima. Em pé: Carlos Alberto Torres, Sadi, Cláudio (goleiro), Joel Camargo, Denilson e Jurandir. Agachados: Paulo Borges, Gérson, Jairzinho, Tostão e Edu. Foto enviada por Walter Roberto Peres e publicada na Revista Placar

 

Com camisas listradas, os jogadores brasileiros posaram para esta bela imagem. Em pé: Carlos Alberto Torres, Félix, Brito (de agasalho), Djalma Dias, Wilson Piazza e Rildo. Agachados: Jairzinho, Dirceu Lopes, Pelé, Gérson e Tostão. Foto enviada por Walter Roberto Peres, extraída do livro "Seleção Brasileira - 1914 - 2006, de Antonio Carlos Napoleão e Roberto Assaf

 

Em pé: Joel Mendes, Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Djalma Dias, Clodoaldo e Rildo. Agachados: Manuel Maria, Léo, Douglas, Pelé e Edu. Foto enviada por Walter Roberto Peres e publicada na "Revista Placar"

 

Seleção Brasileira, em 1968 A Seleção Brasileira treinada por Aymoré Moreira no Maracanã, no dia 6 de novembro de 1968 em amistoso contra a Seleção da FIFA. Vitória brasileira por 2 a 0. Em pé: Carlos Alberto Torres, Everaldo, Jurandyr, Roberto Dias, Gérson e Picasso. Agachados: Natal, Rivellino, Jairzinho, Pelé e Paulo César.

 

Veja o grande Carlos Alberto sendo homenageado na Federação Paulista de Futebol, nos anos 60. A foto faz parte do acervo do saudoso Sarkis.

 

A multinacional Braniff também saudou o Tri do Brasil em 1970. Bellini é o primeiro, Mauro Ramos é o segundo e Carlos Alberto ocupou o lugar vazio da foto. Bonita a homenagem!

 

Em 1970, a revista Manchete estampou na capa Carlos Alberto empunhando o troféu Jules Rimet. perceba o belo sorriso do "Capitão do Tri".

 

Esse time enfrentou o Vasco da Gama no Maracanã, num sábado à tarde, e foi goleado por 5 a 1. Em pé, da esquerda para a direita, vemos: Carlos Alberto, Cejas, Ramos Delgado, Djalma Dias, Clodoaldo e Rildo. Agachados: Davi, Lima, Nenê Belarmino, Pelé e Edu. A foto foi enviada pelo querido Walter Roberto Peres.

 

Em foto da revista Placar de 1970 enviada ao site por Walter Peres, vemos jogadores do Santos posando para foto. De costas, é possível identificar Rildo, Clodoaldo, Djalma Dias, Marçal, Carlos Alberto e Joel Mendes

 

Carlos Alberto Torres, o capitão do Tri, é o quarto, de camisa amarela. Ao lado dele está Betão.

 

Revista "Manchete" de 7 de maio de 1966. A foto foi tirada por Jader Neves, em Caxambu-MG, durante a preparação da Seleção para a Copa de 1966 na Inglaterra. Em pé: Carlos Alberto, Zito, Manga, Brito, Orlando e Rildo. Agachados: o massagista Mário Américo, Garrincha, Gérson, Servílio, Pelé, Paraná e o massagista Santana.

 

Lance do histórico jogo que marcou o fim do tabu santista de 11 anos sem perder para o Corinthians, em 1968. Vemos da esquerda para a direita Carlos Alberto Torres, Edson Cegonha, Pelé, Luis Carlos Galter, o árbitro argentino Roberto Goicochea e Oswaldo Cunha

 

Carlos Alberto Torres e Pelé, durante apresentação do programa Todas as Copas do Mundo, produzido pela TV Cultura, em 1974

 

Mundial da Itália em 1990: Jairzinho, o engenheiro Darnei Machado e Carlos Alberto Torres.

 

1962. Edição comemorativa da revista "O Cruzeiro" em homenagem ao bicampeonato no Chile. Nesse ano, o presidente João Goulart (que governou o Brasil de 61 a 64 e foi deposto do poder) recebeu os craques da seleção. Na foto vemos, da esquerda para a direita, Bellini, "Jango" e Mauro Ramos de Oliveira

 

Santos FC, 1973. Em pé, da esquerda para a direita: Cejas, Marinho Peres, Carlos Alberto Torres, Vicente, Clodoaldo e Turcão. Agachados: Jair da Costa, Brecha, Eusébio, Pelé e Edu

 

Carlos Alberto em 1971, quando deixou o Santos para vestir a camisa do Fogão

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Djalma Dias, Cláudio, Clodoaldo e Rildo. Agachados: Toninho Guerreiro, Negreiros, Edu, Pelé e Abel.

 

Em pé: Cejas, Vicente, Carlos Alberto Torres, Marinho Peres, Clodoaldo e Turcão. Agachados: Manoel Maria, Brecha, Eusébio, Pelé e Edu.

 

Veja o elenco do Santos, em 1973, na neve de Nuremberg (ALE). Sem sol, a foto ficou escura, mas de pé, vemos: Alcindo, Pelé, Zé Carlos Cabeleira, Carlos Alberto Torres, dois jogadores não identificados, o técnico Pepe e o goleiro Cláudio. Agachados: Mané Maria (o terceiro), Brecha, Vicente e Marinho Peres (os três últimos).

 

Veja Brecha (o primeiro em pé), na neve de Nurenberg (ALE), em 1973, com parte do elenco do Santos FC, em mais uma das excursões do Peixe pelo mundo. O segundo em pé é Eusébio e o terceiro agachado é Zé Carlos Cabeleira. O primeiro sentado é Marinho Peres, seguido por Carlos Alberto Torres e Manoel Maria.

 

Novo momento de Vaccaro durante a despedida de Pelé, aqui entrevistando Carlos Alberto Torres

 

Seleção Brasileira de 1968 com os melhores do Robertão daquele ano. Em pé vemos Carlos Alberto, Félix, Roberto Dias, Brito, Gérson e Everaldo; agachados Mário Américo, Paulo Borges, Rivellino, Jairzinho, Pelé e Paulo César. Foto enviada pelo internauta Walter Peres

 

Veja todo o elenco da seleção brasileira nos Jogos Pan-Americanos de São Paulo, em 1963. O time titular do técnico Antoninho, do Flu, jogava com Heitor, Carlos Alberto Torres, Zé Carlos, Riva e Adevaldo; Iris e Nenê; Jairzinho, Arlindo, Aírton e Othon. Vestindo os também saudosos macacões da CBD, veja em pé, da esquerda para a direita: Oton, Dirceu, Luis Henrique de Menezes, Jairzinho, Nenê (então do Santos), Iris (do Flu), Aírton Beleza, Zé Carlos (do Botafogo), Menotti e Santo (ambos do Palmeiras). Já o soldado apareceu lá de sapo. Sentados: Evaldo, Valdir, Carlos Alberto Torres, Arlindo, Adevaldo, Heitor, Décio e Cardoso

 

Santos de todos os tempos: Carlos Alberto Torres, Gylmar, Mauro, Calvet, Zito e Rildo. Agachados: Dorval, Antoninho, Coutinho, Pelé e Pepe.

 

A foto acima é do dia 21 de dezembro de 1967, quando o Santos bateu o São Paulo por 2 a 1, no Pacaembu, e conquistou o Paulistão daquele ano. Em pé: Carlos Alberto, Ramos Delgado, Joel Camargo, Clodoaldo, Cláudio e Rildo. Agachados: Wilson, Buglê, Toninho, Pelé e Edu. Foto: Revista Manchete

 

Foto tirada em 06 de outubro de 1968 antes de jogo entre este Santos e o Corinthians Paulista pelo Robertão. O Morumbi estava tomado por 46 mil pessoas, que viram o Peixe vencer por 2 a 1. Em pé vemos Carlos Alberto, Ramos Delgado, Marçal, Cláudio, Clodoaldo e Rildo; agachados estão Douglas, Negreiros, Toninho, Pelé e Abel

 

A foto foi enviada pelo historiador Walter Roberto Peres para a seção "Que Fim Levou?". Em pé: Carlos Alberto Torres, Jairzinho, Leônidas, Careca, Osmar, Nílson Dias e Valtencir. Agachados: Ditinho, Zequinha, Brito, Carlos Roberto, Paraguaio e Marco Aurélio.

 

Castilho se antecipa e defende mais uma bola em clássico entre o seu Fluminense e Vasco no Maraca. Vemos chegando no lance Carlos Alberto Torres pelo Flu e Célio pelo Vasco

 

Na foto, o time montado pelo então técnico do escrete canarinho, João Saldanha, que goleou a Venezuela por 6 a 0, no dia 24 de Agosto de 1969, no estádio do Maracanã, pelas eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 1970. Em Pé :Carlos Alberto Torres, Félix, Djalma Dias, Joel Camargo, Piazza e Rildo. Agachados: o massagista Mário Américo, Jairizinho, Gérson, Tostão, Pelé, Edu e Nocaute Jack.Crédito foto: Blog do Jornalista Roberto Porto

 

Neste Santos de 69, quando ganhou seu segundo tricampeonato paulista de futebol, estão em pé: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Marçal, Clodoaldo, Cláudio e Rildo. Agachados: Edu, Lima, Toninho, Pelé, Abel e Macedo

 

Moeda comemorativa do título mundial de 1970, no México.

 

Carlos Alberto Torres, em dezembro de 2007, assinando o Muro da Fama do Cordeiro FC, da cidade de Cordeiro (RJ). Jairo Amaral, presidente do clube, está ao lado.

 

Equipe do Santos em 1969, no Maracanã, antes da histórica partida do milésimo gol de Pelé contra o Vasco. Em pé: Carlos Alberto Torres, Agnaldo, Ramos Delgado, Djalma Dias, Clodoaldo e Rildo. Agachados: Mané Maria, Lima, Edu, Pelé, Abel e o massagista Macedo

 

Em jogo festivo no dia 9 de janeiro de 1972 para a inauguração oficial do Canindé, a Portuguesa teve até o reforço do capitão do tri. Em pé: Aguillera, Calegari, Lorico, Fogueira, Carlos Alberto Torres, Deodoro, Marinho Perez e o diretor José Pereira Mendes Neto. Agachados: Ratinho, Dirceu, Cabinho, Basílio e Piau. O técnico era Rubens Minelli

 

Vejam o Santos no Morumbi no dia 13 de abril de 1969 em clássico contra o Corinthians. Naquela tarde, diante de 51 mil pagantes, o Timão venceu por 2 a 0 pelo Campeonato Paulista. Na foto estão Edu, Manuel Maria, Rildo, Lima, Toninho Guerreiro, Clodoaldo, Pelé, Ramos Delgado, Joel, Cláudio e Carlos Alberto Torres. Fica até difícil acreditar que esse timaço perdeu, mas naquele dia o Corinthians não vivia mais o tabu de 11 anos sem vitórias contra o Peixe e jogou bem menos pressionado

 

Em 1972, o Santos excursionou pelo Egito mas nas horas de folga os jogadores aproveitaram para levar um banho de história. Aqui, com as pirâmides ao fundo, pararam para uma foto que certamente tem lugar especial no álbum de cada um. Com calça boca de sino, Brecha está sozinho à esquerda. Na fila em pé temos Willians (o segundo), Carlos Alberto Torres, com seu cabelo black power (o quarto) e Manuel Maria (o sexto); primeiro agachado, Marinho Peres sorri para a posteridade

 

Vejam que belíssimo time brasileiro de showbal. Em pé estão Todé, Carlos Alberto Torres, Raul Marcel, Ramos Delgado, Aguinaldo Moreira e Toninho Guerreiro; agachados vemos Dorval, Écio Pasca, Jairizinho, Negreiros e Paulo Borges. Esta equipe jogava em meados da década de 1970 em uma quadra existente na antiga sede da TV Record, na avenina Miruna, no bairro do Aeroporto em São Paulo

 

Foto de um dos jogos inaugurais do estádio do Canindé. Da esquerda para a direita vemos Carlos Alberto Torres, o ex-árbitro Oscar Scolfaro, Fausto Silva, então repórter de rádio, e Simões, jogador do Benfica

 

Carlos Alberto ao lado do jornalista Milton Neves

 

Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto, Brito, Everaldo, Clodoaldo, Piazza, Félix e Zagallo. Sentados, da esquerda para a direita: Jairzinho, Rivellino, Tostão, Pelé e Gérson.

 

Encontro de figuras ilustres no Teatro Record em 1969. Da esquerda para a direita vemos Carlos Alberto Torres, grande lateral do Santos que no ano seguinte levantaria a Taça Jules Rimet no México pela Seleção Brasileira, o costureiro Clodovil Hernandes, Sílvio Luís e o saudoso costureiro Dener, que faleceu em novembro de 1978

 

Da esquerda para a direita: Orlando Plantullo, massagista Moraes, Cardoso, Zecão, Wilsinho, Isidoro, Calegari, Cabinho, Eneas, Xaxá, Pescuma, Basílio, Badeco. Lá ao fundo, os dois primeiros do Santos são Carlos Alberto Torres, e o Rei Pelé.

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Oberdan, Bianchi, Teodoro, Joel Mendes e Wilsinho. Agachados: Mazinho, Miflin, Totonho, Cláudio Adão e Edu.

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Joel Camargo, Geraldino, Orlando, Gylmar e Mauro Ramos de Oliveira. Agachados: Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Abel. O jogo, um Comercial 0x2 Santos, foi realizado no estádio Francisco de Palma Travassos Ribeirão Preto-SP, válido pelo segundo turno do Paulistão de 1965. Foi a primeira vez que o jornalista Milton Neves viu, ao vivo, o Santos de Pelé atuando. O apresentador estava no estádio quando Pelé, de pênalti, anotou o primeiro gol do Santos. No segundo tempo, Dorval bateu de pé esquerdo e marcou o segundo do Peixe. Inesquecível para qualquer santista, principalmente para o apaixonado Milton Neves.

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Valdez, Tito, Altair, Castilho e Procópio. Agachados: massagista Santana, Amoroso, Denílson, Ubiraci, Joaquinzinho e Gilson.

 

Acima, a delegação do Brasil que venceu a Copa de 70, no México. Zagallo era o técnico e PArreira, o preparador físico reserva. Em pé, da esquerda para a direita: Rogério, Cláudio Coutinho, Carlos Alberto Parreira, Félix, Joel Camargo, Leão, Fontana, Brito, Clodoaldo, Zagallo e Admildo Chirol. SEGUNDA FILEIRA: Mário Américo, Rivellino, Carlos Alberto Torres, Baldochi, Wilson Piazza, Everaldo, Paulo César Caju, Tostão, Marco Antônio e Ado. SENTADOS: Edu, Zé Maria, Dadá Maravilha, Gérson, Roberto Miranda, Jairzinho, Pelé e Nocaute Jack. Deles, já morreram Cláudio Coutinho, Fontana, Admildo Chirol, Mário Américo, Everaldo e Nocaute Jack

 

Foto histórica no dia 14 de setembro de 2006: três dos cinco capitães que levantaram a Copa do Mundo para o Brasil. Da esquerda para a direita: Dunga, tetracampeão em 1994, Bellini, campeão em 1958, e Carlos Alberto Torres, tricampeão em 1970. Mauro Ramos de Oliveira, capitão do bicampeonato do Chile, em 1962, morreu em setembro de 2002. Cafu, capitão do penta, em 2002, não pôde comparecer.

 

Cento e cinco mil reais foram arrecadados e revertidos à entidade.

 

O primeiro capital foi levantado por um leilão de bolas pintadas por personalidades relacionadas ao futebol na noite de inauguração da associação.

 

A associação visa obter recursos para ajudar os campeões mundiais mais necessitados.

 

No dia 14 de setembro de 2006, Carlos Alberto Torres esteve na inauguração da "Associação dos Campeões Mundiais do Brasil".

 

Em pé: Aguinaldo, Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Djalma Dias, Clodoaldo e Turcão. Agachados: Edu, Lima, Luis Carlos Feijão, Pelé e Abel.

 

Abel, o volante pernambucano Salomão (hoje médico), Orlando e Carlos Alberto Torres.

 

Carlos Alberto Torres comete pênalti em Abel e ironiza. Procópio, o 3, e Oldair lamentam.

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Marçal, Cláudio, Rildo e Clodoaldo. Agachados: Edu, Lima, Toninho Guerreiro, Pelé e Abel. A Macaca é Oliveira Andrade, hoje narrador da Rede Record de Televisão. E o Urso é Luis Ceará, atualmente comentarista da TV Século XXI de Campinas. À época, os dois faziam bico para ajudar o Bugre a construir o Brinco de Ouro da Princesa.

 

Em 1994, no clube Pinheiros, em São Paulo: Carlos Alberto Torres, Milton Neves, Gylmar e Mauro Ramos de Oliveira, em evento imobiliário, antes da Copa dos EUA.

 

Peirão de Castro, Athiê Jorge Cury (o saudoso presidente do Santos) e Milton Peruzzi. Atrás, o grande Carlos Alberto Torres e a esposa de Peruzzi.

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Cejas, Ramos Delgado, Joel, Clodoaldo e Rildo. Agachados: Léo Oliveira, Nenê, Luiz Carlos Feijão, Pelé e Abel.

 

O goleiro Gylmar, Carlos Alberto Torres (de branco) e o jovem Tostão, no momento do gol de Natal, um dos seis marcados pelo Cruzeiro contra o Santos no dia 1º de dezembro de 1966, na primeira partida da final da Taça Brasil daquele ano. No jogo de volta, no dia 8, Tostão fez de falta para o Cruzeiro, que venceu o Peixe, de virada, por 3 a 2 e faturou o título. No primeiro tempo, o Santos derrotava a Raposa por 2 a 0.

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Zito, Oberdan, Lima, Gylmar dos Santos Neves e Orlando. Agachados: Dorval, Mengálvio, Toninho Guerreiro, Pelé e Edu.

 

A Seleção Paulista em formação no Parque Antártica. Em pé: Leão, Ramos Delgado, Carlos Alberto Torres, Roberto Dias, Dudu e Rildo. Agachados: o saudoso Mário Américo, Suingue, Ademir da Guia, Ivair (o Príncipe), Pelé, Edu e mordomo Romeu.

 

Da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Flávio Minuano e Babá. Os três na Seleção Brasileira de 1968.

 

Carlos Alberto Torres, o nosso Capitão do Tri, em sua época de treinador do Corinthians. Ao fundo, ao lado de Paulinho Carioca e de Marcelo Campelo (filho da ex-mulher de Torres, Terezinha Sodré), ele observa o ex-meia Sérgio Gil (morto em acidente de carro), treinando cobranças de pênalti.

 

No carnaval carioca de 2006, no camarote da Brahma, Milton Neves abraça Carlos Alberto Torres, um de seus ídolos de Santos FC e Seleção Brasileira.

 

Em Brasília, o Capitão do Tri ergue a Taça Julies Rimet junto com o então presidente Médici.

 

Em pé: Carlos Alberto, Aguinaldo, Ramos Delgado, Djalma Dias, Rildo e Clodoaldo. Agachados: Manoel Maria, Lima, Pelé, Joel e Edu.

 

Da esquerda para a direita: Abel, professor Júlio Mazzei, Carlos Alberto Torres, Lima e massagista Macedo.

 

No dia 26 de junho de 2008, o filho de Bellini, Júnior, repetiu 50 anos depois o gesto importalizado pelo pai, em homenagem feita pelo São Paulo FC. Foto: Rubens Chiri/Site Oficial do SPFC

 

Em pé: Fernando Cauzo Filho (podólogo da seleção), Carlos Alberto Torres, Félix, Lima, Djalma Dias, Edílson e o capitão Procópio. Agachados: roupeiro Romeu, Marcos, Prado, Servílio, Nair, Abel e o massagista Macedo.

 

Acima, em foto histórica, a equipe do Santos FC na planície de Gizé, em excursão pelo Egito. Em pé: Carlos Alberto Torres, Dr. Daló Salerno, Brecha, duas pessoas não identificadas, Eusébio (atrás de todos), o goleiro Willian, o empresário Carlos Sexton, Hermes, Marçal, Pitico, pessoa não identificada, Marinho Peres, Sérgio Orefice (diretor santista) e o roupeiro Sabu. O segundo agachado é Manoel Maria, seguido pelo garoto Silvio Luiz Orefice (filho de Sérgio Orefice).

 

Carlos Alberto Torres e Nair, em 1965, ao lado de suas ex-esposas, recebem os prêmios como melhor lateral-direito e melhor meia-armador do Paulistão daquele ano. O Santos foi campeão.

 

Em pé: Carlos Alberto Torres, Procópio, Altair, Castilho, Oldair e Nono. Agachados: Pai Santana (massagista), Amoroso, Ubiraci, Evaldo, Joaquinzinho e Edinho.

 

Esta é a Seleção Brasileira que conquistou a medalha de ouro no torneio de futebol dos Jogos Pan-Americanos de 1963, em São Paulo. Em pé: Airton, Carlos Alberto Torres, Helio, Zé Carlos, Waldir, Iris, Evaldo, Arlindo, Oton e Cardoso. Sentados: Heitor, Nenê, Jairzinho, Dirceu, Menotti, Santo, Adevaldo, Riva, Luiz Henrique e Decio

 

Carlos Alberto Torres levanta a Taça Jules Rimet no México. A foto do capitão do Tri foi publicada no site oficial da Fifa, que publicou em setembro de 2008 uma reportagem sobre o Fluminense. Foto: foto-net/fifa.com

 

Durante treino para a Copa de 70, Pelé salta à frente de Carlos Alberto Torres. À esquerda, de lado, o preparador físico Admildo Chirol. Foto: Divulgação

 

Os três capitães das conquistas do primeiros mundiais do Brasil no Pacaembu. Bellini (capitão de 58) exibe a taça Jules Rimet ao lado de Mauro Ramos de Oliveira (á direita, capitão em 62) e Carlos Alberto Torres, o capitão na Copa de 70

 

Preparação da seleção brasileira para a Copa de 1970. Da esquerda para a direita, veja Jairzinho, Carlos Alberto Torres, Pelé (encoberto), Brito, Gérson, Piazza, Fontana, Rogério, Rivellino, Marco Antônio, Ado e Edu

 

Alexandre Torres ao lado de seu pai Carlos Alberto em dezembro de 2016. Foto: Divulgação

 

Destaque para o trio do Flu em 1963, com Procópio, Castilho e Carlos Alberto Torres. Foto: Reprodução

 

Em meados dos anos 2000, no SporTV, Carlos Alberto Torres, Jorge Vinícius e Ricardo Rocha. Foto: arquivo pessoal de Jorge Vinicius

 

O Botafogo no Maracanã em 1971

 

Carlos Alberto Torres recebendo uma placa/homenagem das mãos do empresário de futebol Juan Figger. O evento foi o Encontro Anual de Treinadores de Campinas, realizado no salão social do Clube Cultura Artística de Campinas, em 1988. Ao fundo Valdemir Gomes. À direita de Figger, Carlos Batista que foi o apresentador do evento. Foto: arquivo pessoal de Carlos Batista

 

Carlos Alberto Torres e Djalma Dias, antes de um Fluminense x Palmeiras, em 1964. Foto: Reprodução/Facebook/Marco Antonio Aurichio

 

Antes de jogo do Cosmos de Nova York em meados dos anos 70. Da esquerda para a direita: Beckenbauer, Carlos Alberto Torres, Bellini, Mauro Ramos de Oliveira, Bobby Moore e Muhammad Ali. Foto: Divulgação

 

Em 1988, então treinador do Corinthians, Carlos Alberto Torres foi o entrevistado do programa `Roda Viva´da TV Cultura-SP. Foto: Reprodução

 

Combinado Vitória/Fluminense, que no dia 13 de junho de 1976 derrotou um combinado de jogadores estrangeiros, por 3 a 1. Em pé: Andrada, Carlos Alberto Torres, Carlos Alberto Pintinho, Joãozinho, Altivo e Rodrigues Neto. Agachados: Osni, Rivellino, Paulo Cézar Caju, Fischer, Dirceu e Gaguinho (massagista).

 

Santos no dia 26 de outubro de 1969, no empate de 0 a 0 com o Fluminense, no Maracanã. Em pé: Carlos Alberto, Ramos Delgado, Agnaldo, Djalma Dias, Clodoaldo e Turcão. Agachados: Manoel Maria, Lima, Edu, Pelé e Abel. A foto é da Revista Placar.

 

Santos no dia 23 de agosto de 1965, na vitória de 4 a 0 sobre a Portuguesa, na Vila Belmiro. Em pé: Carlos Alberto, Geraldino, Zito, Orlando, Gylmar e Mauro. Agachados: Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Abel. A foto é da Revista Placar.

 

Santos em excursão à Europa em março de 1973. Em pé: Carlos Alberto Torres, Marçal, Pitico, Hermes e Claudio Mauriz. Agachados: Willians, Alcindo, Zé Carlos e Manoel Maria.

 

Dois ex-zagueiros, Ricardo Rocha e Alexandre Torres, filho do saudoso Carlos Alberto Torres, em abril de 2019. Foto: arquivo pessoal de Ricardo Rocha

 

No dia 8 de março de 1977 jogadores da seleção brasileira receberam do então Ministro do Trabalho, Arnaldo Prieto, carteiras de trabalho como jogadores profissionais. Zico saindo do almoço, ao lado do Ministro Arnaldo Prieto, atrás aparece Carlos Alberto Torres.

 

No dia 8 de março de 1977 jogadores da seleção brasileira receberam do então Ministro do Trabalho, Arnaldo Prieto, carteiras de trabalho como jogadores profissionais. Da esquerda para a direita aparecem Heleno Nunes, Emerson Leão, o Ministro Arnaldo Prieto e Carlos Alberto Torres.

 

No dia 8 de março de 1977 jogadores da seleção brasileira receberam do então Ministro do Trabalho, Arnaldo Prieto, carteiras de trabalho como jogadores profissionais. Da esquerda para a direita aparecem Octavio Pinto Guimarães, Heleno Nunes, Emerson Leão, o Ministro Arnaldo Prieto e Carlos Alberto Torres.

 

No dia 8 de março de 1977 jogadores da seleção brasileira receberam do então Ministro do Trabalho, Arnaldo Prieto, carteiras de trabalho como jogadores profissionais. Carlos Alberto Torres recebendo sua carteira. Sentado na mesma mesa aparece Emerson Leão e na mesa da frente Paulo Cezar Lima.

 

Carlos Alberto Torres, Pati Venerando e Félix, e os autógrafos dos dois e mais de Zico e Neymar.

 

Seleção na vitória de 1 a 0 sobre a Inglaterra na Copa de 70. Em pé: Carlos Alberto, Brito, Piazza, Félix, Clodoaldo, Everaldo e Admildo Chirol. Agachados: Jairzinho, Rivellino, Tostão, Pelé e Paulo Cézar Lima

 

Botafogo em 1971. Em pé: Carlos Alberto Torres, Ubirajara Motta, Brito, Nei Conceição, Leônidas e Paulo Henrique. Agachados: Zequinha, Carlos Roberto, Nílson Dias, Jairzinho e Paulo Cézar Caju.

 

Santos na Vila Belmiro na vitória de 5 a 1 sobre o Noroeste, no dia 7 de agosto de 1966. Em pé: Carlos Alberto, Haroldo, Mauro, Orlando, Joel Camargo e Laércio. Agachados: Dorval, Mengálvio, Toninho, Lima e Abel

 

 

 

Pinheiro, em final de carreira, jogando pelo Bonsucesso, em 1963, com o jovem Carlos Alberto Torres, do Fluminense, em foto da Revista do Esporte, 242, de 1963

 

Zé Carlos, Edu, Alcindo, Carlos Alberto e Pelé em Londres, no dia 11 de março de 1973, no dia seguinte o Santos perdeu do Fulham por 2 a 1, com seu gol marcado por Pelé

 

Nos anos 90, Carlos Alberto Torres, Patricia e Félix

 

Ricardo Rocha posta em, 17 de julho de 2018, fotos em homenagem a Carlos Alberto Torres que completaria 74 anos na data. (Foto: Reprodução - Instagram @ricardorocha94)

 

Ricardo Rocha posta em, 17 de julho de 2018, fotos em homenagem a Carlos Alberto Torres que completaria 74 anos na data. (Foto: Reprodução - Instagram @ricardorocha94)

 

Ricardo Rocha posta em, 17 de julho de 2018, fotos em homenagem a Carlos Alberto Torres que completaria 74 anos na data. (Foto: Reprodução - Instagram @ricardorocha94)

 

Capitães de Brasil e Romênia, Carlos Alberto Torres e Mircea Lucescu, na partida do dia 10 de junho de 1970, pela Copa do Tri, vencida pelo Brasil por 3 a 2.

 

Capa do calendário da Federação Paulista de Futebol do ano de 2018, mostrando os jogadores campeões do Paulista e da Copa do Mundo. Na primeira linha, da esquerda para a direita, veja Gylmar dos Santos Neves, Emerson Leão, Zetti, Marcos, Dida, Rogério Ceni, De Sordi, Djalma Santos, Carlos Alberto Torres, Zé Maria e Cafu. Na segunda linha, veja Belletti, Mauro Ramos, Orlando Peçanha, Jurandir, Joel Camargo, Márcio Santos, Ricardo Rocha, Ronaldão, Roque Jr., Edmilson e Leonardo. Na terceira linha, veja Júnior, Roberto Carlos, Dino Sani, Zito e Clodoaldo. Na quarta linha, veja Mauro Silva, Mazinho, Vampeta, Zequinha, Mengálvio, Gérson, Raí, Ricardinho, Juninho, Zinho e Rivaldo. Na quinta linha, veja Vavá, Coutinho, Viola, Luizão, Ronaldo, Muller, Edilson, Pepe, Edu, Denilson e Pelé.

 

Fortíssimo time santista da década de 60. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Djalma Dias, Cláudio, Clodoaldo e Rildo. Agachados: Toninho Guerreiro, Negreiros, Edu, Pelé e Abel. Foto: Revista do Esporte (retirada do Blog Tardes de Pacaembu)

 

Carlos Alberto Torres defendeu o Santos entre 1965 e 1971. Foi emprestado ao Botafogo-RJ em 71 e retornou ao Peixe para ficar entre 1971 e 1974. Foto publicada no Facebook da ASSOPHIS

 

Treino da seleção brasileira no dia 1º de abril de 1969, sete dias antes do amistoso contra o Peru, realizado no Estádio Beira-Rio, que terminou com vitória do Brasil por 2 a 1 (gols de Jairzinho e Gérson; Gallardo anotou o tento da seleção visitante). Da esquerda para a direita, veja Everaldo (atrás), Jairzinho, Félix (atrás), Brito, João Saldanha, Djalma Dias, Carlos Alberto Torres, Joel Camargo e Edu. Foto: Folhapress

 

Execução do hino nacional antes da partida entre Brasil e seleção sergipana, em 9 de julho de 1969, dia da inauguração do Estádio Estadual Lourival Baptista, em Aracaju-SE. Da esquerda para a direita, o primeiro é o árbitro Armando Marques, Carlos Alberto Torres é o terceiro, Pelé é o quarto, Toninho Guerreiro aparece em quinto, o sexto é Djalma Dias e Gérson é o sétimo. Foto enviada pelo internauta Amós Silva Menezes

 

Antes da partida entre o Brasil e a seleção sergipana, em 9 de julho de 1969, dia da inauguração do Estádio Estadual Lourival Baptista, em Aracaju-SE. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Félix, Djalma Dias, Clodoaldo, Joel e Rildo. Agachados: Jairzinho, Gérson, Toninho Guerreiro, Pelé e Edu. Foto enviada pelo internauta Amós Silva Menezes

 

O Santos posando antes de jogo no Pacaembu, em 1975. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Oberdan, Bianchi, Teodoro, Joel Mendes e Wilson Campos: Agachados: Mazinho, Mifflin, Totonho, Cláudio Adão e Edu

 

Homenagem ao saudoso Carlos Alberto Torres. Foto: reprodução

 

Carlos Alberto Torres e jogadores do Zaire. Foto: reprodução

 

Carlos Alberto Torres e Ruben Osta, durante a Copa do Mundo de 2014. Foto: reprodução

 

Com seu penteado `Black Power´, com a camisa da seleção brasileira. Foto: UOL

 

Grande Capita - Levantando a taça da Copa de 70! Foto: UOL

 

Em 2002, treinando o Botafogo: Foto: UOL

 

Carlos Alberto Torres consolando o Rei Pelé, na época em que os dois defendiam o NY Cosmos. Foto; UOL

 

Carlos Alberto teve duas passagens pelo Santos: de 1965 a 1971 e de 1972 a 1974. Foto: UOL

 

O Capita defendeu o Flu de 1963 a 1964 e de 1974 a 1977. Foto: UOL

 

Carlos Alberto Torres defendeu a seleção brasileira de 1964 a 1977. Foto; UOL

 

Zagallo e Carlos Alberto Torres desfilando com a taça da Copa de 1970. Foto; UOL

 

Carlos Alberto Torres erguendo a taça da Copa de 70! Foto: UOL

 

Inauguração do Canindé: Carlos Alberto como jogador da Lusa por um jogo contra o Benfica. O repórter é Fausto Silva

 

Carlos Alberto Torres e sua então esposa Teresinha Sodré, durante comercial da Yakult, em 1986. Reprodução/YouTube

 

Só craques, acima Carlos Alberto Torres, Zito e Geraldino abaixo Copeu e Lima. Foto: ASSOFHIS

 

Vitor Guedes e Carlos Alberto Torres em janeiro de 2016, no SporTV

 

Flamengo em 1977. Em pé: Roberto, Rondinelli, Carlos Alberto Torres, Júnior, Vanderlei Luxemburgo e Merica. Agachados: Adílio, Renato, Dendê e Luís Paulo. Foto: Arquivo pessoal.

 

Em 1973, treino do Santos em excursão na Europa. Atrás, à esquerda, estão Alcindo, Jair e Edu. À frente: Manuel Maria, Hermes, Murias, Pelé, Carlos Alberto Torres e Zé Carlos Cabeleira. Foto enviada por Wesley Miranda

 

O Flu, batizado de "Máquina Tricolor", em 1975. Em pé, da esquerda para a direita: Renato, Carlos Alberto Pintinho, Carlos Alberto Torres, Edinho, Rubens Galaxe e Rodrigues Neto. Agachados: Búfalo Gil, Kléber, Doval, Rivellino e Dirceu. Foto: Divulgação

 

Brasil 2 x 0 Uruguai, amistoso no estádio do Pacaembu, em 9 de junho de 1968. Da esquerda para a direita, o massagista Mário Américo, Djalma Santos, Carlos Alberto Torres, Paulo Berges e um jogador uruguaio. Foto enviada por Roberto Saponari

 

A seleção brasileira na noite de 7 de abril de 1969, segundo jogo realizado no Beira-Rio, primeiro noturno do estádio colorado, inaugurando o sistema de refletores da nova casa escarlate, que subsittuiu o Estádio dos Eucaliptos. A equipe que derrotou o Peru por 2 a 1, em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Félix, Brito, Djalma Dias, Wilson Piazza e Rildo. Agachados: o massagista Mário Américo, Jairzinho, Dirceu Lopes, Pelé, Gérson, Tostão e o massagista Nocaute Jack. Foto: Sport Club Internacional

 

Em 1972, Altivo, Carlos Alberto, Marinho Peres, Orlando Lelé e Afonsinho. Foto ASSOPHIS (Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos FC)

 

Caldense 0 x 0 Flamengo, com vitória dos mineiros nos pênaltis em 1978. Da esquerda para a direita, Carlos Alberto Torres (o vigésimo segundo) e Júnior (o vigésimo sexto). Foto enviada por Paulo Furtado

 

Ricardo Rocha, Carlos Alberto Parreira, Vanessa Riche e Carlos Alberto Torres em 2015

 

Capa da Gazeta Ilustrada

 

Seleção Brasileira, no dia 31 de agosto de 1969. Partida contra o Paraguai, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 1970, vencida pelo Brasil por 1 a 0. Da esquerda para a direita, em pé: Carlos Alberto Torres, Félix, Djalma Dias, Joel Camargo, Piazza e Rildo. Agachados: Mário Américo, Jairzinho, Gérson, Tostão, Pelé, Edu e Nocaute Jack. Foto enviada por Moisés Bueno

 

Carlos Alberto com a bola, Oscar dando entrevista e Clodoaldo ao seu lado.Eles participaram de um amistoso entre Cosmos x Fast.

 

Carlos Alberto Torres no jogo em 1º de outubro de 1977, dia da despedida de Pelé do Cosmos-NY. O resultado da partida foi Santos 1x2 Cosmos, no Giant Stadium. Reinaldo marcou o gol santista. Pelé (que também jogou pelo Santos naquele dia) e Mufflin marcaram os gols do time norte-americano. O camisa 18 do Santos é Juary, que entrou no lugar de Reinaldo

 

Santos, na década de 60. Da esquerda para a direita, em pé: Carlos Alberto, Ramos Delgado, Clodoaldo, Geraldino, Cláudio e Joel Camargo. Agachados: jogador não identificado, Lima, Tonho, Douglas e Edu

 

Carlos Alberto Torres vestindo a camisa do Santos. Foto: ASSOPHIS (Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos FC)

 

Durante gravação de programa de tevê, Orlando Duarte, Carlos Alberto Torres e Pelé. Foto: ASSOPHIS (Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos FC)

 

Ricardo Rocha e Carlos Alberto. Foto: reprodução

 

Rivellino, Ricardo Rocha e Carlos Alberto. Foto: reprodução

 

Dunga, Paulo Sérgio, Carlos Alberto Torres, Ricardo Rocha e Lothar Matthaus posaram juntos para a foto. Foto: Reprodução/Facebook

 

Os campeões do mundo Ricardo Rocha e Carlos Alberto Torres

 

Nos anos 60 e em 2014

 

Em 2014. João Lellis e Carlos Alberto Torres, no Lellis Trattoria da Bela Cintra. Foto enviada por Airton Gontow

 

Em 2014. João Lellis e Carlos Alberto Torres, no Lellis Trattoria da Bela Cintra. Foto enviada por Airton Gontow

 

Carlos Alberto Torres, no Lellis Trattoria da Bela Cintra

 

Em 70, os convocados se divertiam jogando baralho. Da esquerda para a direita: Carlos Alberto Torres, Gérson, Arílson, Félix, Fontana e Piazza. Foto: Reprodução/Estadão - enviada pelo internauta Emílio Duva

 

Em 08 de dezembro de 2003, em Fortaleza, no Ceará, da esquerda para a direita, Delcir Sonda, Milton Neves, Carlos Alberto Torres e Vanderlei Luxemburgo. Os três últimos receberam o prêmio "Personalidade esportiva do ano". MN também recebeu o "Título de Cidadão" da capital cearense.

 

Time do Santos, em pé: Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Marçal, Clodoaldo, Cláudio e Rildo. Agachados: Edu, Lima, Toninho Guerreiro, Pelé, Abel e o massagista Macedo. Foto enviado por Emerson Marçal.

 

Carlos Alberto Torres e o jornalista José Edvaldo Tietz

 

Na capa da Revista do Esporte, edição 278, o trio do Flu: Procópio, Márcio e Carlos Alberto Torres). Márcio, aliás, foi reserva de Castilho por muito tempo. Reprodução enviada por José Eustáquio

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa