O irmão de Yamaguchi, Esquiva Falcão com seus 23 anos de idade, também medalhista olímpico nos últimos Jogos Olímpicos de Londres, estreou bem neste final de semana

O irmão de Yamaguchi, Esquiva Falcão com seus 23 anos de idade, também medalhista olímpico nos últimos Jogos Olímpicos de Londres, estreou bem neste final de semana

Comentei a estreia no boxe profissional do medalhista olímpico Yamaguchi Falcão contra o argentino Martin Rios e infelizmente não agradou ninguém que gosta de assistir uma boa luta de boxe, ambos foram desclassificados por cometerem sucessivas faltas.

O irmão de Yamaguchi, Esquiva Falcão com seus 23 anos de idade, também medalhista olímpico nos últimos Jogos Olímpicos de Londres, estreou bem neste final de semana, 15/02/14 vencendo o americano Joshua Robertson por nocaute técnico(o árbitro parou a luta) a 2 minutos e 36 segundos do quarto round.

Apresentando um boxe com boa movimentação de seu tronco e com isso evitando os golpes do oponente, respondendo com sequencias de golpes com ambas as mãos, Esquiva não teve dificuldades diante de Joshua Robertson.

A empresa promotora "Top Rank" escolheu um adversário que se encaixou perfeitamente ao estilo de luta do brasileiro Esquiva Falcão e ele soube aproveitar, venceu os três primeiros rounds, estava vencendo o quarto round até o momento em que o árbitro paralisou o combate para proteger Robertson de um castigo maior.

Esperança para o boxe profissional brasileiro que está carente de ídolos e também de bons boxeadores.

Esquiva estreou no boxe profissional na categoria de peso super médio (76, 364 kg) e provavelmente irá atuar na categoria de peso médio (72,575 kg).

Outro grande boxeador brasileiro que atuou na categoria de peso médio e fez sucesso pelo mundo foi Juarez de Lima, a grande maioria de suas lutas foram realizadas fora do Brasil, EUA e Europa, venceu campeões europeus, grandes nomes do boxe mundial e chegou a ser primeiro do rank mundial.

Outro brasileiro famoso que também lutou poucas vezes no peso médio foi Miguel de Oliveira, mas foi campeão mundial pelo Conselho Mundial de Boxe da categoria de médio ligeiro (69,853 kg).

Juarez de Lima foi um dos melhores boxeadores profissionais do Brasil de todos os tempos, fez sucesso em cima dos ringues, vencia os adversários por pontos no país deles. Tinha muita mobilidade de tronco e pernas, lutava com as mãos baixas, na altura de seu peito e não recebia nenhum golpe, também não batia forte, vencia por pontos.

O Miguel de Oliveira chegou a lutar no peso médio, mas era um médio ligeiro nato e tinha um soco poderoso, o que diferenciava ele dos seus oponentes eram os golpes duríssimos até para sua categoria, foi campeão mundial por isso e por sua tenacidade.

Nessas categorias mais pesadas é importante para o boxeador profissional chegar ao título mundial, potência nos golpes, na verdade em todas as categorias de peso no boxe profissional é de muita vantagem o boxeador que bate forte, facilita o sucesso na carreira com cartel cheio de vitórias por nocautes.

Anexado está uma foto do colunista com Juarez de Lima e outra com três brasileiros campeões mundiais no boxe profissional, todos detentores de golpes duríssimos para suas categorias de peso: Popó, Eder Jofre e Miguel de Oliveira.

Foto: Arquivo pessoal do colunista

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa