Alexandre Mattos, diretor de futebol do Palmeiras. Foto: César Greco/Palmeiras

Alexandre Mattos, diretor de futebol do Palmeiras. Foto: César Greco/Palmeiras

Alexandre Mattos é o vilão eleito no Palmeiras em 2019. Mais do que o bom Felipão. Bom sim, porque deixa o clube com uma história bonita, de conquistas e taças. A ele o torcedor é agradecido.

Mas, vou te dizer, Mattos fez por onde para se transformar em algoz. De mito a vilão. Dos quatro anos e vários meses que está à frente do futebol (acho que não chegará aos cinco), este, sem dúvida, foi o pior ciclo de Mattos como gestor, administrador, diretor, contratador.

Seu auxiliar direto, e gerente de futebol, Cícero Souza sempre reclama do tratamento dado aos responsáveis pelo Departamento de Futebol. “Pensam que a gente só contrata jogador. Não conhecem o macro”, lembra, sempre que pode, o dirigente que agora também virou “ironizador” do trabalho da imprensa. “Falta repertório”, cutucou na entrevista coletiva pós eliminação na Libertadores, reclamando (outra vez) do trabalho de jornalistas na cobertura diária do clube.

Bem, ainda que tenha sido irônico, não há problema em criticar quem critica rotineiramente, apesar da diferença entre as funções de gestor e jornalista. Todos nós somos passíveis de observações. Assim como o técnico de futebol, o gerente e/ou o diretor do departamento. Cabe a cada um aceitar, questionar, debater, pensar, analisar e tomar o rumo que preferir após a reflexão.

Então, mas eu dizia que 2019 foi o pior ano de reflexo do trabalho do departamento de futebol dentro daquilo que o torcedor enxerga e que, para as competições da temporada, é fundamental: time forte, técnico e lutador. A diretoria não conseguiu melhorar o Palmeiras do ano passado para as importantes disputas que teria pela frente.

Vamos relembrar as contratações de 2019: Zé Rafael, Arthur Cabral, Matheus Fernandes, Carlos Eduardo, Felipe Pires, Ricardo Goulart, Angulo, Ramires, Henrique Dourado, Vitor Hugo e Luiz Adriano.

Quantos titulares? Quantos diferenciados? Quantos passaram pelo departamento médico antes de estrear ou vieram do DM? Angulo, que inicialmente chegou para a base, mas depois foi contratado e incorporado ao profissional, sequer estreou. Três destes nem estão mais no clube: Felipe Pires foi repassado ao Fortaleza; Ricardo Goulart voltou para a China; e Arthur Cabral foi emprestado ao Basel, da Suíça.

Ou seja, Alexandre Mattos foi responsável por 11 contratações para a temporada. Nenhuma delas vingou. Um time inteiro e não há um titular entre eles. O Palmeiras, basicamente, joga com o mesmo time do ano passado. Aproveitamento ZERO em contratações nesta temporada.

Esses dados, por si só, justificam a insatisfação e os protestos contra o diretor de futebol. É direito do torcedor. Só não acho legal tripudiar.

Agora que ele já está na cruz não adianta ficar jogando pedra. Conselheiros, figurões, ex-atletas... Todos estes perderam a oportunidade de se manifestar antes. Me parece oportunismo barato.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    39
  • 2 San
    37
  • 3 Pal
    36
  • 4 Cor
    32
  • 5 São
    31
  • Veja tabela completa