Nos anos 60, observado por um garoto, na Rádio Continental

Nos anos 60, observado por um garoto, na Rádio Continental

Tristeza enorme no dia 13 de dezembro de 2011, quando Benedito Dino morreu, vítima de infarto, em Muzambinho, aos 83 anos de idade. Seu corpo foi velado no Velório Municipal e seu corpo sepultado no Cemitério de Muzambinho.

O homem que deu o primeiro microfone para Milton Neves soltar sua voz, recebeu do próprio Milton as seguintes considerações:
Senhores, aqui a história de um bom homem; político, eclético, sonhador, católico, eletricista, romântico, religioso, locutor, ator e diretor de teatro e que se tornou uma figura ímpar no sul de Minas Gerais.

Foi também "consertador" de geladeiras, fogões, máquinas de lavar-roupas, e muitos outros eletrodomésticos, seu ganha-pão.

Montou onze serviços de alto-falantes em Muzambinho-MG, todos voltados para angariar fundos para a Igreja São José.
Em um deles, revelou Milton Neves para o rádio e para o microfone qualquer um que estivesse passando pela calçada do "cinema da Irma" para testar o som. Por sorte, Milton Neves estava passando por ali.

Inaugurou em 1967 a primeira rádio da cidade, a extinta e saudosa Continental, ao lado dos amigos também sonhadores William Paes Lemos, Paulo Ferreira de Carvalho e do saudoso José Antonio de Araújo, irmão do médio-volante local Carlinhos "Murilo" (ele é fanático flamenguista e hoje vive em Campinas-SP, aposentado pela Petrobras) ou "Carlinhos "Boca-de-Véia.

José Antonio colocou o nome "Continental" na rádio por ter trabalhado por vários meses na Rádio Continental do Rio de Janeiro, como locutor excelente que era.

Benedito foi vereador, sempre adorou política e, como cuidava do som dos comícios, ficou "próximo" de nomes históricos como Getúlio Vargas (que inaugurou a Escola Federal Agrotécnica, em 1953), Bias Fortes, Juscelino Kubitschek, Benedito Valadares e até de Tancredo Neves, conforme as únicas fotos políticas recuperadas pelo nosso Portal de Memória.

Benedito Dino foi casado com dona Teresa desde 1951 e teve quatro filhos: o professor Edson, Romualdo (aposentado do Banco do Brasil), Francisco Dino Neto (dentista radicado em Santa Catarina) e Abraham Lincoln, falecido em Poços de Caldas-MG em 2008, vítima de câncer com apenas 45 anos.

"Linquinho", o primeiro operador de som de Milton Neves na Rádio Continental, em 1967, era funcionário do Banco do Brasil e deixou esposa e duas filhas.

Benedito Dino foi também "diretor de teatro a céu aberto" na zona rural e pelas ruas da cidade, confrme se verifica em seu enorme acervo de fotos.

E foram sempre encenações com motivos religiosos, natalinos e envolvendo sua maior paixão: o Império Romano! (tanto que se "fantasiava" até de soldado romano, como pode-se ver em sua galeria de fotos).

Não bastasse o talento artístico, Dito Dino também foi inventor.
 
Pelos idos de 1948, provavelmente após ter lido na mitologia grega a história de Dédalo, que construiu asas para que seu filho Ícaro voasse da Ilha de Creta, resolveu construir asas para sobrevoar Muzambinho e chegar em Guaxupé...

Munido de canos de zinco, arame, madeira e panos, foi o precursor das "asas deltas".

Assim que o protótipo ficou pronto, após suadas horas de trabalho, tomou um "galeio" e em desabalada corrida saltou do "Chico Pedro", um barranco de três metros de altura.

Caiu em um matagal, no meio de "arranha gato" e "assa-peixe". A história, verdadeiríssima, virou uma espécie de lenda na cidade, mas Benedito Dito se orgulhava e garantia:
 
"Eu sou o inventor da asa delta".

Grande Benedito Dino, o homem que me abriu as portas da comunicação!
Deus te pague, Dito Dino!
 

Clique aqui e veja o saudoso Abraham Lincoln Dino, filho de Benedito Dino na seção "Que Fim Levou?"

Clique aqui e veja Romualdo Dino, filho de Benedito Dino na seção "Que Fim Levou?


Clique aqui e veja Édson Dino, outro filho de Benedito Dino na seção "Que Fim Levou?.

 

 

Em pé, da esquerda para a direita: Toninho, Benedito Dino, Ciro Mendonça, Ovidio, Camillo Bengston, João Toqueville, Paiva, Chico Cajú, Ronaldo Esper dos Reis, José Octaviano Sales, Euclides Carli e Raé. Agachados: José Pão, Tôti, Ceret, Lyzes, Tininho, Glênio e Chila


Equipe do Canto do Rio de Muzambinho-MG em 1958. Em pé, da esquerda para a direita: Nelsinho Barbeiro, Manoel Moreira, Lamartine de Souza, José de Paiva, Amintas, José Reinaldo, Detinho, Lua e Jair Silva. Agachados: Édson Dino, Laércio, Toniquinho, Marino Campedelli, Chila e Benedito Dino. Foto enviada por Célinho


Há muito tempo. Foto enviada por Bia


A sede da Rádio Continental, em dezembro de 2012. Como era comum no começo do século passado, as construções tinham a data de construção na fachada. Foto: Netto Neves


Em dezembro de 2012, Milton Neves junto à porta de entrada da antiga sede da Rádio Continental, fundada por Benedito Dino. Foto: Netto Neves


Saudades de Benedito Dino, o homem que inventou a asa delta e colocou um microfone nas mãos de Milton Neves pela primeira vez. Foto: Netto Neves


Em dezembro de 2012, Milton Neves refazendo o caminho para chegar ao prédio da Rádio Continental de Muzambinho, onde teve seu primeiro contato com o meio, pelas mãos do saudoso Benedito Dino. Foto: Netto Neves


Nota publicada no jornal "A Folha Regional", de Muzambinho-MG e região, em 11 de agosto de 2012. Reprodução


Foto histórica, do início do calçamento da Av. Dr Américo Luz, em 27 de agosto de 1956. Em destaque, da esquerda para a direita: Juscelino Bonelli Maciel (tio de Milton Neves), Agripino Pereira, Dr. Licurgo Leite, Mário Martimiano, Toninho Capoteiro, Wellington de Oliveira (pai) e Benedito Dino. Foto: "A Folha Regional de Muzambinho"


O time do Muzambinho Futebol Clube foi até Guaxupé para disputar uma partida. E estavam com frio, pois usavam as lindas camisas brancas de mangas compridas. Em pé, da esquerda para a direita: Paulo Pingaiada, Fominha, Pininho, Jairo, Carlinho Boca de Véia, Lezinho, Maé Faria, Alúcio, Camila, Mixirica e Amir. Agachados. Edson Dino, Cavadeira, Cesare, Roberto do Juca, Tente, Lado e Benedito Dino, munido de sua maleta de primeiros socorros. Foto enviada por Celio Sales


Na foto, tirada no dia 7 de setembro de 1957, antes de Seleção de Muzambinho 3x0 Paraguaçu (MG), você confere, no "estádio" Professor Antonio Milhão, em pé: árbitro Euclides Carli, farmacêutico Salvador, Nino, Corote (era gênio, não é, doutor Antonio Douglas Dallora?), Bira, Bolota, goleiro Deotti, Ronaldo, o técnico José Fernandes e o diretor Ciro Mendonça. Agachados: massagista Benedito Dino (descobridor do radialista Milton Neves), Tatu, Lises, Hélio, Tunico e Paulistinha. Vejam o público lá atrás: um torcedor, além do muro. E o campo era de terra.


Pose dos craques no Estádio Professor Antonio Milhão, em Muzambinho-MG. Em pé, da esquerda para a direita: Lua, Nilo Bortolotti, Ronaldo Ésper, Amintas, Toninho Falcucci, Camila, Mixirica, Bodinho e José Octaviano Sales. Agachados: Dito Dino, Orlando, Tininho, Chila, Gilson e Zé Pequeno


O time do Bandeirantes, de Muzambinho. Em pé, da esquerda para a direita: Bento, Camila, Toninho Falcucci, Tininho, Darlan, Amintas, Mixirica e José Octaviano Sales. Agachados: Dito Dino, Fominha, Chila, Gilson, Glênio e Zé Pequeno


Em Muzambinho com Milton


Benedito Dino ao lado de Milton Neves, em espaço criado para homenagear personaliades de Muzambinho.


Hélio Magnoni, Nadi Chame Magnoni, Alexandre Magnoni, Lenice Chame Magnoni, Milton Neves e Sandra Chame Magnoni Dino, no dia da formatura de Lenice no Curso de Odontologia da PUC de Campinas


Benedito Ruy Barbosa (de camisa branca), ouvindo histórias que certamente serviram de inspiração para a composição de vários personagens de suas novelas. À esquerda, o sorridente e simpático Benedito Dino, homem que revelou Milton Neves


José Antônio de Araújo entrevistando o grande Bellini, em jogo amistoso em Muzambinho, no estádio Professor Antônio Milhão. Entre os dois está Benedito Dino, querido amigo de Milton Neves. E encoberto, atrás de José Antônio de Araújo, está Régis Policarpo Dias, o Rato


Dito Dino é o quarto, da esquerda para a direita, com amigos, em Muzambinho-MG


Difícil uma imagem de Benedito Dino em que ele não esteja com este sorriso gostoso. Aqui, com um amigo, em uma tarde de domingo em Muzambinho


Bandeirantes FC, time de futsal de Muzambinho-MG, em 1959. Em pé: Marco Régis, Lelinho, Camila, Bodinho e Amir. Agachados: Benedito Dino, Biduroto, Chico Capeta e Márcio Luis


Benedeito Dino (primeiro, da esquerda para a direita), com dois amigos nos tempos em que as ruas de Muzambinho eram de terra e se ouvia os carros de boi pelos quatro cantos da cidade. E reparem na elegância de Dino, de camisa social, calça de tergal e sapato bico-fino...


... por música, Benedito Dino (centro), foi prestigiar um festival de música, em 1993


Benedito Dino e o saudoso Linquinho estão em pé, enquanto Édson Dino seleciona alguns CDs para uma tarde musical em família


Benedito Dino (centro), com dois amigos igualmente corintianíssimos, comemorando mais uma vitória do Timão sobre o Tricolor do Morumbi


Se ele juntar todos os apetrechos da sua loja, consegue montar um foguete para ir à Lua!


Com "panca" de Xerife de Muzambinho, Benedito Dino dá o seu recado para a clientela...


Benedito Dino, entre duas noras e dois de seus filhos: Édson Dino e o saudoso Linquinho. Repare que Dito, no melhor estilo Ronald Golias, com seu boné de lado, não tirou sua sandália...


Quase toda a família Dino reunida no altar da Igreja de São José, em Muzambinho-MG, para as bodas de ouro do casal Teresa e Benedito Dino. À esquerda, no terceiro degrau está o saudoso Linquinho, no centro à direita está Nenê (camisa listrada), depois, de verde Romualdo Dino. Dona Teresa e Benedito Dino estáo atrás das três crianças. E Édson Dino? Era o fotógrafo, nessa hora...


Na Igreja de São José, em Muzambinho-MG, a família Dino reunida para a celebração dos 50 anos de casamento do casal Teresa e Benedito Dino. Da esquerda para a direita: Linquinho, Nenê, dona Teresa, Benedito Dino, Romualdo Dino e Édson Dino (concunhado de Milton Neves)


Outra imagem do casamento de Édson e Sandra. Da esquerda para a direita: Benedito Dino e sua mãe, dona Teresa (esposa de Benedito Dino), Nenê, Sandra Chame Magnoni, Édson Dino, Lenice Magnoni Neves (esposa de Milton Neves), Hélio Magnoni Filho e Linquinho. O menino menor, agachado, é Alexandre Magnoni, hoje advogado na cidade de Guaxupé-MG)


A família reunida para o casamento civil de Édson e Sandra. Da esquerda para a direita: a mãe de Benedito Dino, Benedito Dino e sua esposa Sandra, os recém-casados Édson Dino e Sandra, Hélio Magnoni e Nadi Chame Magnoni (sogros de Milton Neves)


Esta foto é da cerimônia civil de Édson Dino com Sandra. Da esquerda para a direita: a primeira mulher que aparece é a professora Maria Iolanda Ornelas, atrás (encoberta) está a professora Neusa Chame, o argentino Alberto Alvarez (ex-marido de Neusa Chame), Sandra Chame Magnoni, Édson Dino, Nadi Chame Magnoni (atrás), Hélio Magnoni Filho, Hélio Magnoni, Corina, Mauro Chame, Lenice Magnoni Neves (esposa de Milton Neves), Linquinho, a mãe de Benedito Dino e Benedito Dino, Nenê (atrás), dona Teresa, Alexandre Magnoni (o menino menor) e um amigo não identificado


Antonio Januário, o Camila, ex-jogador de Muzambinho, ambém foi ator. Encenando a Paixão de Cristo, ele aparece carregando a cruz. O espetáculo, à ceu aberto, foi dirigido por Benedito Dino, o homem que revelou Milton Neves para o rádio. Crédito da foto: Benedito Dino


O irmão Romualdo Dino, torcedor do Galo mais lindo do mundo!. Atrás dele, com o prato na mão, está o saudoso Linquinho e sentando, à mesa, está Benedito Dino


Em pé: Nenê, o saudoso Linquinho, Romualdo e Édson Dino. Benedito Dino e dona Teresa estão sentados


Romualdo, à direita, quando gerenciava o Banco do Brasil no Paraná, sempre levou seus pais (Benedito e Teresa) para conhecer belos recantos


O casal Teresa e Benedito, no centro da foto. Romualdo Dino é o último, à direita


Um dos casais mais antigos, queridos e conhecidos de Muzambinho, dona Teresa e Benedito Dino


Difícil é ver Benedito de outro jeito, que não seja com esse sorriso gostoso e cativante


Benedito Dino, todo garboso, com aquele que deve ter sido o seu primeiro terno. E Gumex no cabelo...


Longe das montanhas de Minas, Benedito Dino foi conferir as belezas do litoral. E não é que ele ficou parecido com um velho e bom marujo?


O casal Teresa e Benedito, em mais uma bela imagem de Minas Gerais


Benedito Dino com a bela gravata que ganhou do amigo Luiz Leite, conhecido como "Lulu Leite"


O casal, Teresa e Benedito com dois filhos: Romualdo e Édson Dino


A foto é de 1977, no "Automóvel Clube" de Muzambinho-Mg, quando Édson Dino e Sandra Magnoni Dino (os dois últimos à direita), se casaram. Para nós, muzambinhenses, a foto emociona também pelas presenças da avó, do pai e da mãe de Édson (terceira, quarta e quinta pessoas, da direita para à esquerda, sentadas). Entre Benedito Dino (que revelou Milton Neves para o rádio) e sua mãe, está Zizinho, o Nazir Antonio de Souza, amigão de Milton Neves e já falecido, assim como o folclórico Dodô (em pé, de branco). Ao fundo, na janela e com a mão na testa, o cabeludo Fernandinho Montanari (foi bom jogador de vôlei). Também ao fundo, à esquerda, o trio José Carlos Bonaldi (filho de dona Elvira Bonaldi, segunda professora primária de Milton Neves), brilhante professor de matemática, Wellington "Menelau" de Oliveira (pai do locutor Wellington de Oliveira Filho, o "Wof") e Romário Rondinelli Nóbrega, o Romarinho, primo do "Deus da Raça" do Flamengo e hoje funcionário da Escola Agrotécnica de Muzambinho, inaugurada em 1953 pelo presidente Getúlio Vargas. Romarinho, hoje evangélico fervoroso, que aparece com um cigarro na mão, hoje não fuma mais


Da esquerda para a direita: Benedito Dino, o filho baiano de "Alemão" e ele, Romualdo Dino


Em sua casa, em Muzambinho, Milton recebendo dois Beneditos queridos. Ao centro, Benedito Rui Barbosa e à direita, Benedito Dino


Milton Neves recebendo o querido amigo Benedtito Dino em sua casa. Sempre motivo de satisfação para Milton, pelo carinho e gratidão por ter lhe revelado para o rádio


O casal Benedito e Teresa, juntos desde 1951


Benedito Dino dando uma inspecionada no cacaueiro


A comemoração das Bodas de Ouro com a família e os amigos, em casa


Dino e sua esposa Teresa em uma inesquecível viagem para Foz do Iguaçu, com direito a esta linda imagem das cataratas


Após a missa de Bodas de Ouro


Dona Teresa e Benedito Dino, na missa alusiva aos 50 anos de casamento. Momento emocionante para o casal e toda a maravilhosa família


Como "Soldado Romano", sua vestimenta favorita


Benedito dirigiu diversas peças de teatro a céu aberto. Aqui, "A Paixão de Cristo", uma de suas prediletas


"Consertador de mão cheia", Benedito já recebeu toda a cidade em sua loja. A resistência do chuveiro, o carvão do aspirador de pó, a correia da máquina-de-lavar, enfim, sempre arrumando os utensílios da boa gente de Muzambinho


A bonita árvore de natal decorando o balcão de sua loja. Reparem a quantidade de acessórios nas prateleiras e pendutrados nas paredes...


Será que vão inventar alguma coisa que o maravilhoso Benedito Dino não saberá arrumar?


Em sua loja, fazendo os últimos ajustes para deixar o liquidificador da casa de Milton Neves novinho em folha...


Benedito Dino fazendo uma pose, com um belíssimo topete, "a la Itamar Franco"


Mocinho, de bigode e "na estica", de terno e gravata


O sorriso gostoso de um dos homens mais queridos de Muzambinho-MG


Benedito Dino com Tancredo Neves, durante a campanha eleitoral deste para o governo de Minas Gerais, pelo PMDB. Tancredo venceu a disputa contra Elizeu Rezende, do PDS


Outra imagem histórica do querido Benedito, ao lado de Tancredo Neves


Benedito Dino, de terno quadriculado, com Tancredo Neves, o saudoso político que morreu antes de assumir a presidência da república, em 1985


Benedito Dino e um atento menino na Rádio Continental de Muzambinho, no começo dos anos 60


Dois momentos de Benedito Dino


Desfile pelas ruas de Muzambinho nos anos 50. À direita está Maria Lúcia Teixeira, filha do Dr. Geraldo Teixeira. Atrás, também à direita, de terno e gravata, o saudoso Benedito Dino. Foto: soumaismuzambinho


Com garotos de equipe juvenil de futebol no começo dos anos 70. Em pé, da esquerda para a direita: Dito Dino, Silvinho Santini, Balmes, Nando, Juninho Campaneli, Tatú e Zinho. Agachados: Pelezinho, Samurai, Jorge, Rochinha e Zé Geraldo. Foto: soumaismuzambinho.com.br


No início dos anos 70, o saudoso Benedito Dino, à direita, com amigos. Foto: soumaismuzambinho.com.br


O saudoso Linquinho (Abraham Lincoln Dino), Benedito Dino e Édson Dino


Time de futsal na quadra do CEPSAM, em Muzambinho. Em pé, da esquerda para a direita: Antonio Bianchi (Mixirica), Édson Dino, Tubé, Paulo Pingaiada, Dito Dino e pessoa não identificada. Agachados: Luiz Montanari, Zé Maria, Cesar Bianchi e Luis Antonio de Carvalho (Bigude)


Equipe do Bandeirantes Futebol Clube, em 12 de setembro de 1960, ocasião em que venceu o Comercial de Ribeirão Preto por 3 a 1. Em pé, da esquerda para a direita: Luiz Anechinni, Nilo Bortoloti, Ronaldo Esper, Amintas, Toninho Flacucci, Camila, Antonio Bianchi (Mixirica), Bodinho e José Octaviano Sales. Agachados: Benedito Dino, Ivan Surdão, Tininho Fazzi, Chila, Gilson e Zé Pequeno. Foto enviada por Célio Sales Sobrinho


O Vasco da Gama de Muzambinho, equipe amadora da cidade mineira em 1956. Em pé, da esquerda para a direita: Tenente José Rafael Dias, Ronaldo Esper dos Reis, Camila, José de Paiva Machado, Chico do Caju, Amintas Inacarato, João da Marta e Cyro Mendonça (presidente). Agachados: Benedito Dino, Mazinho Pedreiro, Chiquinho Mecânico, Gilson Barbosa, Tenente Lyses e Helio Santini. Foto enviada por Célio Sales Sobrinho


Os fundadores da Rádio Continental de Muzambinho: Willian Peres Lemos, Paulo Ferreira de Carvalho, Benedito Dino e José Antonio de Araújo


Fluminense Futebol Clube, o time do Lamartine Macedo, no estádio Professor Antonio Milhão, em 12 de outubro de 1958. Da esquerda para a direita, em pé: Nelsinho Barbeiro, Manoel Moreira, Lamartine de Souza (Lé), José de Paiva Machado, Cabecinha, José Reinaldo Silva, Deusdete Casagrande, Luiz Anechini e Jair da Silva. Agachados: Edson Dino, João André Bengtson, Toniquinho Casagrande, Marino Campedelli, Chilla e Benedito Dino. Foto enviada por Célio Sales

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa