Novo técnico do Atlético treinava o Tijuana na histórica Libertadores de 2013. Foto: Divulgação Monterrey / Joaquín Jiménez

Novo técnico do Atlético treinava o Tijuana na histórica Libertadores de 2013. Foto: Divulgação Monterrey / Joaquín Jiménez

Anunciado como novo treinador do Atlético-MG na última quinta-feira (13), Antonio “Turco” Mohamed terá a missão de comandar o clube que o fez sofrer quase dez anos atrás.

O treinador argentino, que assume o comando do Galo substituindo Cuca, foi uma das “vítimas” do Galo no Horto, na histórica campanha da Libertadores de 2013. Mohamed era o treinador do Tijuana na memorável partida das quarta de final da competição continental daquele ano, quando Víctor fez o milagre no pênalti de Riascos.

“El Turco” iniciou sua carreira de treinador no início dos anos 200, comandando o Zacatepec, do México. Em seguida dirigiu o Monarcas, Querétaro, Jaguares (todos mexicanos), Huracán (Argentina), Veracruz (México), Colón, Independiente (os dois da Argentina) até chega ao Tijuana, do México, em 2011.

Após duas temporadas a frente dos Xolos, como é apelidado o clube mexicano, Mohamed cruzou o caminho do Atlético. O confronto aconteceu nas quartas de final da Libertadores. O Tijuana avançou para o mata-mata após se classificar no Grupo cinco, que tinha Corinthians, San José e Milionários, já nas oitavas de final despachou o Palmeiras. Já o Galo foi o líder do Grupo 3, que contava com São Paulo, Arsenal de Sarandí e The Strongest, nas oitavas de final um novo confronto com o São Paulo e classificação atleticana.

Na partida de ida entre mineiros e mexicanos, um jogaço que acabou em 2 a 2 no México, gols de Luan e Tardelli para o Galo, Riscos e Tenório para os Xolos.

Veio então o jogo de volta, no estádio Independência, no Horto, e Belo Horizonte. O time de Turco Mohamed precisava vencer para se classificar. Para o Galo, empate em 0 x 0 ou 1 x 1 dava a classificação, já que havia marcado dois gols fora de casa. E foi com ares dramáticos que “El Turco” conheceu de perto a força atleticana.

Foi o Tijuana quem marcou primeiro, com Riascos, aos 25 minutos do primeiro tempo. O Galo buscou o empate aos 40 da primeira etapa, com Réver. No segundo tempo, pressão mexicana, sufoco pra cima do Atlético até que, já nos acréscimos da partida, Leonardo Silva cometeu pênalti em Aguilar. Surge ali, então, frente aos olhos de “Turco” Mohamed, São Victor do Horto.

O gol daria a classificação ao Tijuana e a responsabilidade estava toda nos pés do atacante Riascos. Na cobrança, porém, brilhou a estrela do goleiro atleticano: Riascos cobrou no meio do gol, Victor caiu para o canto direito, mas com tempo de esticar a perna e fazer a defesa, que manteve o Galo na competição e o imortalizou para sempre na história do clube.

Hoje, Víctor e “Turco” Mohamed voltam a se encontram: o ex-treinador do Tijuana assume o Galo, que tem o ex-goleiro no cargo de gerente de futebol.

RELEMBRE A HISTÓRICA DEFESA DE VÍCTOR NO PÊNALTI DE RIASCOS EM 2013:

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa