Tite acabou convocando o "brigão" Neymar para a Copa América

Tite acabou convocando o "brigão" Neymar para a Copa América

Ora, Tite, Gabriel Jesus é convocação-remorso por você ter arrebentado a cabeça do menino, escalado como “beque” na Copa da Rússia-2018.

E virou até convocação-compaixão!

Ora, compaixão por compaixão, chama então o Sidão, mas por culpa da Globo.

Enfim, o gaúcho Adenor, em queda livre, chamou nossos 23 “craques” para a Copa América, uma Série B com ares de Série C do futebol de seleções.

E sexta-feira Tite não foi aquele mala nota 9,27 das últimas entrevistas: levou só razoável 4,99.

Ah, bons tempos em que a gente no Brasil brigava com os colegas de escola porque seu time teve mais convocados para a seleção do que os deles.

E na garganta eu ganhava de goleada lá de minha turma de Muzambinho-MG, porque meu Santos FC já era a própria seleção brasileira com alguns “enxertos” de Botafogo, Flamengo e Palmeiras.

E com todo mundo jogando no... Brasil!!!

Eram jogadores brasileiros da Vila, do Parque Antarctica, de São Januário, de General Severiano e um outro de Belo Horizonte e de Porto Alegre.

Ah, que pena!

Isso era, e bota “era” nisso.

Hoje jogador brasileiro é chamado e tem clube pedindo dispensa, casos de Antony e de Rodrygo.

Mas deixemos de sonhar e vamos ao Tite, que ameaçou virar Feola-58, Aymoré-62, Zagallo-70, Parreira-94 e Felipão-2002, que eu coloquei na seleção sem nem um “muito obrigado”, até hoje, o que é impressionante.

E depois, bem mais tarde, ele “tomou” o lugar de Mano Menezes e levou os 7 a 1 no lombo que serão esquecidos dentro de rápidos 10 milhões de anos.

"E aí, Felipão, quantos gols fez a Alemanha?" Foto: AFP/via UOL

Sim, Tite chegou à Rússia como mais provável novo campeão, mas foi pífio.

E de lá para cá só piorou. Perdendo, e bem provavelmente perderá, Tite dançará.

E olha, essa Copa América será disputada sem nenhum clima de rivalidade – espécie dos antigos octogonais do Chile e de bons Torneios Ramón de Carranza, na Espanha - vamos ter agora no Brasil uma festa de futebol em que nada acontecerá à nossa seleção.

Time palmeirense campeão do Ramón de Carranza de 1975

Exagerando, países do pedaço virão preparar seus times comuns na expectativa da chegada das Eliminatórias para a Copa de 2022 no Qatar.

O Brasil ganhando a Copa América, nada acontecerá, mas se perder, repito, Tite cai e eu colocaria Sampaoli, o único técnico que consegue fazer com que eu enxergue algo daquilo que se chama de tática.

Eu, Stevie Wonder, Geraldo Magela e Ray Charles andamos vendo claramente que o Santos joga futebol com movimentação de todos atacando, defendendo e trocando posições.

“Mais um pouco”, com dois holandeses tipo Van Hanegem e Rensenbrink, o Santos passará a voar.

Van Hanegem e Rensenbrink: dois grandes craques da "Laranja Mecânica"

É um milagre de um time com sérios problemas de caixa, de crise política e elenco de jogadores não badalados e já quase sem Rodrygo.

Mas toquemos a bola como der, do jeitinho que Bolsonaro tenta emplacar o vespeiro da Reforma da Previdência, imprescindível e não adiável.

Mas o time está jogando sem técnico com todo mundo palpitando e jogador querendo entrar na marra.

Precisamos de um trio unido de credibilidade com Paulo Guedes, Joaquim Levy e Sérgio Moro sentados no banco dos treinadores.

São três mestres que podem ensinar aos zeros, 1, 2 e 3 que imóvel não tem compra e venda enrolada e nem rachadinha, ao contrário das prefeituras, câmaras municipais, assembleias legislativas e palácios do Governo.

Guedes, Levy e Moro: três grandes mestres que podem nortear o governo

Conheço bem um menino nascido em 6 de agosto de 1951 que domina o mercado imobiliário melhor do que a história do Santos FC.

E aprendi com ele que não se movimenta propriedade de múltiplos imóveis na velocidade da luz.

Nem imobiliária consegue, e com valores díspares.

E repito, os três mestres Gudes, Levy e Moro podem ensinar aos incautos como se deve atuar no mercado imobiliário.

E, sobre isso, sugiro até um jeito melhor. É só comprar, comprar e comprar e pagar, pagar e pagar, e à vista - porque prazo não presta, prazo vence – e aí você vai arquivando suas escrituras de imóveis para aluguel com a página final do documento de compra carimbado por cartório: “Quem não registra não é dono”.

E no imóvel a coisa menos comum do mundo é a venda na rapidez de um relâmpago.

É assim que se faz, evitando-se que cabaços ou gulosos quebrem a cara ou que tenham eventualmente um imóvel de propriedade questionada na Justiça, um mico moral e financeiro.

E, de pato para ganso, cito a mais importante entrevista política dos últimos tempos na Rádio Bandeirantes com Jair Bolsonaro, provocando uma onda de inveja nos interiores de fiscais permanentes do alheio.

Conseguimos em 70 minutos revelações que pautaram toda a imprensa brasileira e até o The New York Times.

Entrevista de Bolsonaro no "Domingo Esportivo Bandeirantes" foi parar até no... The New York Times!

Para Eduardo Oinegue, do Grupo Band, foi uma rara entrevista que repercute até hoje nos temas “Moro no STF”, “correção do Imposto de Renda pela inflação” e “uso correto do teleprompter”, que o presidente precisa treinar.

E já aprendeu um pouco em Dallas.

Foi monumental feito jornalístico do Grupo Bandeirantes e não desfrutável, como a de Lula antes da eleição, tocada por apoiadores lulistas de ocasião, com gente que já foi serrista, fernandista e... malufista (!!!), que até abaixo-assinado fez pró-Maluf contra Suplicy na eleição para prefeito em 1992.

Enganados, ou mal informados, até Osmar Santos (ele ficou inconformado quando descobriu que foi usado) e João Agripino Dória assinaram.

Ah, e sobre o governo federal, noticiou-se que eu mais nove colegas vamos fazer a comunicação na TV para acelerar a Reforma da Previdência.

Fui consultado e o faço por convicção e honra.

E pedi módicos R$ 500 mil pelo trabalho, com o dinheiro indo direto para entidades filantrópicas de Muzambinho.

Mas é bom frisar: não tem nada fechado.

Se não sair, vou lamentar muito por minhas queridas casas salvadoras de vidas da minha terra.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa