Mexicano fez uma prova de recuperação e contou com erro da Mercedes. Foto: BWT Racing Point F1 Team

Mexicano fez uma prova de recuperação e contou com erro da Mercedes. Foto: BWT Racing Point F1 Team

Há exatamente um ano, então pela Racing Point (atual Aston Martin), o mexicano Sergio Pérez vencia seu primeiro GP na Fórmula 1, em Sakhir.

Pérez, que atualmente compete pela Red Bull, equipe pela qual conseguiu sua segunda vitória, na etapa do Azerbaijão (Baku) deste ano, venceu seu primeiro GP após uma recuperação espetacular na corrida e uma verdadeira lambança da Mercedes, que tinha a vitória nas mãos com Gerge Russell (substituto de Hamilton que estava com covid). 

Porém, o time alemão colocou pneus errados no carro de Russell em sua segunda parada, quando o safety-car virtual havia sido acionado por conta de acidente do estreante Jack Aitken (Williams).

Russell retornou na quinta colocação, mas foi superando seus adversários um a um. Primeiro passou Bottas, depois superou Stroll, Ocon e quando se preparava para ultrapassar Pérez teve um pneu furado. Ele foi aos boxes e voltou em 15º e quebrou a sina de nunca ter marcado um ponto na F1, terminando na nona colocação, muito pouco para quem foi o grande nome da corrida.

As voltas finais foram tranquilas para Pérez na liderança, com Esteban Ocon (Renault) em segundo e Lance Stroll (Racing Point) em terceiro. Carlos Sainz (McLaren) foi o quarto, Daniel Ricciardo (Renault) cruzou a linha de chegada em quinto e Alexander Albon (Red Bull) fechou a lista dos seis primeiros.

BOBAGEM DE LECLERC

Dois daqueles que poderíam figurar no pódio ficaram fora na primeira volta. Leclerc foi inábil e tocou em Pérez. Para desviar dos dois, Verstappen acabou batendo no muro. O holandês abandonou e Leclerc, com o carro avariado, também deixou a prova. Pérez caiu para último e fez uma corrida espetacular escalando o pelotão para, no final, contar com a lambança da Mercedes e conseguir sus primeira vitória na F1.

HINO DO MÉXICO, 50 ANOS DEPOIS NA F1...

Um piloto mexicano não vencia na Fórmula 1 desde o triunfo de Pedro Rodríguez (1940-1971) no GP da Bélgica de 1970, em Spa-Francorchamps, a bordo de uma BRM. 

Pérez, então com 30 anos, começou sua carreira na F1 em 2011 pela Sauber. A boa temporada de 2012 pela mesma Sauber rendeu a ele o convite da McLaren para a temporada de 2013, mas ele não conseguiu um bom ano pelo time de Woking, fechando a temporada em 11º lugar. Em seguida foi para a Force India, que a partir de 2018 passou a se chamar Racing Point.

Foram necessáios 190 GPs para Pérez triunfar pela primeira vez na F1, passando assim a liderar a estatística neste quesito. O australiano Mark Webber ocupa o segundo lugar precisou de 130 GPs para vencer pela primeira vez e o brasileiro Rubens Barrichello levou 124 corridas para subir ao topo do pódio.

Nesta, que talvez seja sua última temporada na F1, Pérez conseguiu sua primeira vitória, na penúltima etapa do campeonato. Foto: BWT Racing Point F1 Team




   

 

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A HOME DE AUTOMOBILISMO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O CANAL DO BELLA MACCCHINA NO YOU TUBE

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa