Durante o GP da Áustria de 1985, capotando com a Ligier. Foto: Reprodução

Durante o GP da Áustria de 1985, capotando com a Ligier. Foto: Reprodução

O italiano Andrea de Cesaris, nascido em Roma, completaria 62 anos nesta segunda-feira (31). O piloto, natural de Roma, morreu em 5 de outubro de 2014, aos 55 anos, em um acidente quando já havia abandonado as pistas, quando trafegava em um estrada romana com sua moto, uma Suzuki 600. Ele perdeu o controle e bateu com violência em um guard-rail.

De Cesaris ganhou fama de destruidor de carros na Fórmula 1. Em 1981, pela McLaren, aniquilou 22 chassis do time britânico ao longo da temporada, o que lhe custou o emprego ao término do ano.

Pela Ligier, em 1985, também por conta de inúmeros acidentes, acabou dispensado antes do término da temporada.

Se hoje se fala muito sobre os milionários que chegam à Fórmula 1, nos anos 80 essa tendência não era muito diferente. De Cesaris era filho de um bem sucedido representante comercial da Marlboro, então uma das principais forças em termos de patrocínio à categoria, estampando sua marca em carros como McLaren, Alfa Romeo e também em macacões de pilotos.

Depois de começar no kart, passar pela Fórmula 3, cateoria pela qual foi o vice-campeão em 1979, ano em que o brasileiro Chico Serra ficou com o título, De Cesaris estreou na Fórmula 1 em 1980, pela Alfa Romeo.

Depois passou por McLaren, voltou à Alfa Romeo, Ligier, Minardi, Brabham, Rial, Scuderia Itália, Jordan, Tyrrell, novamente a Jordan e finalmente a Sauber, sua última equipe, em 1994.

Em 208 GPs disputados subiu ao pódio em cinco deles, mas nunca vencendo: Mônaco (terceiro lugar), Alemanha (segundo lugar), África do Sul (segundo lugar), Bélgica (terceiro lugar) e Canadá (terceiro lugar).

Conquistou uma pole, no Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1982, disputado em Long Beach.

CLIQUE AQUI E VEJA A PÁGINA DE ANDREA DE CESARIS NA SEÇÃO "QUE FIM LEVOU?"

Em 18 de agosto de 1985, o impressionante acidente de Andrea de Cesaris durante o Grande Prêmio da Áustria, em Österreichring, quando guiava pela francesa Ligier

Em 1981 e em 2006


Habilidoso, praticando windsurf. Foto: Divulgação


O capacete de Andrea de Cesaris, italianíssimo. Foto: Divulgação


Matando a saudade dos carros, participando da GP Masters, em 2006. Foto: Divulgação


Aguardando a hora de ir para a pista, nos boxes da Jordan, em 1991. Foto: Divulgação


Em 1991, ao lado de Eddie Jordan, dono da equipe Jordan. Foto: Divulgação


Pintura especial no GP do Canadá de 1994, em sua Sauber-Mercedes. Foi para comemorar seu 200º GP na Fórmula 1. Foto: Divulgação


Pela Sauber, De Cesaris disputou sua última corrida. Foi em 1994, no GP da Europa, disputado no circuito espanhol de Jerez de la Frontera. Foto: Divulgação


Com a Tyrrell-Yamaha em 1993. Ano difícil para a equipe de Ken Tyrrell, e De Cesaris não marcou pontos naquele ano. Foto: Divulgação


No GP do Canadá de 1992, em Montreal, com a Tyrrell-Ilmor. Foto: Divulgação


Em 1991, Andrea de Cesaris competiu pela Jordan, que contava com os motores Ford HB de oito cilindros. Foto: Divulgação


Em 1990, durante o Grande Prêmio do Canadá, em Montreal, com o carro da Scuderia Itália. Foto: Divulgação


Em 1989, pela Scuderia Italia, na aparência confundida com a Ferrari. Mas só na aparência... Foto: Divulgação


Com o carro azul da Rial-Cosworth, em 1988. Foto: Divulgação


Na pequena equipe Rial, em 1988. De Cesaris marcou três pontos na temporada. Foto: Divulgação


Um pódio, o terceiro lugar no GP da Bélgica de 1987, em Spa-Francorchamps, foi o melhor resultado obtido pelo italiano com a Brabham-BMW turbo de quatro cilindros. Na imagem, ele é seguido pelo sueco Stefan Johansson, com McLaren-Porsche. Foto: Divulgação


O carro era bonito, preto e amarelo, mas a Minardi teve um péssimo ano em 1986, segunda temporada da equipe italiana na Fórmula 1. De Cesaris não pontuou. Foto: Divulgação


O espetacular acidente durante o GP da Áustria de 1985, em Österreichring. Grandes danos ao carro, mas De Cesaris saiu ileso. Foto: Divulgação


Muitos abandonos na temporada de 1985 e dispensa após o GP da Holanda por Guy Ligier, dono da equipe francesa. Foto: Divulgação


Na francesa Ligier, em 1984, impusionado pelo motor Renautl V6 turbo, durante o GP da França, disputado no circuito de Dijon-Prenois. Foto: Divulgação


De Cesaris, no começo dos anos 80, e seu macacão estampando vários patrocinadores. Foto: Divulgação


Em 1983, ainda na Alfa Romeo, com o motor turbo de oito cilindros. Foto: Divulgação


Em 1982, de volta a Alfa Romeo, De Cesaris subiu pela primeira vez ao pódio, em Mônaco, quando terminou na terceira colocação. Foto: Divulgação


O apoio da Marlboro, empresa em que seu pai era um importante representante comercial na Itália, garantiu seu contrato com a McLaren em 1981. Foto: Divulgação


Pela McLaren-Ford em 1981, destruindo um dos 22 chassis da equipe inglesa naquele ano. Demissão ao término da temporada... Foto: Divulgação


Em 1980, seu primeiro ano na Fórmula 1, pela Alfa Romeo, equipada com os potentes, mas pesados, motores de 12 cilindros. Foto: Divulgação


Em 1984, então piloto da Ligier. Foto: Divulgação

 

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa