Se for preciso, o calendário será reajustado. Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians

Se for preciso, o calendário será reajustado. Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians

Esta coluna é publicada às quartas-feiras neste portal Terceiro Tempo. No dia anterior, logo cedo, acordo e preparo o material para ser enviado. Esta semana não foi diferente, acordei na terça (16) e dedilhei as linhas que seriam enviadas algumas horas mais tarde.

O texto original era uma defesa para que as autoridades políticas e do Judiciário brasileiro pudessem ouvir a ciência para liberar os jogos de futebol na bolha que foi criada no país por clubes e federações. Semana passada conversei com um membro do Centro de Contingência do novo coronavírus em São Paulo que me garantiu que o futebol não era o principal problema no enfrentamento da doença no estado.Se

Baseado nisso, meu texto original defendia a sequência do Campeonato Paulista. Porém, ao chegar o final da tarde da terça-feira e a divulgação do número de óbitos provocados pela doença – 2.798 mortes em 24 horas – mudei completamente a minha posição. E peço desculpas públicas por isso. Assistir futebol enquanto milhares de parentes de mortos choram pela tragédia é de uma enorme falta de empatia e sensibilidade. E a última mensagem que gostaria de passar é a de insensível.

Assim, pedi ao amigo Marcos Micheletti que derrubasse meu texto original e publicasse este manifesto pela vida e pelo respeito ao próximo. O futebol pode esperar e assim como aconteceu no ano passado, se for preciso, o calendário será reajustado.

Meu respeito e solidariedade a todos aqueles que estão sofrendo pela perda de um familiar ou por aqueles que estão lutando pela vida em milhares de leitos hospitalares em todo o Brasil

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa