Muricy Ramalho tem como principal desafio controlar o ânimo em jogos do São Paulo

Muricy Ramalho tem como principal desafio controlar o ânimo em jogos do São Paulo

João Henrique Marques

Do UOL, em São Paulo

Uma versão "light" de Muricy Ramalho está sendo colocada em prática pelo treinador. Desde o susto com a arritmia cardíaca que o levou para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), há quase um mês, alguns costumes foram modificados para preservar sua saúde e manter suas atividades profissionais ativas.

Muricy voltou a treinar o São Paulo há pouco mais de duas semanas e tem apresentado enorme controle emocional. Ao UOL Esporte, funcionários que convivem com o treinador no clube confirmam ser essa a principal mudança na rotina treinador. "Preciso diminuir a intensidade, não tem jeito", é o que diz o próprio Muricy quando perguntado sobre o que mudou após o susto.

O lado estressado durante os jogos deu origem a um Muricy moderado nas palavras e atencioso. A postura em pé à beira do campo, gritando com jogadores, e a tradicional pressão aos árbitros, foram deixadas de lado até o momento, com o treinador permanecendo sentado a maior parte das partidas.

"Ele está mais calmo, sereno. No futebol é complicado você controlar estresse, mas nós procuramos ajudar. Eu já o sinto diferente, fico animado com isso", disse Tata, auxiliar do treinador desde 1999.

"Ele vive de futebol, então não dá para mudar de uma dia para o outro a maneira de se expressar. Eu o vejo mais sossegado, tranquilo. Agora tem que seguir com o controle da paciência", disse um dos líderes do time, o lateral esquerdo Alvaro Pereira. " Vamos tratar de fazer ele sofrer menos e dar mais alegria", completou o uruguaio aos risos.

Muricy também seguiu à risca orientação médica e cortou café e produtos que tem derivados da cafeína, como guaraná e alguns chás. Essa é a mudança considerada mais sacrificante pelo treinador, que mantinha hábito de tomar café frequentemente.

Trabalhos fisioterápicos são realizados. Regime e até mesmo não dirigir também fazem parte de uma nova rotina do treinador. Chama atenção o fato de que o treinador não sobe nem os 20 degraus que separam o piso térreo da sala de entrevistas do São Paulo. É uma recomendação médica para evitar subir escadas no momento.

Não é a primeira vez que o treinador tem um susto com a sua saúde. Em 2011 ele foi levado em caráter de urgência para o hospital com uma hérnia de disco e, ainda no ano passado, foi internado devido a uma diverticulite.

Com um histórico de problemas de saúde, Muricy se viu obrigado a aumentar a prática de exercícios físicos. No São Paulo, ele caminha ao redor dos campos do centro de treinamento constantemente após as atividades do time. Os exercícios, embora leves, são considerados vitais no momento.

No treino da última terça, como havia uma viagem a Chapecó com o elenco programada para a tarde, o técnico chegou cedo ao CT e fez exercícios na esteira, cumprindo assim a sua dose diária de atividades.

Muricy teve arritmia cardíaca considerada leve e se prende ao fato de os exames não terem diagnosticado nada grave no coração para dizer que não pensa em encurtar a carreira. O contrato com o São Paulo vai até o fim de 2015.

O lado brincalhão de Muricy nos treinamentos ainda se faz presente. Gozações com jogadores e membros da comissão técnica são sempre feitas, dando tom de que o estresse vivido realmente alcança o ponto alto durante os jogos .

"Não dá para querer arrumar saindo do futebol, é um vício. Eu sou desse jeito. Tenho que me acalmar um pouco", destacou Muricy.

"Tentamos fazer só as coisas boas chegarem a ele a todo momento. Precisamos escolher o momento certo para falar as coisas ruins", brincou o escudeiro Tata.

FOTO: UOL

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Ath
    6
  • 2 Atl
    6
  • 3 Grê
    4
  • 4 Atl
    3
  • 5 Spo
    3
  • Veja tabela completa