Oscar jogou a Copa de 1982

Oscar jogou a Copa de 1982

Um dos grandes zagueiros da história do futebol brasileiro, Oscar Bernardi comemora 68 anos de vida nesta segunda-feira (20).  

Zagueiro que misturava técnica e garra, Oscar começou a carreira profissional na Ponte Preta. Em 77, ele fez parte da equipe da Macaca que foi vice-campeã paulista. Oscar formava o miolo de zaga com Polozzi, que depois defenderia o Palmeiras.

Ao lado de Darío Pereyra, anos mais tarde, Oscar formou um dos maiores miolos de zaga da história do São Paulo Futebol Clube. A boa fase no começo dos anos 80 lhe rendeu um lugar na seleção comandada por Telê Santana em 82.

Oscar foi o capitão da Seleção Brasileira que encantou o mundo durante a Copa da Espanha, mas que ficou marcada pela derrota para a Itália, de Paolo Rossi, por 3 a 2.

Bom principalmente nas bolas altas, Oscar também se destacava quando partia para o ataque. Não eram raros os gols de cabeça do zagueiro, que abriu as portas para muitos brasileiros no Japão.

Em pé, da esquerda para a direita: Zé Carlinhos, Oscar, Bernardo, Anselmo, Fonseca, Zé Teodoro e Zé Carlos. Agachados: Pianelli, Neto, Adílson, Pita, Silas, pessoa não identificada e Sidney. Foto enviada pelo internauta Gilvannewton Souza

 

Assis escalou assim sua Seleção de todos os tempos. Goleiro: Diego Cavalieri; zagueiros: Ricardo Gomes e Oscar; laterais: Branco e Carlos Alberto Torres; volante: Clodoaldo; meias: Didi e Zico; atacantes: Garrincha, Pelé e Ronaldo. Imagem: Placar

 

Final do Campeonato Paulista de 1977, vencido pelo Corinthians, com o histórico gol de Basílio, em 13 de outubro de 1977. Na foto, da Revista Placar, da esquerda para a direita: Jair Picerni, Geraldão, Oscar, Romeu (atrás, parcialmente encoberto e Carlos) e Carlos, encaixando a bola

 

A única partida do goleiro João Marcos na Seleção Brasileira foi em 21 de junho de 1984, em Curitiba-PR, no estádio Couto Pereira, sob o comando de Edu Coimbra, o time verde e amarelo venceu o Uruguai por 1 a 0, gol de Arturzinho. Em pé: Edson Abóbrão, João Marcos, Oscar, Mozer, Jandir e Wladimir. Agachados: o massagista Nocaute Jack, Tita, Delei, Reinaldo, Arturzinho e Marquinho Carioca. Foto Arquivo pessoal João Marcos.

 

Tominho Cerezo escalou assim sua Seleção de todos os tempos. Goleiro: Waldir Peres; laterais: Leandro e Júnior; zagueiros: Oscar e Luizinho; meias: Gerson, Cruijff e Rivellino; atacantes: Vialli, Reinaldo e Bruno Conti; técnico: Telê Santana. Imagem: Revista Placar

 

Da esquerda para a direita, Oscar, Falcão, Dario Pereyra, Márcio Araújo e jogador não identificado. Foto UOL

 

Oscar e Waldir Peres após a coletiva com a imprensa para o lançamento do livro de Falcão sobre a Copa de 82, em 13 de dezembro de 2012, no Museu do Futebol, no Pacaembu. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

 

Waldir Peres esteve presente na coletiva com a imprensa ao lado de Falcão, que lançou seu livro sobre a Copa de 82 no Museu do Futebol, no Pacaembu. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

 

Oscar, Waldir Peres e Falcão em 13 de dezembro de 2012, no Museu do Futebol, no Pacaembu, em São Paulo. Foto: Marcos Júnior/Portal TT

 

Waldir Peres, Falcão e Oscar no Museu do Futebol em 13 de dezembro de 2012 para o lançamento do livro de Falcão. "Brasil - O Time que Perdeu a Copa e Conquistou o Mundo". Foto: Marcos Júnior/Portal TT

 

João Leite escalou assim sua Seleção de todos os tempos. Goleiro: Ortiz; laterais: Nelinho e Jorge Valença; zagueiros: Oscar e Luizinho; meias: Toninho Cerezo, Falcão, Zico e Pelé; atacantes: Garrincha e Reinaldo; técnico: Telê Santana. Imagem: Revista Placar

 

Os amigos Polozzi, Oscar e Carlos, em uma partida de futsal em Vinhedo-SP

 

Vejam a seleção formada por grandes craques que defenderam Ponte Preta e Guarani na década de 70. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos, Oscar, Mauro, Polozzi, Zé Carlos e Odirlei. Agachados: Lúcio, Renato Pé Murcho, Careca, Zenon e Tuta

 

Paulinho McLaren escalou seu time assim: Taffarel, Leandro, Oscar, Luisinho, Branco, Zico, Clodoaldo, Falcão, Pelé, Jairzinho e Romário. O técnico é Felipão. Foto: Reprodução Placar/ Edição: agosto de 2012

 

Da esquerda para a direita, em pé: Carlos, Oscar Bernardi (o quinto), Polozzi (o sétimo), Vanderlei Paiva, Rafael Cammarota, Jair Picerni, Odirlei e o técnico Zé Duarte (o último). Agachados: Marco Aurélio (o terceiro), Dada Maravilha (o sexto), Dica e Tuta. Foto enviada por Gilvannewton

 

Milton Neves, Oscar Bernardi e Edson Luis no hotel de Oscar, o Oscar Inn Eco Resort, situado na cidade de Águas de Lindóia-SP

 

Oscar Bernardi treinou o Nissan FC, ele aparece no centro da imagem, de camisa branca

 

Da esquerda para a direita: Turibio Leite de Barros Neto, Moracy Santana, Valdir Joaquim de Moraes, pessoa não identificada, Telê Santana, o massagista Hélio, Oscar e Altair Ramos. Foto: Arquivo de Valdir Joaquim de Moraes

 

Na fileira de cima, da esquerda para a direita, o terceiro é Édson Boaro, seguido por Valdo, Zico, Edivaldo, Josimar, Elzo, Muller e Gata Mansa. Na fileira de baixo, aparecem Silas, Careca, Paulo Vitor, Leão, Júnior, Alemão, Mauro Galvão, Branco e duas pessoas não identificadas. Na fileira de baixo, o segundo é Nocaute Jack, Falcão, Oscar, Edinho, Carlos, Sócrates, Júlio César, Mozer, Casagrande e Lucas Neto. Sentados, aparecem Moracy Santana, Valdir Joaquim de Moraes, Neylor Lasmar, Telê Santana, Nabi Abi Chedid, José Maria Marin, pessoa não identificada, Gilberto Tim e mais três pessoas não identificadas. Foto: Arquivo de Valdir Joaquim de Moraes

 

Milton Neves e o ex-zagueiro Oscar posam na frente de algumas relíquias da carreira do atleta, em seu hotel Oscar Inn Eco Resort, em 25 de maio de 2012

 

No hotel Oscar Inn Eco Resort, situado em Lindóia-SP, o ex-zagueiro Oscar mantém uma parede com os escudos das equipes que defendeu

 

Oscar Bernardi recebeu Milton Neves em seu hotel, o Oscar Inn Eco Resort, situado na cidade de Águas de Lindóia-SP, no dia 25 de maio de 2012

 

Equipe que encantou o mundo em 1982, na Copa da Espanha. Em pé, da esquerda para a direita: Waldir Peres, Leandro, Oscar, Falcão, Luizinho e Júnior. Agachados: o massagista Nocaute Jack, Sócrates, Toninho Cerezo, Serginho, Zico e Éder. Reprodução/In My Ear

 

Da esquerda para a direita, em pé: Carlos Alberto Silva sendo entrevistado. Waldir Peres, Oscar, Getúlio, Almir, Dario Pereyra e Airton. Agachados: o massagista Hélio Santos, Paulo César, Renato, Serginho Chulapa, Heriberto e Zé Sérgio. Foto enviada por Givannewton

 

Na primeira fila, em pé, da esquerda para direita: Zé Teodoro, Rubinho, Tangerina, Silas, Adilson, Márcio Araújo, Anselmo, Zé Carlos, Pita, Daniel, Ronaldo,Edmilson, Dario Pereyra, Bernardo, Vagner Lopes e Wagner Basílio. Na segunda fila, em pé, da esquerda para direita: Éder Taino, Sidnei, Quinho, Manu, Gilmar, Fonseca, Vizolli, Nelsinho, Rômulo, Lê, Zé Carlinhos, Lange e Neto. Na terceira fila, sentados, da esquerda para direita: Muller, Sandro, Calíquio, não identificado, Sr. Hélio, Zé Carlos Serrão, Pepe, Juvenal Juvêncio, Bebeto, Gilberto, Marco Aurélio, Tião, Zé, Luis Rosan, Jairo e Oscar. No destaque, com a taça nas mãos, o atacante Careca.

 

Da esquerda para a direita, na fileira de cima: Mário Travaglini (o quarto), Cláudio Coutinho (o quinto), Admildo Chirol (o sétimo), Lídio Toledo (o nono), Carlos Alberto Cavalheiro e Ximbica. Na fileira do meio: Waldir Peres, Rodrigues Neto, Rivellino, Gil, Zico, Carlos, Nelinho, Leão, Polozzi e Oscar. Sentados: Toninho Cerezo, Roberto Dinamite, Dirceu, Reinaldo, Amaral, Edinho, Zé Sérgio, Batista, Jorge Mendonça, Abel Braga, Toninho Baiano e Chicão. Foto: Arquivo pessoal

 

Da esquerda para a direita, Jorge Mendonça, Oscar, Polozzi, Rodrigues Neto e Carlos. Foto: Arquivo pessoal

 

Da esquerda para a direita, Oscar e Polozzi. Foto: Arquivo pessoal

 

Na vitrine da loja paulistana Esporte Fabiano, no bairro do Tatuapé, três cartazes iguais com os garotos-propaganda da gigante francesa de materiais esportivos, a le coq sportif. Nos cartazes estão Oscar Bernardi, Batista e Zico. E à porta da loja, três funcionários aguardando a chegada de Zico, que compareceu para uma sessão de autógrafos. Além da grife francesa, é possível observar o nome de outras empresas, dentre elas a Olympikus, Adidas, Penalty, Arena, Speedo e Piazza (troféus).Foto: Sarkis

 

Na loja paulistana Esporte Fabiano, no bairro do Tatuapé, Zico participou da campanha de lançamento de materias esportivos da gigante francesa le coq sportif na década de 80. Atrás, no cartaz, estão Oscar, Batista e Zico. Foto: Sarkis

 

Na revista podemos ver os jogadores, Amaral e Oscar na parte de cima. Já na parte de baixo à direita, está Mário Motta (com o uniforme do Internacional). Foto reprodução da Revista Placar, enviada por Paulo Motta

 

Partida entre São Paulo 2x0 Ponte Preta, no estádio do Morumbi, em que Arnaldo Cezar Coelho facilitou as coisas para o Tricolor. O jogo aconteceu no dia 05 de novembro de 70 e na foto da esquerda apar direita: J. Hawilla, Arnaldo, Wilson e Oscar

 

Oscar e Clodoaldo, jogo realizado em Manaus. Foto enviada por Waldevir dos Santos

 

A comissão técnica e os jogadores acompanhando um jogo durante a preparação brasileira para a Copa da Espanha. Na primeira fileira, da esquerda para a direita: Valdir Joaquim de Moraes, Moraci Santana e Telê Santana. Atrás estão Tita, Luisinho e Edvaldo. Na terceira fileira, Getúlio, Sócrates e Zé Sérgio. Mais acima, Oscar e Batista. Foto: arquivo de Valdir Joaquim de Moraes

 

Ary Mantovani recebendo uma medalha, no "Jogo da Paz", em Águas de Lindóia, interior de São Paulo

 

Em Águas de Lindóia. Ary Mantovani (de camisa azul) e Oscar, com uma fã, na bela estância hidrotermal do interior de São Paulo

 

Da esquerda para a direita, Oscar é o segundo, e Ary Mantovani é o último, em julho de 2010

 

Ary Mantovani e Oscar, preparados para o pontapé inicial em Águas de Lindóia

 

Oscar, um amigo e Ary Mantovani, em julho de 2010, na cidade de Águas de Lindóia

 

Em Águas de Lindóia, com Oscar, no "Jogo da Paz". Ary foi homenageado por vários gols olímpicos que fez

 

Em pé, da esquerda para a direita: massagista, Leão, Oscar, Marco Antonio, Ronaldo, Ademir, Chiquinho e o técnico Candinho. Agachados: Silvinho, Heriberto, Dino Furacão, Mário Sérgio e Zé Sérgio

 

Com um gravador portátil, utilizando fita cassete, mais leve e prático, Marco Antonio entrevista Oscar, em um embarque da Seleção Brasileira. Entre os dois, está o lateral corintiano Zé Maria. Foto: arquivo pessoal de Benedito Marcantonio

 

Véspera da decisão Corinthians x Ponte Preta, em 1977, pelo título paulista: Marcos Barrero entrevista o zagueiro ponte-pretano Oscar para A Gazeta Esportiva

 

Em 1998, voltou a Arábia para treinar o Al Shabab, também de Riad

 

Com 33 anos de idade, jogando no Japão a 2 anos, resolveu mudar de função, foi convidado para ser Técnico do Nissan e aceitou. Atualmente o futebol é um dos principais esportes no Japão, mas Oscar conta que quando chegou no país o esporte era bastante amador. Os jogadores geralmente trabalhavam na produção da empresa Nissan e treinavam a tarde. "O Zico chegou quatro anos depois, eu já estava voltando, ele chegou só para o filé, a carne de pescoço nós já tínhamos devorado", brinca Oscar. Em 1990, a convite de Telê Santana, foi auxiliar no SPFC por um ano

 

Em 1987 o SPFC negociou seu passe com o Nissan (hoje Yokohama Marinus), do Japão. Oscar foi um dos primeiros brasileiros a chegar ao futebol japonês, às vésperas da popularização do esporte no país. Virou ídolo da torcida japonesa. Ao encerrar a carreira, seguiu como técnico naquele país

 

 

 

Em 1986 foi convocado para a Copa do Mundo no México. Ficou na reserva, apesar de ter sido o capitão da Seleção em todos os amistosos daquele ano, menos em um. O amistoso contra o Chile, em 7 de Maio, seria sua última partida oficial com a camisa amarela

 

No São Paulo F. C. conquistou um novo título somente em 1985, quando foi Campeão Paulista. Oscar quase ficou de fora da decisão, tinha contraído uma infecção intestinal dois dias antes e na preparação para o jogo ficou deitado em uma maca no departamento médico o tempo inteiro. Como no final de 1985 esteve sob a sombra de uma recuperação de cirurgia no joelho voltou para o Campeonato Brasileiro de 1986. Em pé, na primeira fileira de cima, da esquerda para a direita, o primeiro é Cilinho, o segundo Oscar, o quinto é Pintado, o sexto Dario Pereyra, o sétimo Sidnei e o décimo Careca. Em pé, na segunda fila, no meio, da esquerda para a direita, o quarto é José Carlos Serrão, o sexto Falcão, o oitavo Abelha, o nono Gilmar Rinaldi, o décimo primeiro Nelsinho, o décimo segundo Fonseca, o décimo quinto Bebeto e último Marco Aurélio Cunha. Sentados, na terceira fila, da esquerda para a direita, o primeiro é Hélio, o segundo Müller, o sétimo Juvenal Juvêncio, o oitavo Renatinho, o décimo Pita e o décimo segundo Silas.

 

Com a camisa 3 da Seleção Brasileira, Oscar marca de cabeça sobre a Escócia, na primeira fase da Copa do Mundo de 1982. O camisa 9, de costas, é Serginho Chulapa

 

Recuperado foi convocado para Copa de 1982, quando foi capitão da maior Seleção de todos os tempos. Embarcou para a Espanha e desenvolveu sua função sem cometer uma única falha, porém o Brasil foi eliminado pela Itália nas quartas-de-final. "Nosso time é superior ao deles", lamentou o zagueiro após a partida

 

Em 1981 conquistou o vice-campeonato brasileiro e o bicampeonato paulista, este previsto com quase três meses antes do jogo final. "Vamos ser campeões paulistas", garantiu ainda no segundo turno do campeonato à Placar. O time cumpriu a promessa de seu zagueiro, mas sem ele, que sofreu uma contusão na virilha e ficou fora da reta final, sendo substituído por Gassem

 

Em 1979 foi vendido para o New York Cosmos (EUA), conquistando no time o título Campeão da Liga Norte-Americana

 

"Quando fui convocado, não esperava muita coisa", contou ele à revista Placar, em abril de 1979. "Ir à Argentina era muito bom. Para um jogador do interior, isso já era demais. Não esperava ser convocado para a Seleção jogando pela Ponte". Pois até então somente os grandes clubes que enviavam jogadores para a Seleção

 

 

 

 

 

Em 1º de Abril de 1978 entrou em campo pela primeira vez como titular da Seleção em jogo amistoso conta os franceses. Foi considerado uma das maiores expressões da equipe brasileira naquela Copa e o eleito entre os 11 melhores pela FIFA. Em 1978 era considerado o melhor zagueiro central do Brasil, e a zaga que formava com Amaral na Seleção era considerada a ideal. No Paulistão seguinte, ficou novamente com o vice-campeonato

 

A maneira séria e competente como desempenhou sua função resultou na convocação para a Seleção Brasileira Juvenil, campeã sul-americana em 1974. A importante contribuição de Oscar para o título da Seleção Juvenil rendeu-lhe em 31 de maio de 1974 a primeira convocação para a Seleção Brasileira, para defender a vaga do Brasil nas eliminatórias para a Copa de 1978

 

Em 1972 estreou no profissional da Ponte Preta. Na ocasião o time de juniores havia sido liberado para ir para casa, mas Oscar preferiu ficar em Campinas para assistir ao jogo A. A. Ponte Preta X Santos F. C. O zagueiro do time principal não renovou o contrato, então Oscar o substituiu e fez isso com tanta competência que manteve-se dono da camisa 3 da Macaca por 8 anos

 

Em 1971 terminou o 1º grau e com o apoio dos pais, seus maiores incentivadores, mudou-se para Campinas. Em 1977 Se formou em Fisioterapia na PUCCAMP

 

No início dos anos 70 foi levado por Mário Juliato para a A. A. Ponte Preta. E chegou a abandonar o time 2 vezes por sentir saudades de casa

 

Nascido em 20 de junho de 1954, em Monte Sião ? MG. Desde 8 anos de idade era destaque nos campos de Monte Sião e região

 

A fã Mônica e o marido são-paulino fizeram questão de posar para foto ao lado de Oscar (centro), no Oscar Inn, em Lindóia (SP), hotel comandado pelo ex-zagueiro no famoso Circuito das Águas, no dia 12 de janeiro de 2009

 

Viagem do Tricolor ao Vaticano, na década de 80. Na fileira da frente, da esquerda para a direita, vemos: Oscar, Marco Aurélio Cunha, Constantino Cury (de óculos), o saudoso papa João Paulo II, mulher não-identificada, Juvenal Juvêncio, Pita, Cilinho, Zé Mário e Casagrande. Na fileira de trás, na mesma ordem: Paulo Roberto, massagista Hélio Santos, mulher não-identificada, Antonio Leme Nunes Galvão (de preto), Geraldo, Abelha, homem grisalho não identificado, Bebeto, Barbirotto (com a mão no ombro de Pita), Careca e Fonseca (atrás, entre Pita e Cilinho)

 

Oscar, Bessa e Mauro com a camisa da seleção brasileira em Toulon, na França.

 

Seleção Brasileira posando para foto durante torneio de Novos em Toulon, na década de 1970. Em pé, vemos Muricy Ramalho, Mauro Cabeção, Bessa, Rubens, Oscar e Ricardo; agachados estão Mauro, Miranda, Maizena, Zé Mário e Lélio.

 

Nesta foto, em Toulon, França, os jogadores em destaque, da esquerda para a direita: Djalma Sena Marques (ex-Juventus), Mauro (ex-Guarani) e Oscar (ex-Ponte Preta e São Paulo). O segundo, à frente, da esquerda para a direita é o goleiro Bessa e o terceiro é o cartola João Athala. Foto enviada por Daniela Sena, filha de Djalma Sena Marques

 

A qualidade da foto não é das melhores mas a imagem vale pelo registro histórico. Esta foi uma Seleção Brasileira que disputou, na década de 1970, um torneio de novos em Toulon, na França. Em pé vemos o saudoso Paulo Amaral, Oscar, Rocco Sanches (histórico massagista do Corinthians), Jair, Pirangi, Donizete, Rubens, Jarbas, Mauro, Ricardo, personagem não identificado), Bessa, doutor Léo Vilarinho e professor José Teixeira; agachados estão Nilton, personagem não identificado), Muricy, Nei, Eudes, Zé Mario, Maisena, personagem não identificado, outro personagem não identificado e Vicente

 

Ponte Preta e XV de Piracicaba fizeram grandes duelos pelo Campeonato Paulista. A imagem registra o zagueiro Oscar(PP) disputando uma bola com Nardela (XV), o camisa sete Lúcio(PP) e o número 11, Zé Luiz (XV) ,observam a jogada. Polozzi, beque ponte-pretano é o último do lado direito

 

Voa canarinho voa. A seleção brasileira voou baixo na Copa da Espanha de 1982 mas voltou para casa antes da semifinal. Uma derrota para a Itália frustrou o sonho do tetra, que acabou chegando apenas 12 anos depois. A foto mostra Waldir Peres, Leandro, Oscar, Falcão, Luizinho e Júnior em pé e Nocaute Jack, Sócrates, Toninho Cerezzo, Serginho, Zico e Éder agachados

 

A belíssima seleção de 82. Em pé, da esquerda para a direita: Telê Santana, Valdir Peres, Oscar, Edinho, Luisinho, Toninho Cerezo, Júnior, Renato Pé Murcho, Sócrates, Leandro, Juninho e Carlos. Agachados: Edevaldo, Zico, Paulo Isidoro, Batista, Serginho Chulapa, Paulo Sérgio, Dirceu, Éder Aleixo, Careca e Pedrinho.

 

Brasil em 1982. Agachados: Dirceu, Sócrates, Serginho Chulapa, Zico e Éder.

 

Da esquerda para a direita, no Terceiro Tempo da Record: o técnico Tite, Daniela Freitas, Branco, Milton Neves e Oscar.

 

Foto do time da Ponte Preta no dia 9 de outubro de 1977, quando venceu o Corinthians por 2 a 1 (Vaguinho fez para o Corinthians; Dicá e Rui Rei marcaram para a Ponte), no Morumbi, e assim provocou o terceiro jogo decisivo de Paulistão. Naquele dia, o Cícero Pompeu de Toledo recebeu 146.082 torcedores, recorde do estádio. Em pé: Odirlei, Jair Picerni, Vanderlei, Oscar e Polozzi. Agachados: Lúcio, Dicá, Rui Rei, Marco Aurélio Moreira e Tuta

 

 

 

Uma seleção brasileira em 1986, pouco antes da Copa do Mundo do México. Em pé: Leandro, Elzo, Oscar, Mozer, Carlos e Branco. Agachados: Nocaute Jack (massagista), Marinho, Sócrates, Careca, Muller, Edivaldo e o roupeiro Ximbica. A foto foi enviada por Alessandro Lazarini Silveira.

 

Seleção Brasileira posando para foto no estádio Centenário durante o Mundialito. Em pé estão João Leite, Toninho Cerezzo, Luisinho, Oscar, Edevaldo e Júnior; agachados vemos Tita, Paulo Isidoro, Sócrates, Batista e Zé Sérgio

 

Oscar, aqui em foto de 1981, defendeu a Seleção Brasileira com muita regularidade

 

Mais uma foto da Ponte Preta na década de 1970. Em pé vemos Moacir, Polozzi, Oscar, Vanderlei, Jair e Odirlei; agachados estão Lúcio, Marco Aurélio, Parraga, Dicá e Genau

 

Esta foto ilustrou um calendário comemorativo do São Paulo aos seus 46 anos de vida, em 1981. Em pé estão Waldir Peres, Getúlio, Oscar, Dario Pereyra, Almir e Marinho Chagas; agachados vemos Paulo Cesar, Renato, Serginho, Mário Sérgio e Zé Sérgio

 

A Ponte Preta da década de 1970 que tantas alegrias deu a mais fanática torcida do interior paulista. Em pé vemos Mauro Dias, Polozzi, Oscar, vanderlei, Moacir e Odirlei; ajoelhados estão Lucio, Marco Aurélio, Parraga, Dicá e Genau

 

Paulo Nani (à direita) ao lado do grande zagueiro Oscar no estádio do Morumbi

 

Julio Iglesias vestiu nesse dia a camisa 1 de Waldir Peres. De costas, vemos a cabeça e o perfil do ex-volante Almir. Ele é seguido, no sentido anti-horário, por Marinho Chagas, de corrente. Poy está com o agasalho tricolor. No fundo, Barbirotto aparece de camisa azul, sorrindo. Do lado esquerdo dele está o zagueiro Oscar.

 

E veja acima fotos de um dia especial na vida de Barbirotto. Da esquerda para a direita: José Carlos Serrão, Oscar, pessoa não identificada, Julio Iglesias, Poy e Barbirotto. No fundo vemos Renato Pé Murcho, Marinho Chagas, Zé Sérgio e Dario Pereyra.

 

Em 1981, o cantor espanhol Julio Iglesias (que já foi goleiro do Real Madrid) visitou o São Paulo FC, no Morumbi. Da esquerda pra direita, na primeira fileira, estão: Flavinho (lateral-direito das divisões de base que não emplacou), Renato Pé Murcho, Paulo César Capeta, Teodoro, Oscar, Marinho Chagas, Julio Iglesias, Dário Pereyra, Poy, Toínho, Waldir Peres, Nelsinho e Barbirotto. Na segunda fileira você confere: Luiz Fernando, Tatu, Almir, Edel, Heriberto, Serginho Chulapa, Jaiminho, Everton e Gassen. Sentados, na última fileira, estão: um integrante da comissão técnica, Mário Sérgio, Carlinhos Maracanã, Zé Sérgio, Élvio, o massagista Hélio Santos e Getúlio

 

 

 

A Ponte no estádio Moisés Lucarelli

 

Em pé: Waldir Peres, Getúlio, Oscar, Darío Pereyra, Almir e Marinho Chagas. Agachados: o massagista Hélio Santos, Paulo César Capeta, Renato, Serginho Chulapa, Everton e Mário Sérgio

 

Oscar sempre deu boas entrevistas

 

Pelé acompanhando treino da Seleção Brasileira, ao lado do então zagueiro Oscar. Foto: Arquivo Pessoal de Oscar

 

Em pé: Waldir Peres, Darío Pereyra, Oscar, Getúlio (o Gegê da cara grande), Almir e Aírton. Agachados: o massagista Hélio Santos, Paulo César Capeta, Renato, Serginho Chulapa, Heriberto e Zé Sérgio. Esse foi o São Paulo campeão paulista de 1980. O Tricolor venceu os dois jogos finais contra o Santos pelo placar mínimo

 

Em maio de 2022, com o livro "O Jeito Brasileiro de Jogar Futebol", do treinador Marcos Falopa. Foto: arquivo pessoal de Oscar

 

Em abril de 2022, Dario Pereyra, César Filho e Oscar. Foto: arquivo pessoal de César Filho

 

Participação de Oscar na live de Marcos Falopa em 29 de março de 2022

 

Marcos Falopa em divulgação de live com o ex-zagueiro Oscar para o dia 19 de maio de 2020

 

No Morumbi, nos ano 80, Oscar e o repórter Gilson Ribeiro. Foto: arquivo pessoal de Gilson Ribeiro

 

Os ponte-pretanos Carlos e Oscar em 1977. Foto: Instagram/Pontestore

 

Oscar Bernardi e o técnico João Vallim (centro). Reprodução Facebook/João Vallim

 

Seleção Paulista de Novos, em 1974. Em pé: Muricy Ramalho, Djalma, Nilton, Jair, Bessa, Donizetti, Mauro Cabeção, Oscar, Ricardo e José Teixeira (treinador). Agachados: Leo Villarinho (médico), Rocco (massagista), Maizena, Nei, Jair, Zé Mário, Jarbas, Eudes, Rubens, Serginho, Vicente e Luis Poiani.

 

Amistoso da seleção paulista contra a seleção japonesa, em 1985. A seleção paulista teve Leão, Sidmar, Chiquinho, Ronaldo, Oscar, Nildo, Marco Antonio, Falcão, Ademir, Heriberto, Mário Sérgio, Amado, Gersinho, Dino Furacão, Careca, Raudinei, Silvinho e Zé Sérgio.

 

Nenê ao lado do ex-zagueiro Oscar, na sua primeira passagem pelo Al-Hilal, em 2004.

 

São Paulo em torneio amistoso contra o Avaí, dia 18 de julho de 1985, na Ressacada. Em pé: Dario Pereyra, Fonseca, Gilmar Rinaldi, Ruben Furtenbach, Marcio Araújo e Oscar. Agachados: Freitas, Pianelli, Careca, Pita, Sidney e Marco Aurélio Cunha. O tricolor ganhou de 1 a 0, gol de Pianelli

 

Oscar, Waldir Peres e Falcão em 13 de dezembro de 2012, no Museu do Futebol, no Pacaembu, dia em que Falcão lançou o livro `Brasil - O Time que Perdeu a Copa e Conquistou o Mundo´. Foto: Marcos Júnior Micheletti/Portal TT

 

Dicá e Oscar em confraternização da Ponte Preta em agosto de 2016. Foto enviada por Mineirinho

 

A dupla de zaga da Ponte Preta em 1977, Oscar e Polozzi, em confraternização da Ponte Preta em agosto de 2016. Foto enviada por Mineirinho

 

Oscar, Osvaldo Dadá Maravilha e Mineirinho em confraternização da Ponte Preta em agosto de 2016. Foto enviada por Mineirinho

 

Craques do futebol brasileiro em 1978, em imagem da revista Manchete Esportiva. Em pé, da esquerda para a direita: Leão, Oscar, Amaral, Falcão, Miranda, Zé Maria e Carlos Alberto Silva. Agachados: Careca, Zico, Palhinha, Paulo César Carpegiani e Zenon

 

Na década de 70 e em 2012

 

Brasil, em 1978. Equipe que fez a preparação para a Copa do Mundo na Argentina. Da esquerda para a direita, em pé: Toninho Baiano, Emerson Leão, Oscar Bernardi, Edinho, Toninho Cerezo, Amaral e o preparador físico Admildo Chirol. Agachados: o massagista Nocaute Jack, Tarciso, Zico, Reinaldo, Rivellino e Dirceuzinho

 

Preparação para a Copa de 1978. Atrás, da esquerda para a direita, Leão, Oscar Bernardi, Roberto Dinamite e Zico. À frente, o grande Osmar Santos. Foto: acervo pessoal de Oscar Ulisses

 

Na Prefeitura de Campinas, em 8 de julho de 2015. Dicá, Zenon e Oscar. Foto: Carlos Bassan

 

Na Prefeitura de Campinas, em 8 de julho de 2015. à mesa, da esquerda para a direita: Oscar, Dicá, Jonas Donizetti (em pé), Careca e Zenon. Foto: Carlos Bassan

 

Na Prefeitura de Campinas, em 8 de julho de 2015. à mesa, da esquerda para a direita: Oscar, Dicá, Jonas Donizetti (em pé) e Careca. Foto: Carlos Bassan

 

Seleção Brasileira, no Mundialito de 1981. Da esquerda para a direita, em pé: João Leite, Edevaldo, Toninho Cerezo, Oscar, Luizinho e Junior. Agachados: Nocaute Jack, Tita, Paulo Isidoro, Sócrates, Batista e Zé Sérgio

 

Lançamento da campanha contra o racismo do Governo do Estado de São Paulo, no dia 16 de abril de 2015. Em pé, ao centro, aparece o ex-lateral Zé Maria, seguido por Lima, Basílio e Mengálvio. Agachado, também ao centro, aparece o então governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que tem atrás César Maluco e ao seu lado Wladimir e Oscar Bernardi

 

Carlos Alberto com a bola, Oscar dando entrevista e Clodoaldo ao seu lado.Eles participaram de um amistoso entre Cosmos x Fast.

 

Acima, o time do Paulista de 1977. Em pé: Odirlei, Dicá, Oscar, Polozzi, Eugênio, Wilson Zanon, Júlio, Wanderley Paiva e Angelo. Agachados: Luiz Sérgio (Massagista), Lúcio, Jair Picerni, Tuta, Carlos, Rui Rei, Afrânio e Parraga. Foto: Site oficial da Ponte Preta

 

Time brasileiro antes da `Batalha de Rosário´ ? empate em 0×0 contra a Argentina. Em pé: Gil, Leão, Oscar, Amaral, Batista e Rodrigues Neto. Agachados: Toninho, Chicão, Jorge Mendonça, Roberto e Dirceu. A foto e a legenda foram retiradas do blog Tardes de Pacaembu, de Rogério Revelles

 

A Seleção brasileira posou para a foto antes do amistoso contra a Inglaterra em 1981. Zico marcou o gol da vitória no estádio Wembley, em Londres. Em pé, da esquerda para a direita: Waldir Peres; Edevaldo; Luizinho; Oscar; Toninho Cerezo e Júnior. Agachados, da esquerda para a direita: Paulo Isidoro; Sócrates; Reinaldo; Zico e Éder.

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa