O Portal Terceiro Tempo preparou um especial para a Copa do Mundo 2014, com entrevistas, vídeos, culinária e outros quesitos, que só o TT pode unir para para você

O Portal Terceiro Tempo preparou um especial para a Copa do Mundo 2014, com entrevistas, vídeos, culinária e outros quesitos, que só o TT pode unir para para você

Especial Copa do Mundo: Diogo Miloni, Ednilson Valia, Marcos Júnior, Kaique Lopreto, Kennedy Andrés, Roberto Gozzi, Thiago Tufano, Túlio Nassif e Silvio Luiz, o @cowboy

Twitter: @mnterceirotempo

Facebook: https://www.facebook.com/terceirotempo?fref=ts

 

A Seleção Mexicana é a de maior sucesso da CONCACAF. Ela participou de 14 Copas do Mundo e teve como grande conquista o título da Copa das Confederações de 1999, na qual bateu o Brasil por 4 a 3 na grande final. O México teve a honra de estrear em Copas logo no primeiro jogo da história do mundial. No dia 13 de julho de 1930, no Uruguai, o jogo da abertura foi França x México. Além disso, o país já foi duas vezes sede da Copa do Mundo. A primeira em 1970 e a segunda em 1986. Em ambas, a seleção nacional conseguiu sua melhor colocação em mundiais com o sexto lugar, chegando até as quartas-de-final.

Hugo Sánchez foi o jogador mais bem sucedido da história do país. El Niño de Oro, como era chamado, foi rei jogando na Espanha. Primeiro, ele teve boas temporadas no Atlético de Madrid e depois se transferiu para o rival Real Madrid, onde marcou mais de 200 gols e é um dos maiores artilheiros do clube até hoje. Porém, ele não conseguiu repetir as grandes atuações na seleção. Ele anotou apenas um gol nas três Copas que participou (1978-1986-1994).

Diferente dos outros mundiais, o México passou sufoco para garantir sua vaga na Copa do Mundo de 2014. Após péssima campanha nas eliminatórias da CONCACAF, ficando apenas com a quarta colocação, os mexicanos tiveram que enfrentar a Nova Zelândia na repescagem intercontinental. Com duas goleadas, 5 a 1 em casa e 4 a 2 fora, a Seleção Mexicana se garantiu em sua 15ª Copa do Mundo.

Miguel Herrera nasceu no dia 18 de março de 1968 na cidade de Hidalgo, no México, e é o terceiro técnico da seleção nacional desde o começo de 2013. Ele foi jogador e rodou por diversos times do próprio México, chegando até a seleção em 1993. Como treinador, ele também começou em clubes do seu país até chegar ao América, time mexicano mais famoso internacionalmente, em 2011. Assim, com a seleção em crise, ele assumiu a seleção em outubro do ano passado.

Para os confrontos decisivos contra a Nova Zelândia, Herrera só convocou jogadores que atuavam no México, cortando assim estrelas como Giovani Dos Santos e Chicharito Hernández. Agora, para a Copa do Mundo, ele mudou e convocou os mexicanos que também jogam na Europa. Assim, o time deve ser escalado no 4-4-2 com: Ochoa (goleiro) – Aguilar (lateral-direito) – Rodriguez e Márquez (zagueiros) – Guardado (lateral-esquerdo) – Herrera, Vázquez, Fabián e Montes (meias) – Dos Santos e Chicharito (atacantes).

Javier Hernández, mais conhecido como Chicharito, é o principal jogador do México atual. Ele é o homem gol do time e espera repetir os gols decisivos que faz pelo Manchester United na seleção nacional. Ele foi o melhor jogador e artilheiro da Copa Ouro de 2011. Ele marcou dois gols na Copa de 2010.

 

Hugo Sanchez é considerado o maior jogador da história do México, tendo passagem por grandes clubes como Real Madrid, Atlético de Madrid e no fim de sua carreira atuou pelo Rayo Vallecano. Jogou três copas do mundo por sua seleção e ficou marcado por sua personalidade polêmica.

A seleção mexicana participou 14 vezes da Copa do Mundo de futebol. Os melhores desempenhos foram em 1970 e 1986, quando o México chegou às quartas-de-final.

Nas duas ocasiões a seleção mexicana era anfitriã da Copa do Mundo de futebol.

Dos 23 jogadores convocados para esta Copa, 16 atuam no México.

Em 2006 a seleção mexicana contou com um brasileiro em sua equipe. O camisa 7 Zinha.

A seleção mexicana venceu o Brasil e ficou com o título olímpico de 2012.

 

Após conseguir passar vexame nas eliminatórias e quase ficar de fora da Copa, o México não está entre os favoritos do grupo A. Porém, se o técnico acertar o time, os mexicanos podem surpreender. Assim, na melhor das hipóteses, brigariam pela segunda colocação do grupo junto com a Croácia. Entretanto, não conseguiriam passar das oitavas-de-final, já que poderiam enfrentar a Espanha ou a Holanda.

De 0 a 10...

0 – O péssimo planejamento da Federação Mexicana de Futebol, que trocou o técnico da seleção três vezes em 2013.

1 – O atacante Carlos Vela, de ainda 25 anos, teve uma boa temporada no Real Sociedad, da Espanha, mas não foi convocado para a Copa. Seria o segundo mundial do jogador e ele poderia ser uma boa opção para o time.

2 – Juan Carlos Medina sofreu uma lesão na véspera da Copa e vai ser um desfalque para Miguel Herrera. O meia estava cotado para ser titular da seleção, mas foi cortado e terá que passar por uma cirurgia no tornozelo.

3 – A não convocação dos jogadores que atuam na Europa para a fase decisiva das eliminatórias pode gerar uma briga interna no grupo durante o mundial.

4 – A velha frase “Jogamos como nunca, perdemos como sempre” sempre foi a tradicional da seleção mexicana.

5 – Os veteranos do time como Rafa Márquez e Carlos Salcido podem tanto ajudar os mais novos no mundial, quanto prejudicar o time na competição.

6 – Diego Reyes e Alan Pulido são jovens, mas estão convocados para a Copa. Talvez eles nem joguem neste mundial, mas já são as promessas para o próximo.

7 – Como preparação para a Copa do Mundo, o México fará quatro amistosos. O primeiro será contra Israel, seleção que não serve de parâmetro para o mundial. Porém, depois vai enfrentar Equador, Bósnia e Portugal, lembrando que os três estão classificados para a Copa.

8 – Oribe Peralta não deve ser o titular do ataque, mas mostrou na final das Olimpíadas de 2012 contra o Brasil, quando marcou os dois gols na vitória mexicana por 2 a 1, que é decisivo e pode mudar o rumo de uma partida.

9 – A seleção não terá que viajar grandes distâncias durante o mundial. A estreia contra Camarões será em Natal, o duelo contra o Brasil será em Fortaleza e fecha a participação na fase de grupos contra a Croácia em Recife.

10 – Chicharito Hernández e Giovani Dos Santos brilharam na vitória do México sobre o Brasil por 2 a 0 em um amistoso no ano de 2012. Cada um marcou um gol.

 A seleção mexicana já disputou 14 Copas do Mundo, tendo o melhor desempenho nos anos de 1970 e 1986, chegando às quartas-de-final da competição. A cor verde da camisa é baseada nas cores da bandeira do país. Durante anos, houve algumas mudanças, no entanto, predominou o tradicional verde, agradando e causando identificação com toda a torcida.

Apesar de sempre desfilar belos modelos de camisas, a Seleção Mexicana pecou em um Mundial e entrou para a história, recebendo o título não de campeã, mas o de ter umas das camisas mais feias do futebol. Os anos 90 ficaram marcados pelos exageros das marcas d’água, como na camisa que o México usou em 1998, na Copa da França. Os jogadores pareciam “gibis astecas”. Mas o que esperar da seleção que possuía um goleiro que nas horas vagas era estilista? Jorge Campos marcou época no gol mexicano.

Para o Mundial no Brasil, a Adidas, fornecedora alemã da Seleção Mexicana, “usou e abusou”. Manteve o verde predominante, mas com pequenas linhas verticais e com diferentes tons, que são cortados por raios na cor branca e vermelha na altura do escudo, onde se encontra fixado no centro do peito.

 

 

 

 

 

Hugo Sanchez

O maior jogador da história do México, um dos maiores goleadores do Real Madrid, querido por onde passou, amado por quem o conhece. Este é Hugo Sanchez Marquez, o homem que jogou três Copas do Mundo, chegou às quartas-de-final em 1986 e ainda milita no meio futebolístico como treinador e também comentarista de TV. 

Veja fotos emocionantes de Hugo Sanchez na seção "Que Fim Levou?"

 

 

Maior esperança mexicana para a Copa, Chicharito deve deixar o Manchester United
Segundo a imprensa britânica, Javier Hernández não estaria nos planos de Louis van Gaal, novo treinador do clube.

De acordo com a imprensa britânica, Javier Hernández está com os dias contados na equipe do Manchester United. Segundo os jornalistas ingleses, Chicharito, que é uma das grandes esperanças do México para a Copa, não está nos planos de Louis van Gaal, que assumiu o comando dos Diabos Vermelhos nos últimos dias.

O futuro de Chicharito, que chegou ao clube inglês em 2010 e tem contrato até 2016, ainda é incerto.

Após conseguir passar vexame nas eliminatórias e quase ficar de fora da Copa, o México não está entre os favoritos do grupo A. Porém, se o técnico acertar o time, os mexicanos podem surpreender. Assim, na melhor das hipóteses, brigariam pela segunda colocação do grupo junto com a Croácia. Entretanto, não conseguiriam passar das oitavas-de-final, já que poderiam enfrentar a Espanha ou a Holanda.

 

 

 

O ex-jogador do Palmeiras, Flamengo e América do México, Djalminha conversou com o repórter Kaique Lopreto sobre a estrutura do futebol mexicano e as possibilidade do "El Tri" na Copa do Mundo.

Clique aqui e veja a página de Djalminha na seção "Que Fim Levou?"

 

 

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    16
  • 2 Atl
    15
  • 3 San
    14
  • 4 Fla
    13
  • 5 Int
    13
  • Veja tabela completa