Com placar agregado de 2 a 1, a classificação faz o Corinthians entrar no Campeonato Brasileiro com moral elevada

Com placar agregado de 2 a 1, a classificação faz o Corinthians entrar no Campeonato Brasileiro com moral elevada

Arthur Sandes e Flávio Latif
Do UOL, em São Paulo

Finalmente o Corinthians voltou a mostrar seu melhor futebol na temporada. Em noite de domínio e inspirações bem ofensivas na Arena, o Alvinegro teve sua melhor atuação em 2019 e venceu a Chapecoense por 2 a 0. Desta forma se classificou às oitavas de final da Copa do Brasil, com gols de Mauro Boselli e Mateus Vital.

Com placar agregado de 2 a 1, a classificação faz o Corinthians entrar no Campeonato Brasileiro com moral elevada: campeão estadual e vivo tanto na Copa do Brasil quanto na Sul-Americana. Agora o Alvinegro espera sorteio para conhecer seu próximo adversário no mata-mata nacional, enquanto já se prepara para estrear no Brasileirão contra o Bahia, às 16 horas (de Brasília) de domingo (27). A Chapecoense enfrenta o Internacional no dia anterior.
Brilhou: Fagner muda Timão de patamar

Sobrou vigor físico para o lateral, que teve sua melhor atuação em 2019. Foi dominante e criou ótimas chances para o Corinthians no seu lado do campo - inclusive começou o lance que resultaria no gol de Boselli. Em alto nível, Fagner vira o jogador mais agudo do Alvinegro, torna-se ótima alternativa contra um adversário fechado e muda a equipe de patamar. Não à toa saiu aplaudido ao ser substituído.

Foi mal: Eduardo toma sufoco e falha

O lateral direito da Chapecoense esteve pressionado desde o início e não teve vida fácil. Foi ele quem errou o tempo de bola no lance do gol do Corinthians, e assim permitiu que Mauro Boselli abrisse o placar. Como se não bastasse, errou passes que comprometeram o setor defensivo do time catarinense e levou a pior na maioria dos duelos com Carlos Augusto.
Mais intenso, Corinthians controla o jogo

Deu gosto de ver o primeiro tempo corintiano, de ritmo intenso e chegadas frequentes na área adversária. Foi uma espécie de alívio - e também de orgulho, claro - para o torcedor que havia se acostumado aos jogos amarrados do Paulistão. O Corinthians foi melhor do início ao fim, sempre buscando o gol e com jogadas majoritariamente pelo chão; sem "chuveirinho" na área. A ótima atuação coletiva abriu caminho na partida, e os gols saíram até de forma natural.
Chapecoense mais assiste do que joga

A Chape confiou demais na vantagem conquistada no primeiro jogo e esqueceu de atacar na Arena, por isso foi dominada. Teve pouquíssimas jogadas no campo ofensivo e, mesmo encolhida e esperando o Corinthians, foi facilmente superada principalmente nas laterais do campo. Com buracos na defesa, a equipe catarinense permitiu tabelas, trocas de passes e muitas infiltrações e pagou o preço pela má atuação. Quando
Boselli desencanta em gol de consciência

O Corinthians começou mais disposto a atacar, mas longe de sufocar. A Chapecoense conseguiu acalmar seus ataques e diminuir a intensidade do jogo, por isso foram 16 minutos de certo equilíbrio até que Boselli abriu o placar. Após cruzamento de Ralf, o argentino matou no peito, esperou a bola ficar na medida e abriu o placar na Arena.

Corinthians acelera e toma conta

Foi depois de abrir vantagem que o Corinthians se empolgou e encontrou bastante espaço nos lados para atacar com Fagner e Carlos Augusto. Não teve "chuveirinho" na área, pelo contrário, o time conseguiu entrar na área com frequência pelo chão. A melhor chance foi em falta cobrada com perigo por Sornoza, mas apesar da pressão o segundo gol não saiu. Do outro lado o time catarinense só respondeu já perto do intervalo, com cabeceio de Everaldo.
Substituições melhoram o Corinthians, que amplia

Tudo estava indo bem na Arena, mas Fábio Carille tinha pressa - e com razão, pois faltava um gol. Por isso o treinador lançou o Corinthians ao ataque. Contra uma Chapecoense quase inofensiva pelo meio, abriu mão de Ramiro e acionou Vagner Love com segundo atacante. Aí o Timão teve ainda mais trocas de passes rápidos e na insistência ampliou com Mateus Vital, que havia entrado no lugar de Pedrinho três minutos antes.
Reta final com emoção garante a classificação

O Corinthians até flertou com o recuo após o segundo gol, que lhe daria vaga nas oitavas de final, mas conseguiu se segurar bem nos minutos finais. Teve até chance de fazer o terceiro, mas Vagner Love e Clayson perderam boas chances. Quando a Chapecoense foi para o desespero, o Timão cozinhou alguns lances e assim garantiu a classificação.
Carille encontra soluções no elenco

Henrique, Danilo Avelar, Júnior Urso e Gustagol foram desfalques, mas não fizeram muita falta o Corinthians. O time teve atuação bem melhor do que, por exemplo, no mata-mata do Campeonato Paulista que venceu. Ganhou quase todo lance que tentou pelos lados, o que fez de Fagner e Carlos Augusto dois dos melhores jogadores em campo. Entre os substitutos, Pedro Henrique teve atuação segura, Carlos foi muito bem, Ramiro foi discreto, e Boselli teve ótimo papel.

Foto: Alan Morici/AGIF (Via UOL)


Compartilhe:
Imagem Nuvem de Notificações

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    13
  • 2 Atl
    12
  • 3 São
    11
  • 4 San
    10
  • 5 Int
    9
  • Veja tabela completa