Fagner, lateral direito da seleção brasileira, disputa bola com rival do Panamá

Fagner, lateral direito da seleção brasileira, disputa bola com rival do Panamá

Danilo Lavieri
Do UOL, no Porto (Portugal)

O Brasil fez uma de suas piores apresentações sob o comando de Tite e não conseguiu sair do 1 a 1 com o Panamá, a 76ª seleção do mundo segundo o ranking Fifa. Em um jogo fraco neste sábado (23), a seleção sofreu com a pontaria, parou na trave algumas vezes e ainda contou com Ederson para não ser derrotada. Os quase 40 mil torcedores no Estádio do Dragão, no Porto em Portugal, saíram decepcionados com o que viram. Não à toa, a equipe brasileira deixou o campo vaiada.

Os brasileiros esboçaram um bom início de jogo, pressionando bastante o adversário e conseguiram abrir o placar com Paquetá, após cruzamento de Casemiro. Praticamente no lance seguinte, no entanto, os panamenhos conseguiram empatar com um gol originado de uma falta, com posição duvidosa de Machado.

Com Neymar machucado e assistindo ao jogo das tribunas, o amistoso marcou alguns testes de Tite, especialmente no sistema defensivo, com nomes como Alex Telles e Militão entre os titulares. À frente, Paquetá foi bem, criou oportunidades, mas acabou substituído. Roberto Firmino e Philippe Coutinho estiveram longe de seus melhores dias.

Agora, a seleção vai direto para Praga, na República Tcheca, onde joga na próxima terça-feira. Vale lembrar que este será o último amistoso para a convocação da lista que disputará a Copa América no Brasil, a partir de junho.
O melhor: Luis Mejía

O jogo foi morno, mas o Brasil criou algumas oportunidades, especialmente nos primeiros 30 minutos. Depois, no segundo tempo, ele o goleiro do Panamá também esteve sempre atento e segurou todas as tentativas brasileiras. Dos comandados de Tite, Casemiro foi o que se saiu melhor.
O pior: Philippe Coutinho

Em uam fase irregular no Barcelona, Philippe Coutinho voltou a apresentar um futebol abaixo do esperado. No jogo de hoje, ele ficou sumido quando esteve como ponta e, depois, quando foi centralizado, seguiu sem aparecer.
Brasil volta a enfrentar a temida linha de 5

Durante toda a preparação para a Copa do Mundo, Tite se preocupou em preparar a sua equipe para enfrentar as retrancas dos adversários. No jogo de hoje, o Panamá repetiu justamente o maior temor do treinador e colocou a tão famosa "linha de 5". A mudança tática surpreendeu a comissão, que imaginava o time no 4-1-4-1 ou no 4-4-2.
Seleção martela, mas não acerta na pontaria

Aos 30 minutos de jogo, o Brasil tinha criado todas as oportunidades de perigo. Roberto Firmino de cabeça, Arthur com chute de longe, Paquetá com infiltração, Coutinho em batida de falta... O que faltou aos atacantes foi a precisão na hora de finalizar.
Paquetá "pisa na área" e marca

Tite sempre repete que quer ver seus meio-campistas "pisando na área". A expressão é comum para deixar claro que não é só o atacante que precisa incomodar a zaga adversária. Foi assim que Paquetá aproveitou cruzamento de Casemiro no segundo pau e abriu o placar para a seleção. Em um lance seguinte, o camisa 10 acabou se irritando com uma disputa de bola e deixou o braço no adversário.
Brasil faz linha de impedimento, falha e toma o gol

Uma das jogadas mais treinadas por Tite é a bola parada. O treinador sempre trabalha à exaustão o posicionamento nas cobranças de falta e escanteio, tanto no aspecto defensivo quanto no ofensivo. Desta vez, no entanto, os ensaios não deram certo. Na hora de se posicionar para segurar cruzamento de Davis, o time errou e deixou Machado aparecer livre na área para empatar de cabeça, sem chance para Ederson. A posição do dono do gol era duvidosa.
Panamá faz Ederson trabalhar, e Brasil responde bem

O segundo tempo mal havia começado e o Panamá chegou com José Rodriguez. Ele chutou forte e rasteiro de fora da área e forçou Ederson a fazer uma bela defesa. A torcida começava a se preocupar, e o Brasil respondeu com uma bola no travessão. Fagner fez boa jogada pela direita e cruzou para Richarlison, que finalizou de primeira e quase comemorou.
Brasil dorme, e Tite muda em busca da vitória

O Brasil mostrou pouco poder ofensivo com o decorrer do segundo tempo e isso preocupou Tite. Por isso, o treinador tentou mudar um pouco a formação de sua equipe. Ele colocou Everton e Gabriel Jesus nos lugares de Lucas Paquetá e Roberto Firmino. Com a mudança, Coutinho passou a atuar mais pelo centro e deixou o gremista para atuar aberto pela esquerda. Pouco depois, Felipe Anderson entrou no lugar de Arthur. De nada adiantou!

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    90
  • 2 San
    71
  • 3 Pal
    71
  • 4 Grê
    65
  • 5 Ath
    63
  • Veja tabela completa