Thiago Neves fez gol e cobrou pênalti decisivo. Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A. Press

Thiago Neves fez gol e cobrou pênalti decisivo. Foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A. Press

Na classificação do Cruzeiro contra o Fluminense, pela Copa do Brasil, decidida nos pênaltis (3 a 1 após 2 a 2 no tempo normal), Thiago Neves voltou a chamar a responsabilidade para conduzir o time mineiro a mais uma classificação em mata-mata. Depois de iniciar a semana questionado pela torcida por causa de suas declarações sobre Itair Machado, vice-presidente de futebol, o meia terminou a quarta-feira em paz com o torcedor e da maneira que já se acostumou a fazer: decidindo partidas importantes.

Thiago Neves começou a semana recebendo críticas. Autor do gol de falta contra o São Paulo, pelo Brasileirão, o meia homenageou o dirigente Itair Machado, uma das figuras centrais da atual gestão. Apesar de ser peça crucial do Cruzeiro nas contratações e no dia a dia do clube, Itair é um dos dirigentes investigados pela Polícia Civil por suspeitas de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e falsificação de documentos. Além de Itair, o presidente Wagner Pires e o diretor-geral Sérgio Nonato também foram denunciados. Mesmo com o descontentamento do torcedor, Thiago Neves saiu em defesa de Itair por duas vezes, umas nas redes sociais e outra em entrevista coletiva na Toca da Raposa.

"Me ligaram para falar que a publicação não tinha sido legal, que vários torcedores estavam incomodados. Mas ele é meu amigo. Sempre foi meu amigo, sempre me tratou bem nos momentos ruins e bons aqui. Se você chamar qualquer jogador aqui, todo mundo vai defender, porque ele sempre foi importante para gente, sempre dando um jeito de manter o salário em dia, premiações. O que vai acontecer eu não posso falar, eu não sei. Eu falo como amigo dele. Por isso dediquei o gol a ele. Desde quando ele chegou sempre foi meu parceiro", comentou o meia.

Na noite de ontem, Thiago respondeu ao seu melhor estilo: chamando a responsabilidade e decidindo os jogos. No primeiro tempo, o meia encontrou muitas dificuldades para criar as jogadas. Após o intervalo, foi fundamental para organizar as ações ofensivas. Primeiro, marcou o gol de empate no Mineirão. Depois, aplicou uma caneta em ninguém menos que Paulo Henrique Ganso antes de lançar Pedro Rocha e ver o companheiro sofrer o pênalti (não convertido por Sassá). Na segunda penalidade a favor do Cruzeiro no tempo normal, pegou a bola e garantiu a virada celeste. Já na disputa de pênaltis, ficou com a última cobrança, como de costume, e não desperdiçou, sacramentando a classificação.

"Alívio muito grande, pelo que a gente vem passando, tudo que vem falando do Cruzeiro, tempo sem ganhar, isso atrapalha dentro de campo, queira ou não. Classificação que nos dá um alívio muito grande, tira peso grande das costas e terá a parada da Copa América que será fundamental pra gente", falou o jogador após o jogo.

Agora, Thiago tem mais dois jogos pela frente antes da parada para a Copa América. Contra o Corinthians e Fortaleza, ele será importante para ajudar a equipe a sair da situação complicada no Brasileiro, hoje na 15ª colocação, com apenas 7 pontos em 21 disputados. Após o fim do torneio de seleções, ele se manterá como uma das esperanças da equipe em outra competição internacional, dessa vez pela Libertadores, quando o Cruzeiro pegará o River Plate, atual campeão do torneio.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 San
    32
  • 2 Fla
    30
  • 3 Pal
    30
  • 4 Atl
    27
  • 5 São
    27
  • Veja tabela completa