Do penteado de Ronaldo aos gritos da torcida coreana, momentos que marcaram a Copa do Mundo de 2002

Do penteado de Ronaldo aos gritos da torcida coreana, momentos que marcaram a Copa do Mundo de 2002

            Há treze anos acabava a Copa do Mundo de 2002, a primeira dividida entre dois países, a primeira disputada no continente asiático. Coréia do Sul e Japão organizaram um Mundial inesquecível, que ficou marcado por várias imagens marcantes. Do penteado “cascão” de Ronaldo ao grito envolvente e inesquecível da torcida coreana, ritmado pelos tambores: "Dae-han-min-guk". Confira na +10:

- Romário fora

Apesar da comoção popular pela ida do Baixinho, Felipão bateu o pé e com a teimosia que lhe é peculiar, fechou o grupo rumo ao Oriente para a conquista do pentacampeonato. Óbvio que a campanha vitoriosa calou as críticas e transformou Luizão e Edílson em campeões mundiais pela Seleção Brasileira.

- Senegal

Debutando em Copas do Mundo, os senegalenses comandados pelo mago Bruno Metsu tinham a árdua tarefa de estrear no Mundial de 2002 diante da então atual campeã França, de Zizou e companhia. Problemas? Que nada! A vitória sobre Les Bleus foi surpreendente, mas o que marcou mesmo foi a comemoração com dancinha típica, quem não repetiu aqueles passinhos na boate?

- Primeira vitória japonesa em Copas

Os anfitriões nipônicos precisaram de dois jogos para conseguir um feito inédito: diante da Rússia, Inamoto fez o gol solitário da primeira vitória japonesa em Copas do Mundo. Na partida seguinte, contra a Tunísia, os samurais azuis repetiriam o feito e garantiriam a classificação para as oitavas-de-final.

- Alemanha 8 a 0 Arábia Saudita

Não é de 2014 que a Alemanha gosta de golear adversários desorganizados. A Arábia Saudita levou uma surra de Klose e seus pupilos, um sonoro 8 a 0 que ajudou os germânicos a garantirem uma vaguinha para a segunda fase do mundial. Viu só, Scolari, poderia ser pior...

- Grito da torcida coreana

Ah, o inesquecível "Dae-han-min-guk" entoado e ritmado nas arquibancadas coreanas. O grito de guerra significa “República da Coreia”, mas virou febre na Copa do Mundo, uma espécie e vuvuzela asiática.

- Penteado “cascão”

Quem nunca fez uma promessa ridícula para conseguir algo importante, não é mesmo? Bom, o Fenômeno devia querer muito a Copa do Mundo, pois o que ele fez com o cabelo... Fato é que o penteado virou moda instantânea até no Jassa.

- Denílson contra a Turquia

Uma cena que dispensa comentários. Apenas icônico.

- Gol relâmpago

A Turquia vence o prêmio de seleção mais carismática de 2002. Pelo menos para mim. O time que tinha Rustu no gol, o carequinha Sas na meia cancha e Hakan Sukur no ataque merece respeito e admiração. Aliás, foi do atacante o gol mais rápido da história das Copas, com apenas 11 segundos de bola rolando na decisão do terceiro lugar, contra a Coréia do Sul.

- Apito-amigo

Um dos destaques negativos da Copa de 2002 foram os erros de arbitragem pró-coreanos. Itália e Espanha sofreram nas mãos dos homens de preto, que levaram os asiáticos até a semifina

l, quando caíram diante da Alemanha de Oliver Kahn.

- Cambalhota do Vampeta

Como esquecer das cambalhotas de Vampeta na rampa do Planalto? O volante corintiano não fez nada de relevante dentro de campo, mas voltou pro Brasil campeão mundial e mostrou pro Fernando Henrique Cardoso como é que se comemora em Brasília.

 

Você lembra de outros momentos marcantes daquela Copa? Cite suas lembranças nos comentários! 

 

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa