Quem chamou de

Quem chamou de "Galo de Ouro" pela primeira vez foi o roteirista de novelas Benedito Ruy Barbosa.

A última semana do mês de novembro de 2013 foi marcada por entrevistas com boxeadores brasileiros e amantes da "nobre arte" como o jornalista James Rubio, que acompanhou toda a carreira do "Galo de Ouro" Eder Jofre.
As matérias foram feitas por emissoras de televisão diferentes, para mostrar as diferenças entre as luvas de boxe até os anos 80 feitas de crina e as luvas de boxe dos nossos dias com mais tecnologia, que são feitas de materiais bem diferentes, como a espuma sintética, e ainda as luvas de boxe do passado eram menores.
Hoje as luvas de boxe para profissionais são de 8 onças da categoria palha até a de meio médio, e as do super meio médio até o pesado, de 10 onças.
O que é isso?
 
Ounce ou onça é uma medida de peso, cada onça pesa 28 gramas, então uma luva de 10 onças pesa 280 gramas e uma de 8 onças pesa 224 gramas.
Até os anos 80 as luvas eram de crina (hoje uma espuma sintética) e ainda eram menores: do peso mosca ligeiro até o peso meio médio as luvas eram de 6 onças ( 168 gramas) e do super meio médio até pesado 8 onças (224 gramas).


O Eder Jofre sempre lutou com luvas de 6 onças, o Miguel de Oliveira em sua luta que conquistou o título mundial contra o espanhol José Duran também lutou com luvas de 6 onças de crina.
Foi muito bom sermos recebidos pelo técnico da equipe brasileira de boxe, Cláudio Aires, no local onde a equipe brasileira treina, C.E.E. Jorge Bruder, e em nossa conversa foi lembrado o técnico Antonio Carollo, que foi seu técnico.
Já em outra matéria foram gravadas imagens da homenagem que o campeão mundial profissional, Miguel de Oliveira, fez para seu ídolo Eder Jofre. Momento único para o boxe brasileiro, uma placa, o abraço carinhoso e as palavras de agradecimento que  Miguel de Oliveira dirigiu ao Eder Jofre, emocionaram a todos os presentes no evento.

Nas duas gravações eu levei um par de luvas que recebi de presente em 1987 do promotor e agente de boxe Abrahan Katzenelson, após eu vencer por nocaute o campeão francês Bruno Jacob em Nimes, França, onde conquistei a confiança dele. Foi com esse par de luvas que o Eder Jofre lutou e ganhou de Johnny Caldwell na unificação do título de peso galo no Ginásio do Ibirapuera. Há muitos anos o próprio Eder reconheceu essas luvas e rapidamente eu disse: Agora são minhas.
No ano passado, 2012 fui a casa dele, ainda na Al. Ministro Rocha Azevedo, e pedi para ele autografa-las.
Anexados nessa coluna estão as fotos do James Rúbio entre  Eder Jofre e  Miguel de Oliveira, o colunista que aqui escreve entre  Eder e Miguel também, fotos registradas no dia 29/11/13 na homenagem feita para  Eder Jofre.
As luvas usadas pelo Eder Jofre na luta estão aqui neste vídeo do youtube.
A luta e o recorde em São Paulo, as circunstâncias, os acontecimentos que fizeram  Eder Jofre lutar a primeira e única vez com raiva do adversário:
Ele havia conquistado o título mundial (NBA) de peso galo frente ao mexicano Eloy Sanchez em 18/11/60, Los Angeles, EUA e o Johnny Caldwell veio como campeão mundial pela União Europeia.
A luta foi realizada em 18/01/62 no Ginásio do Ibirapuera em São Paulo.
O promotor da luta Katzenelson vendo à distância dos degraus da arquibancada do Ginásio do Ibirapuera, contratou uma empresa para fazer um degrau de madeira, dividindo a arquibancada, resultado: aumentou e muito o público para a luta, ainda assim, ficaram milhares de pessoas para fora do Ginásio Ibirapuera que não conseguiram comprar ingresso para a luta.
Katzenelson conseguiu com sua proeza bater o recorde de bilheteria de eventos esportivos em São Paulo, somente dois anos depois, em um jogo de futebol, Corinthians vs Palmeiras no Estádio do Pacaembu é que foi batido esse recorde.
Em 1962 o Brasil era um país agrícola (terceiro mundo) e ao chegar do Reino Unido, o primeiro comentário de Johnny Caldwell foi que veio ao Brasil bater no macaco.
Isso deixou Eder Jofre com raiva do adversário, subiu ao ringue com vontade, não apenas de nocautear seu oponente, mas de bater muito. Os leitores poderão ver momentos finais de como o "Galo de Ouro" bateu no prepotente Caldwell.
James Rubio que estava presente na unificação do título de Eder Jofre em 1962, detalhou em sua entrevista a surra que Eder deu em Caldwell.
Uma observação a ser feita, nessa luta entre Jofre e Caldwell o árbitro foi Wille Pep, grande boxeador que também fez história em cima dos ringues.
O título dessa coluna foi colocado "A grandiosidade está com elas" porque nas duas matérias televisivas realizadas na última semana de novembro de 2013 as luvas utilizadas pelo Eder Jofre nessa luta, tiveram destaque, mas o destaque é porque elas foram usadas pelo melhor peso galo da história do boxe mundial.
Outra observação a ser feita, já publicamos aqui no Terceiro Tempo quem deu o apelido de "Galo de Ouro" ao Eder Jofre .Isso foi lembrado pelo repórter da TV Gazeta, Luís Henrique Gurian quando estava fazendo a matéria.
Quem chamou de "Galo de Ouro" pela primeira vez foi o roteirista de novelas Benedito Ruy Barbosa.


Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa