Dassler Marques é um dos melhores repórteres da internet brasileira  e faz várias reflexões sobre questões jornalísticas

Dassler Marques é um dos melhores repórteres da internet brasileira e faz várias reflexões sobre questões jornalísticas

Ednilson Valia, fale com o jornalista clicando aqui ou no twitter:  @eddycalabres

Descubra o que são "Tags do JE" clicando aqui

Dassler Marques é um dos melhores repórteres da internet brasileira. Atualmente no Portal Terra, comanda o blog "Pratas da Casa" (clique e conheça), especializado no futebol nas categorias de base, Dassler tem passagens em veículos de comunicação com relevância, como a Folha de S.Paulo, Máquina do Esporte e Site Trivela.

Nesta entrevista, o jovem jornalista fala como é cobertura das divisões de base, a o dia-a-dia nos clubes, o "furo no jornalismo" e quais são os trâmites para escrever uma boa matéria.

 

  Por que a cobertura das categorias de base no futebol são deixadas de lado pela grande mídia?

 

Prefiro olhar o copo meio cheio neste caso. Acho que tem melhorado. Modéstia à parte, também acho que o Olheiros teve seu papel nisso porque hoje em uma série de veículos da grande imprensa há jornalistas que passaram pelo site e conseguiram absorver a importância da base para o futebol profissional e também a riqueza de assuntos dentro do universo da formação. Posso citar o Lincoln Chaves e o Pedro Venancio no Globo Esporte, o Gabriel Dudziak na Rádio CBN, o Leandro Stein na Trivela, o Marcus Alves na ESPN, o André Augusto no MSN, entre tantos outros.



No que se deve prestar atenção na cobertura jornalistica das categoria de base do futebol?


Acho que há muita coisa interessante nesse meio. Desde as histórias dos garotos, a possibilidade de se antever o futuro do futebol, a ascensão de profissionais que vão militar entre os adultos, o trabalho de empresários que é super intenso. Enfim, é um universo muito rico para as pautas.


 E no dia-a-dia da cobertura do futebol quais os comportamentos éticos devem ser compartilhados entre os repórteres?


Bom, é uma questão bastante ampla. Acho que hoje há grande cooperação entre os profissionais, de modo geral, e poucas vezes tive muitos problemas desse tipo. Se sobressai quem tem as melhores fontes e as melhores histórias.


Há jornalistas que copiam declarações "exclusivas" de outros e não citam a fonte?  Nestes casos como deve se comportar o repórter?

Infelizmente acontece. Tivemos um exemplo recente de uma entrevista que obtivemos com um jornalista suíço que veio ao Brasil e entrevistou o Andrés Sanchez, mas o conteúdo não foi publicado na Suíça e só será apenas em junho. O Terra reproduziu com exclusividade, mas vários veículos infelizmente utilizaram as aspas e deram o crédito apenas à NZZ, mas nós que tivemos o trabalho de conseguir a entrevista, traduzimos, divulgamos só fomos citados pelo Uol e pelo Estadão. De qualquer forma, o repórter jamais deve se envolver nesses assuntos e apenas repassar a ocorrência aos editores. Isso é muito importante.


Qual é a importância do "furo" jornalistico hoje?

 


Reflito muitas vezes sobre isso. Claro que todos têm vaidade, uns mais e outros menos, e todos gostam de divulgar uma informação exclusiva que se confirma. Traz notabilidade ao repórter. Mas ainda acho que a grande satisfação é encontrar histórias incríveis longe dos bastidores. Particularmente é o mais prazeroso.


Como procurar pautas diferentes sendo que todos são limitados as mesmas informações no futebol?


Acho que a nossa classe, em geral, vive pouco o futebol no dia a dia. Quem efetivamente respira e ama o assunto chega em casa após o expediente e assiste a um jogo de dois times pequenos com prazer. Isso vai resultar em mais informações, e só se encontra as pautas com mais informação. Particularmente sou assim, é futebol 24 horas por dia, exagerando. Mas obviamente vai de cada um, de seu perfil e suas prioridades.


O que um repórter deve buscar para escrever uma boa matéria?

 


Se informar muito sobre o assunto, principalmente. Conversar com o máximo de pessoas possíveis, pesquisar sobre o tema, empregar dados se for o caso, enfim. Hoje o jornalismo online exige agilidade, é difícil um repórter passar um, dois, três dias concentrado em uma só pauta. Vai de o repórter se esforçar e flexibilizar sua rotina pra conseguir o melhor resultado possível. Infelizmente, nas redações, cada vez mais temos menos repórteres experientes, editores com décadas de redação em quem os mais jovens podem se espelhar e de quem podem ter bons ensinamentos, inspiração, conselhos. Me ressinto muito disso e acho que é um dos pontos que influem no resultado final do trabalho do repórter.

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa