Tite testa resultados de médio prazo na gestão da seleção. Foto: Pedro Martins/Mowa Press

Tite testa resultados de médio prazo na gestão da seleção. Foto: Pedro Martins/Mowa Press

A seleção brasileira entra em campo hoje diante do Qatar com a missão de deixar de lado o polêmico caso Neymar que tumultuou o dia a dia do time na última semana. Tentando focar apenas no aspecto tático, Tite coloca em prova o planejamento de médio prazo no penúltimo amistoso antes da estreia na Copa América, marcada para o dia 14.

Na primeira entrevista após a Copa do Mundo de 2018, a comissão revelou que dividiu em três etapas o ciclo de preparação até o Mundial de 2022. A competição sul-americana simboliza a prova final da segunda etapa.

Em relação aos nomes que estiveram presentes nos dois primeiros anos de Tite, especialmente no Mundial da Rússia, as grandes novidades são as presenças de Arthur e Richarlison. Além disso, Ederson ocupa temporariamente a vaga de Alisson, Marquinhos e Filipe Luís deixam a condição de reservas para atuarem como titulares e Daniel Alves recebe nova chance após o corte por lesão.

Nomes como Marcelo, Paulinho, Renato Augusto, Willian e Douglas Costa já são tratados como parte do passado.

O comandante ainda deve colocar em campo uma outra mudança em relação ao que o torcedor brasileiro se acostumou. Ao longo da semana, o treinador sinalizou que vai abandonar o 4-1-4-1 que virou a sua marca desde os tempos de Corinthians e ensaiou um 4-2-3-1.

Na prática, isso significa que Arthur e Casemiro estarão mais próximos dentro de campo, com Coutinho mais centralizado, funcionando como um camisa 10. A comissão técnica entende que a mudança pode favorecer o futebol dos dois atletas do Barcelona, que tiveram temporadas irregulares. Coutinho, aliás, é um dos principais focos de crítica em relação ao time titular.

O esquema também é resultado de uma variação testada em uma tentativa de salvar a seleção de um vexame completo nos últimos dois amistosos de março. Depois do empate por 1 a 1 contra o Panamá, o Brasil fez uma de suas piores apresentações sob o comando de Tite diante da República Tcheca e só conseguiu a virada pela mudança na formação tática e as entradas de David Neres e Everton (ambos estarão no banco) e dois gols de Jesus, que herdou a titularidade porque Roberto Firmino só se apresenta no próximo dia 6.

FICHA TÉCNICA
BRASIL X QATAR

Data: 05 de junho de 2019, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília
Árbitro: Jose Argote (Venezuela)
Assistentes: Lubin Torrealba e Franchescoly Chacón (ambos de Venezuela)

BRASIL: Ederson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Filipe Luís; Casemiro, Arthur e Coutinho; Neymar, Richarlison e Gabriel Jesus
Técnico: Tite

QATAR: Al Sheeb, Pedro Correia, Al Rawi, Khoukhi, Salman e Hassan; Madibo, Haydos e Hatem; Afif e Almoez Ali.
Técnico: Felix Sánchez

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    42
  • 2 Pal
    39
  • 3 San
    37
  • 4 Int
    33
  • 5 Cor
    32
  • Veja tabela completa