Craque defendeu o Tricolor do Morumbi entre 1954 e 1963. Foto: Reprodução

Craque defendeu o Tricolor do Morumbi entre 1954 e 1963. Foto: Reprodução

Considerado por muitos como o "Garrincha da ponta-esquerda", o saudoso Canhoteiro, ex-São Paulo Futebol Clube, completaria 88 anos nesta quinta-feira (24). Ele morreu muito jovem, aos 41 anos, em 1974, vítima de um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

José Ribamar de Oliveira, o Canhoteiro, era natural de Coroatá (MA), e começou sua carreira no futebol nordestino, pelo América do Ceará, transferindo-se ao Tricolor Paulista em 1954, clube em que se consagrou, permanecendo até 1963.

Pelo clube do Morumbi, onde encerrou sua carreira, disputou 402 jogos e marcou 104 gols, de acordo com o "Almanaque do São Paulo", de Alexandre da Costa.

Até em canção ele foi homenageado, belíssima composição de Zeca Baleiro lançada em 2003, que você pode conferir abaixo, em que ele divide a interpretação com Raimundo Fagner. 
 
E seu nome também foi citado em outra música, esta de Chico Buarque, "Futebol": "Para Mané, para Didi, para Mané, Mané para Didi para Mané, para Didi para Pagão, para Pelé e Canhoteiro", diz um trecho da canção.
 
ZECA BALEIRO E FAGNER INTERPRETAM "CANHOTEIRO", CANÇÃO EM HOMENAGEM AO SAUDOSO CRAQUE:

 
ABAIXO, NO PROGRAMA "GRANDES MOMENTOS DO ESPORTE", DA TV CULTURA (SP), CANHOTEIRO FOI ENTREVISTADO E ALGUNS LANCES SÃO MOSTRADOS. E IDÁRIO, SAUDOSO LATERAL-DIREITO DO CORINTHIANS, FALA SOBRE A HABILIDADE DE CANHOTEIRO:

 

Em 15 de julho de 1959, na cidade de Telêmaco Borba, o São Paulo venceu o Nacional por 3 a 0, com gols de Gino(2) e Dino Sani. Na foto, da esquerda para a direita, em pé: De Sordi, Poy, Dino Sani, Riberto, Gérsio Passadore e Ademar. Agachados: Cláudio Cristóvam do Pinho, Neco, Gino Orlando, Bibe e Canhoteiro. Crédito da foto enviada por Celso Cunha, tio do jornalista Sérgio Patrick.


Em pé, da esquerda para a direita: Albertino, Carlito, Dino Sani, Gérsio Passadore, Vitor Lituano e Riberto. Agachados: Cláudio, Canhoteiro, Neco, Celso e Roberto Frojuello


Em pé, da esquerda para a direita, Bonelli, De Sordi, Victor, Turcão e Mauro. Agachados, da esquerda para a direita, Maurinho, Zézinho, Gino Orlando, Manéca e Canhoteiro. Foto enviada por Roberto Saponari


Em pé, da esquerda para a direita, Nilton Santos, Gylmar, Gino, Paulinho, De Sordi, Didi. Djalma Santos, Canhoteiro, Evaristo de Macedo, Déquinha, Zózimo e o técnico Flávio Costa


Repórter em ação, durante desembarque da Seleção Paulista de 1952, em Congonhas. Da esquerda para a direita vemos: Gylmar, Álvaro e Canhoteiro, abordados por Orlando Duarte. Naquele ano, Orlando receberia os primeiros convites para ser comentarista esportivo de rádio. A foto e a legenda foram tiradas do livro "Na mesma sintonia. O rádio na vida e na obra de Orlando Duarte", em entrevista concedida a Chico Barbosa.


Descendo do avião, de cima para baixo, vemos Poy, Vitor, Canhoteiro e Sílvio


Seleção Paulista embarcando em Congonhas em 1957: Dino Sani (no alto), Mauro, o goleiro Paulo Martorano, cartola não identificado, Del Vecchio, Pagão e Canhoteiro


O São Paulo embarcando em Congonhas, em 1957: Dino Sani, o galã Canhoteiro (de óculos escuros), Gino Orlando, Ademar e Mauro (ao fundo). À frente, jogador não identificado.


Otávio Munis (de fone de ouvido e no pé da escada) recebe a seleção brasileira no dia 15 de maio de 1958, às portas da Copa da Suécia. Os jogadores são: Canhoteiro, Djalma Santos, Gino Orlando, Dino Sani, Gylmar, Oreco e Jadir (o último, no alto)


Aílton Lataria está prestes a entrar no avião (é o segundo, olhando para trás) em mais uma excursão do São Paulo para o exterior. O craque Canhoteiro é o quarto, da direita para a esquerda.


Linda foto de 1961 do São Paulo no Estádio Luis Pereira, em Ribeirão Preto. Em pé, da esquerda para a direita: De Sordi, Procópio, Deleu, Riberto, Suli e Benê. Agachados: Faustino, Prado, Baiano, Jair Rosa Pinto e Canhoteiro


pé, da esquerda para a direita, na famosa equipe do Milionários: integrante da comissão técnica, jogador não identificado, Turcão (ex-Palmeiras e São Paulo), dois jogadores não identificados, Geraldo Scotto (ex-Palmeiras), Zezé Accula (ex-Esportiva de Guaxupé), Aguinaldo, Bellini (nosso capitão no Mundial de 58), Capitão e outro integrante da comissão técnica. Agachados: um diretor, o massagista, três jogadores não identificados, Ramos Delgado (ex-Santos), Dorval (ex-Santos), jogador não identificado, Benê (ex-São Paulo) e Canhoteiro (ex-São Paulo


Em pé: Orlando, Renato, Bellini, Brandão, Geraldo Scalera e Capitão. Agachados: o massagista Bigode, Dorval, Felício, Coutinho, Tupã e Canhoteiro.


Este é o Saad em 1967, um ano após começar a jogar profissionalmente. Em pé estão Bicas, Romeu, Fininho, Pando (ex-Juventus), Decio e Murilo (ex-Portuguesa); agachado, Canhoteiro, ex-São Paulo, é o segundo da direita para a esquerda.


Em pé: Djalma Santos, Poy, Fernando Sátiro, Gildésio, Riberto e Vítor. Depois de Vitor está José Teixeira (só é possível ver seu braço e parte de seu corpo). Agachados: Julinho Botelho, Almir Pernambuquinho, Gino Orlando, Gonçalo e Canhoteiro


Em pé, da esquerda para a direita: Vicente Feola, Bauer, Turcão, Mauro Ramos e o mordomo Serrone. Agachados: Alfredo Ramos, De Sordi, Maurinho e Canhoteiro. Foto: Site Oficial do São Paulo


Grande craque do São Paulo, posa com a camisa do Tricolor. Foto: Reprodução/Revista do Esporte


Linda foto de 1961 do São Paulo no Estádio Luis Pereira, em Ribeirão Preto. Em pé, da esquerda para a direita: De Sordi, Procópio, Deleu, Riberto, Suli e Benê. Agachados: Faustino, Prado, Baiano, Jair Rosa Pinto e Canhoteiro


Na escada do avião, de cima para baixo, uma pessoa de costas não identificada, Vilázio, Faustino, Geraldo José de Almeida, Canhoteiro, Baiano e Gonçalo. Foto: Sarkis


No vestiário, o Dr. Dalzell cuida de Mauro Ramos de Oliveira. No centro, está o genial Canhoteiro e depois, Lanzoninho. Repare nos armários com furos para ventilação. Foto enviada por Luiz Roberto S. Gaspar, filho do Dr. Dalzell


Em pé: Ronaldo, Zico, Júlio, Wilson Pereira, Vicente Arenari e Toro. Agachados: João Rodrigues, Ademar, jogador não identificado, Cido e Canhoteiro. Foto enviada por Waldevir dos Santos


Grande jogador. Foto enviada por Edgard Martins


Times de São Paulo e Sporting-POR perfilados no dia 2 de outubro de 1960, na inauguração do Estádio do Morumbi. Na foto, da direita para esquerda, o segundo é o treinador José Teixeira, o oitavo é Roberto Dias, Canhoteiro é o 13º, Gildésio é o 16º, Peixinho o 18º, o 20º é Vítor, o goleador Gino é 22º, seguido pelo goleiro Poy e o árbitro Olten Ayres de Abreu. Ademar, Riberto e Gonçalo também participaram deste amistoso internacional. Foto: Reprodução/José Castro/Folhapress


A imagem não está muito nítida, mas Canhoteiro vale qualquer registro. Ele está no centro da foto, entre os jogadores do Nacional, Gonçalves e Roderley, que chega de "sola" no craque são-paulino. O árbitro observa o desenrolar do lance. Foto enviada por João Batista C. Ferreira


Em 1956, a Seleção Brasileira fez alguns jogos no Velho Continente. Esta imagem é do dia 08 de abril de 1956, quando o Brasil derrotou a Seleção de Portugal por 1 a 0, gol marcado por Gino Orlando (de bicicleta, o primeiro dos três gols que o atacante marcou com a camisa canarinho). Em pé, da esquerda para a direita: Djalma Santos, De Sordi, Nilton Santos, Gylmar, Zózimo e Roberto Belangero. Agachados: o massagista Mário Américo, Sabará, Wálter Marciano, Gino Orlando (apoiando sua mão esquerda sobre a bola), Didi e Canhoteiro


Seleção Brasileira antes de um amistoso contra a Tchecoslováquia, em Praga. Da esquerda para a direita: Nilton Santos, Gylmar, Gino Orlando, Paulinho, De Sordi, Didi, Djalma Santos, Canhoteiro, Evaristo de Macedo, Dequinha e Zózimo. O massagista é Mário Américo


Cinco jogadores da Seleção Brasileira e quatro calções diferentes. Outros tempos, em que não havia todo o marketing envolvido nessa área. A foto é do dia 18 de maio de 1958, no Pacaembu. A seleção recebeu a Bulgária para um amistoso no Pacaembu e venceu por 3 a 1, com gols de Diev (Bulgária), dois de Pelé e um de Pepe. Antes, o Brasil havia enfrentado a Bulgária no Maracanã e venceu por 4 a 0. O jogo do Pacaembu foi o último antes da seleção estrear na Copa de 58, na Suécia e vencer a Áustria por 3 a 0. Da esquerda para a direita: Joel Martins, Didi, Mazzola, Pelé e Canhoteiro


Da esquerda para a direita: Julinho Botelho, Didi, Henrique Frade, Pelé e Canhoteiro. Foto enviada por Marcus Rouanet Machado de Mello


Canhoteiro e Del Vecchio a serviço da seleção, em 1956


Equipe em um coletivo, iniciando os preparativos para a Copa de 1958: De Sordi, Dino Sani, Zózimo, Castilho, Mauro Ramos de Oliveira e Cacá; Agachados: massagista Mário Américo, Canhoteiro, Vavá, Almir, Dida e Zagallo. Crédito foto: Arquivo Nacional


Em pé: De Sordi, Jadir, Nilton Santos, Gylmar, Mauro e Roberto Belangero. Agachados: Mário Américo, Garrincha, Moacir, Mazzola, Pelé e Canhoteiro


 


Confira a seleção brasileira no Maracanã, em 1959, no célebre jogo contra a Inglaterra em que Julinho Botelho foi vaiado e, após a partida, aplaudido de pé (os cariocas queriam Garrincha com a camisa 7 do Brasil). Da esquerda para a direita: Bellini, Nilton Santos, Gylmar dos Santos Neves, Orlando Peçanha, Djalma Santos, Henrique Frade, Didi, Dino Sani, Pelé, Julinho Botelho, Canhoteiro e o técnico Vicente Ítalo Feola.


Em pé, da esquerda para a direita: Alfredo Ramos (o Polvo), De Sordi, Pé de Valsa, Poy, Vitor, Mauro Ramos de Oliveira e o mordomo Serrone. Agachados: Teixeirinha, Dino Sani, Zezinho, Remo e Canhoteiro.


Tricolor nos anos 60. Em pé, da esquerda para a direita: Vilásio, Roberto Dias, Geraldo, Luís Valente, Suli e Vítor Paulada. Agachados: Paulo Lumumba, Amauri, Gino, Benê e Canhoteiro


Veja o Tricolor nos anos 60. Em pé, da esquerda para a direita: Cerroni, De Sordi, Poy, Rubens Caetano, Roberto Dias, Luís Valente e Procópio. Agachados: Célio, Benê, Gino Orlando, Baiano e Canhoteiro


Em pé: Sarará, Alfredo Ramos, Clélio, Vítor, Bonelli, Mauro Ramos e o mordomo Serrone. Agachados: Maurinho, Zezinho, Gino, Dino e Canhoteiro


Em pé vemos De Sordi, Poy, Dino Sani, Riberto, Vitor e Mauro; agachados estão Maurinho, Lanzoninho, Gino, Zizinho e Canhoteiro


Para Dino Sani, Canhoteiro foi melhor com a camisa 11 do que Garrincha com a 7.


Orlando Peçanha (esq) discute com Canhoteiro (camisa 11) durante amistoso entre São Paulo e Boca Juniors, em 1963, no Morumbi. O árbitro Olten Ayres de Abreu dá uma dura no lateral Madalena. Paulo Valentim, com a 9, observa


Em pé: Bellini, Jurandir, Riberto, Leal, Suli e Deleu. Agachados: Cecílio Martinez, Baiano, Benê, Cido e Canhoteiro


Em pé: Vilásio, Poy, Deleu, Pimentel, Dario, Riberto e o mordomo Serrone. Agachados: Faustino, Amauri, Baiano, Benê e Canhoteiro


Em pé: Alfredo Ramos, De Sordi, Ademar, Riberto, Paulo, Mauro Ramos de Oliveira e o mordomo Serrone. Agachados: Maurinho, Baltazar, Gino, Dino Sani e Canhoteiro


Neste São Paulo de 1958, estão em pé: Ademar, De Sordi, Vitor, Riberto, Paulo, Mauro e o mordomo Serrone. Agachados: Maurinho, Sílvio, Baltazar, Dino Sani e Canhoteiro.


O São Paulo conquistou o título paulista de 1957 e depois ficou 13 anos sem levantar nenhum troféu importante. Mas todas as forças da diretoria durante esse tempo de jejum foram destinadas para a construção do estádio do Morumbi. Esta foto é de 1958, e mostra os campeões de 57 no estádio em construção. Uma verdadeira relíquia. Em pé estão o Dr. Dalzel Freire Gaspar, Vicente Feola, Oto Vieira, Maurinho, De Sordi, Canhoteiro, massagistas Flavio e Guido, Dino, Vitor, Ferrari, Gino, Amauri, Silvio, Parracho, Valdir e Celso; Sentados, da esquerda para à direita, estão Mauro, um garoto filho de Homero Belintani, Poy, Zizinho, Roberto, Fernando Satiro, Diogenes, Riberto, Paulo e Sarará


Em pé: De Sordi, Poy, Dino Sani, Riberto, Vitor e Mauro Ramos de Oliveira. Agachados: Maurinho, Lanzoninho, Gino, Zizinho e Canhoteiro.


Em pé: De sordi, Poy, Sabará, Riberto, Vitor e Mauro. Agachados: Maurinho, Amauri, Gino, Zizinho e Canhoteiro.


Em pé: o treinador Vicente Feola, Riberto, Sabará, Bonelli, Turcão e Alfredo Ramos. Agachados: Maurinho, Lanzoninho, Gino, Dino e Canhoteiro.


Em pé: goleiro não identificado, Poy, Sérgio Lopes, Vilásio, Gildésio, Gérsio e outro goleiro não identificado. O segundo agachado é Aílton, Peixinho é o quarto, seguido Cláudio Garcia, Bibe e Canhoteiro.


Em pé: Dario, Poy, Geraldo, Deleu, Luis Valente, Benê e o mordomo Serrone. Agachados: Faustino, Baiano, Gino, Canhoteiro e Ailton.


Canhoteiro (esq) ao lado do ponta Ary Valério (ex-Palmeiras), antes de um São Paulo e Juventus da Mooca.


Em pé: Ademar, Poy, Gildésio, Fernando Sátiro, Riberto e Vítor. Agachados: Peixinho, Jonas, Gino Orlando, Gonçalo e Canhoteiro.


Em 1956, no Pacaembu, da esquerda para a direita: Teixeirinha, Poy, Rodrigo, Pé de Valsa, De Sordi, Clélio, Dino Sani, Haroldo, Canhoteiro, Vítor e o mordomo Serrone.


Em pé: Djalma Santos, Poy, Fernando Sátiro, Gildésio, Riberto e Vítor. Agachados: Julinho Botelho, Almir Pernambuquinho, Gino Orlando, Gonçalo e Canhoteiro.


São Paulo em 1955. Em pé: Alfredo Ramos, De Sordi, Turcão, Poy, Mauro e Bauer. Agachados: Maurinho, Zezinho, Gino Orlando, Dino Sani e Canhoteiro. A foto é do Anuário da Revista Esporte Ilustrado de 1956.


Seleção que venceu o Combinado Colombiano, por 2 a 0, em 9 de maio de 1954. Em pé: Djalma Santos, De Sordi, Cabeção, Nilton Santos, Zózimo e Roberto Belangero. Agachados: sabará, Wálter Marciano, Del Vecchio, Didi, Canhoteiro e Mário Américo. A foto é da Revista Esporte Ilustrado, 939


Seleção brasileira que venceu pela primeira vez a Argentina fora do país. O jogo foi em Montevidéu, dia 5 de fevereiro de 1956, e o Brasil ganhou por 1 a 0, gol de Luisinho. Em pé: Djalma Santos, De Sordi, Formiga, Gylmar, Roberto Belangero e Alfredo. Agachados: Maurinho, Luisinho, Del Vecchio, Zezinho e Canhoteiro. A foto é da Revista Esporte Ilustrado, 932


Seleção que venceu a Áustria, por 3 a 2, em 15 de abril de 1956. Em pé: Djalma Santos, De Sordi, Nilton Santos, Gylmar, Dequinha e Zózimo. Agachados: Mário Américo, Paulinho Almeida, Evaristo de Macedo, Gino Orlando, Didi e Canhoteiro. A foto é da Revista Esporte Ilustrado, 942


Canhoteiro em foto da Revista Manchete Esportiva, 76


Raridade, imagem do São Paulo Futebol Clube da década de 1960. Em pé, da esquerda para a direita: De Sordi(2°), Ademar, Clélio, Riberto (6°) e Mauro Ramos. Agachados: Maurinho, Roberto Lataria, Gino Orlando, Zizinho e Canhoteiro. Foto: reprodução


Dante e Canhoteiro em Itapira-SP, em 1959. Foto: arquivo pessoal


Dante e Canhoteiro no Morumbi, em 1962. Foto: arquivo pessoal


Foi na cidade mineira de Poços de Caldas, que a Seleção Brasileira fez os preparativos para a Copa de 58 (Suécia), quando conquistou o primeiro titulo mundial. Da esquerda para a direita, em pé: De Sordi, Oreco, Dino Sani, Zózimo, Castilho e Mauro Ramos de Oliveira. Agachados: o massagista Mário Américo, Canhoteiro, Moacir, Vavá, Dida e Zagallo. Foto enviada por Tico Cassolla


Ataque da Seleção Brasileira, que fez excursão pela Europa em 1956. Da esquerda para a direita, Paulinho, Didi, Álvaro, Evaristo e Canhoteiro. Foto enviada por José Eustáquio

 

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Bah
    0
  • 2 Atl
    0
  • 3 Cor
    0
  • 4 Spo
    0
  • 5 Red
    0
  • Veja tabela completa