Igor Julião será titular do Fluminense diante da Chapecoense: olho na vitória. Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Igor Julião será titular do Fluminense diante da Chapecoense: olho na vitória. Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Tido por muitos como uma das grandes sensações do Campeonato Brasileiro, o Fluminense chega ao último jogo antes da pausa para a Copa América diante de um paradoxo. Ao mesmo tempo que as atuações do time do técnico Fernando Diniz chamam atenção pela identidade própria, a equipe não tem traduzido a superioridade em resultados, ainda que tenha feito boas apresentações mesmo em jogos sem vitórias.

Na noite de hoje, o Flu encara a Chapecoense, às 20h, na Arena Condá, com a missão de inverter essa lógica, mas sem abrir mão do estilo que vem sendo a marca deste Tricolor. Contra o Flamengo, uma equipe recheada de reservas dominou o adversário no Maracanã, mas faltou capricho maior para deixar o estádio com um triunfo (o clássico acabou empatado em 0 a 0).

Os tricolores contabilizam outras ocasiões nas quais a performance não se transformou em vitórias, casos dos compromissos contra Botafogo e Goiás, por exemplo. Há, claro, os casos inversos, já que o Fluminense venceu e convenceu contra Grêmio e Cruzeiro.

Apesar destas três rodadas sem vencer, a percepção interna é de que o time está promovendo uma "transformação" no futebol brasileiro, com um time que se impõe ante adversários por vezes com muito mais dinheiro e qualidade técnica.

"Fizemos bons jogos, mas não conseguimos o resultado. Estamos em uma posição incômoda na tabela, perto da zona de rebaixamento (16ª posição). Então, serão importantíssimos esses três pontos para irmos para a parada da Copa América com tranquilidade", analisou o lateral esquerdo Caio Henrique.

E para respirar mais aliviado na tabela o Flu terá de superar muitos desfalques. Na zaga, Frazan e Nino devem compor o setor, já que Matheus Ferraz, Léo Santos e Digão estão lesionados. Sem Gilberto, Igor Julião é a opção. Na frente, Diniz perdeu Luciano, que pediu dispensa da viagem. Lesionado, Yony também está fora. Assim, o treinador deve escalar Brenner, Marcos Paulo e João Pedro como armas ofensivas.

"Quem vem entrando está dando conta do recado. A zaga foi totalmente nova diante do Flamengo. Nunca tínhamos atuado juntos e fomos bem", disse Caio.

O jogo em Santa Catarina será o primeiro da nova gestão no comando do clube. Empossado desde segunda-feira, Mario Bittencourt tem a tarefa de quitar o quanto antes os dois meses de carteira e os outros cinco de direitos de imagem em atraso.

CHAPECOENSE X FLUMINENSE

Data e hora: 13/06/2018, às 20h (de Brasília)
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Guilherme Dias Camilo (MG) e Felipe Alan Costa de Oliveira (MG)

Chapecoense
Tiepo; Bryan, Gum, Douglas e Alan Ruschel; Márcio Araújo, Elicarlos e Campanharo; Rildo (Camilo), Arthur Gomes e Everaldo.
Técnico: Ney Franco

Fluminense
Agenor; Igor Julião, Frazan, Nino e Caio Henrique; Allan, Daniel e Ganso; Marcos Paulo, Brenner e João Pedro.
Técnico: Fernando Diniz

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 San
    32
  • 2 Fla
    30
  • 3 Pal
    30
  • 4 Atl
    27
  • 5 São
    27
  • Veja tabela completa