Gabigol e Arrascaeta são representantes da "Era ostentação" do Flamengo. Foto: Alexandre Vidal / Flamengo.com.br

Gabigol e Arrascaeta são representantes da "Era ostentação" do Flamengo. Foto: Alexandre Vidal / Flamengo.com.br

A nona rodada do Campeonato Brasileiro, a última antes da paralisação do calendário para a disputa da Copa América, reservou o duelo mais desigual na balança financeira: o modesto CSA receberá o milionário Flamengo, no Estádio Mané Garrincha, às 21h30 (horário de Brasília).

O time de Alagoas, que retornou à elite do futebol nacional após 31 anos, tem o menor orçamento da Série A, com cerca de R$ 40 milhões. Do outro lado, um "Flamengo ostentação", com a maior conjectura financeira dentre os 20 clubes, tendo um orçamento de R$ 750 milhões. Vale ressaltar que a projeção orçamentária do Palmeiras de R$ 561 milhões não levava em conta o acerto com a Globo, que foi assinado apenas em maio.

O próprio local da partida é um fator que demonstra a diferença entre as realidades dos orçamentos dos dois clubes. Em busca de receita para o departamento de futebol, o CSA vendeu o mando por uma "proposta interessante", segundo o presidente Rafael Tenório - o negócio girou em torno de R$ 1,3 milhão.

"Para o bem do CSA, temos a necessidade de fazer a venda do jogo contra o Flamengo. Então, nós vamos fazer o jogo contra o Flamengo em Brasília, dia 12 de junho", disse, à época, o dirigente, que completou:

"Tudo nosso aqui é muito planejado, muito discutido. Nós sabemos os dez clubes que nós não temos condições de concorrer com eles diretamente. Nós não podemos pensar em um Flamengo, um Palmeiras, um Grêmio, um Inter, Cruzeiro, Atlético-MG..."

A venda gerou reclamações dos torcedores alagoanos, mas foi justificada por Raimundo Tavares, presidente do Conselho Deliberativo do CSA.

"Esses recursos chegam em um momento em que o clube precisa contratar duas peças, que precisa concluir seu vestiário. Então, é uma cultura que, nós temos de reconhecer. Queremos o melhor para o CSA".

A diferença se mostra também no planejamento para a chegada de reforços. O CSA, sem muitos recursos em cofre, fez contratações por empréstimo - uma delas foi Matheus Savio, do Flamengo. O Rubro-Negro, por outro lado, foi ao mercado no início da temporada e fechou com nomes como Rodrigo Caio, Bruno Henrique, Gabigol e Arrascaeta (que custou R$ 53,1 milhões, sendo a contratação mais cara da história do clube). Além disso, dirigentes viajaram à Europa para fechar com o lateral-direito Rafinha, anunciado recentemente, e com o técnico Jorge Jesus, apresentado na última segunda-feira.

Apesar de toda a disparidade, o volante Willian Arão pede atenção ao time, salientando as qualidades do adversário.

"O jogo com o CSA será muito difícil. No Brasileirão, não tem partida fácil. Eles têm jogadores rápidos, um meio de campo que marca muito bem. Esperamos ter o domínio do jogo e mais a bola para criarmos chances e vencer", disse.

Ficha técnica

CSA x Flamengo

Data: 12 de junho de 2019, quarta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília
Competição: Campeonato Brasileiro
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)

CSA: Jordi; Apodi, Gerson, Leandro Souza e Carlinhos; Dawhan, Nilton, Didira e Jonatan Gómez; Maranhão e Cassiano
Técnico: Marcelo Cabo

Flamengo: César; Rodinei, Thuler (Rhodolfo), Rodrigo Caio e Renê; Piris, Willian Arão, Everton Ribeiro; Berrío (Vitinho), Bruno Henrique e Gabigol
Técnico: Marcelo Salles (Interino)

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Pal
    22
  • 2 San
    20
  • 3 Fla
    17
  • 4 Int
    16
  • 5 Atl
    16
  • Veja tabela completa