No Dia Internacional da Mulher, comemorado neste sábado, o Cruzeiro atrapalhou o presente que o Tupi pretendia dar à sua presidente, Myrian Fortuna, ao vencer, de virada, por 2 a 1, no Mineirão, resultado que confirmou por antecipação a primeira colocação na fase de classificação do Mineiro. Dessa forma, o time celeste garantiu as vantagens de ser mandante no segundo jogo na semifinal e numa eventual decisão do título, jogando sempre por dois resultados iguais.

Foi uma partida muito difícil para o time celeste, que venceu com dois gols de cabeça, o primeiro de Marcelo Moreno e o segundo do zagueiro Dedé, que tentou durante quase todo o jogo. O Tupi, que na etapa inicial encarou o atual campeão brasileiro de frente, no tempo final mudou sua postura e abusou da retranca e da cera, mas não conseguiu evitar o triunfo celeste que segue com 100% de aproveitamento no Mineirão, nesta temporada, com seis vitórias pelo Estadual e uma pela Libertadores.

O time celeste chegou a 26 pontos em 10 jogos, abrindo nove do Atlético-MG, vice-líder, que enfrenta o Guarani, em Divinópolis, neste domingo, mas que já não pode mais alcançá-lo. Já o Tupi segue em terceiro lugar, com 15 pontos, mas pode perder a colocação, caso Boa Esporte ou Caldense, que se enfrentam, em Varginha, vença o duelo deste domingo.

O zagueiro Bruno Rodrigo e o atacante Dagoberto já estavam fora da partida desde a véspera, quando o técnico Marcelo Oliveira oficializou que os pouparia. Neste sábado, o treinador deixou no banco os laterais titulares, Ceará e Egído, visando o terceiro jogo celeste pela Libertadores, na terça-feira, em Montevidéu, contra o Defensor. "Achei por bem administrar o cansaço, já que jogamos por empate ou vitória para ser 1º colocado, e temos jogo importantíssimo pela Libertadores", explicou o treinador.

Também o Tupi poupou alguns atletas: Fabrício Soares, Genalvo e Núbio Flávio. A intenção do técnico Paulo Campos é guardá-los para a estreia pela Copa do Brasil, na quarta-feira, contra o Juazeiro, na Bahia. E o time de Juiz de Fora entrou em campo prestando solidariedade a Tinga, vítima de racismo em Hancayo, no jogo contra o Real Garcilaso, e na semana em que dois casos foram registrados no futebol brasileiro. Outra homenagem foi ao atacante Ademílson, companheiro de clube, que se lesionou gravemente e ficará longo tempo sem jogar. Os atletas vestiam camisa preta com mensagem pró-Tinga à frente e para o colega nas costas.

O primeiro tempo começou de forma surpreendente com o Tupi pressionando o Cruzeiro, criando duas boas oportunidades de gol, nos minutos iniciais. Na segunda delas, aos 6 min, o lateral esquerdo Toledo arrisco bom chute, obrigando o goleiro Fábio a uma difícil defesa. A resposta celeste foi no minuto seguinte, quando Willian avançou pela esquerda e cruzou para Ricardo Goulart bater cruzado. A bola só não entrou porque o volante Felipe Lima fez o corte em cima da linha.

O Tupi demonstrava que não veio ao Mineirão apenas para se defender. O posicionamento ofensivo do time visitante, no entanto, deixava espaços ao Cruzeiro, que descia ao ataque na base da velocidade. A partida aberta agradava aos torcedores, que compareceram em número razoável ao Mineirão e estavam animados. Nem a chuva tirava a motivação dos cruzeirenses, que quase comemoraram gol, aos 12 min, quando Luan chutou forte, de primeira, mas a bola foi bem defendida por Jordan.

A chuva apertou justamente quando o Tupi aumentou a surpresa inicial, ao abrir o marcador, aos 16 min. Toledo cobrou falta forte e a bola ainda desviou no volante celeste Rodrigo Souza, enganando a Fábio. Dois minutos depois, o lateral esquerdo improvisado Luan quase empatou, quando chutou de esquerda e Jordan defendeu de novo. Em desvantagem, o time da casa aumentou a pressão e não tardou a empatar, aos 21 min. Willian lançou Luan, pela esquerda, que cruzou na medida para cabeçada de Marcelo Moreno.

Depois disso, o Cruzeiro assumiu o domínio total, encurralando o adversário, que dava sinais de desgaste físico. O time mandante criou inúmeras condições para desempatar, mas falhou nas finalizações: 16 na etapa inicial, que ficou no 1 a 1."Fizemos um bom primeiro tempo, independente de tomarmos o primeiro gol e estou sempre tentando marcar para ajudar o Cruzeiro", disse Marcelo Moreno, que dedicou o gol de empate ao volante Souza, aniversariante do dia e que ficou no banco.

O Cruzeiro voltou sem alterações, enquanto o Tupi retornou com o zagueiro Fabrício Soares, um dos titulares preservados em princípio, no lugar do atacante Wesley, com o objetivo de recompor o meio campo. Ele admitiu que o empate seria comemorado pelo time de Juiz de Fora. A etapa final teve o clube celeste tomando a iniciativa, contra um adversário, que seguia mais preocupado em se defender. Aos 7 min, um lance polêmico. Léo fez o gol, que foi anulado por marcação de impedimento. Os jogadores celestes reclamaram, dizendo que o zagueiro Hélder, do Tupi, teria cabeceado a bola para trás, o que tiraria o impedimento do jogador cruzeirense. O árbitro Igor Junio Benevenutto consultou o assistente e confirmou a invalidação do lance.

Logo depois do gol anulado, Marcelo Oliveira recorreu a Ceará, um dos laterais poupados, e colocou também Marlone e Elber nos lugares de Ricardo Goulart e Willian. Só dava Cruzeiro no ataque, mas não conseguia furar o bloqueio defensivo do Tupi, que não hesitava também em fazer cera. De tanto insistir, o time da casa conseguiu o segundo gol, com Dedé, aos 35 min. Em desvantagem, o visitante se soltou e criou chance para empatar, o que foi evitado por Fábio.A equipe cruzeirense também quase ampliou e Léo ainda cabeceou bola na trave.

CRUZEIRO 2 X 1 TUPI

Data: 8/3/2014 (sábado)
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Igor Junio Benevenutto (CBF/FMF)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Souza Santiago (CBF/FMF) e Mauro Antônio Ferreira Santos (FMF)
Cartões amarelos: Willian (CRU); Magnum, Toledo, Hélder, Fabrício (Tupi)
Gols: Toledo, aos 16 min; Marcelo Moreno, aos 21 min do primeiro tempo; Dedé, aos 35 min do segundo tempo

CRUZEIRO

Fábio; Henrique (Ceará), Dedé, Léo e Luan; Rodrigo Souza, Nilton, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart (Marlone); Willian (Elber) e Marcelo Moreno
Técnico: Marcelo Oliveira

TUPI

Jordan; Henrique, Hélder, Rafael Vítor e Toledo; Felipe Lima, Maguinho (Hélder Santana) e Sidnei; Da Silva (Magnum), Raphael Aguiar e Wesley (Fabrício Soares)
Técnico: Paulo Campos

FOTO: UOL

Últimas do seu time

  • Tabela

  • BRASILEIRÃO 2019

  • Classificação
    Pontos
  • 1 Fla
    77
  • 2 Pal
    67
  • 3 San
    64
  • 4 Grê
    56
  • 5 São
    52
  • Veja tabela completa